Cientistas criaram um peixe artificial feito de células do coração humano

Cientistas das Universidade de Harvard e de Emory apresentaram um peixe biohíbrido, autónomo, criado a partir de células estaminais humanas.

Os cientistas esperam que esta invenção eventualmente leve à criação de um coração humano artificial feito de tecido humano. Os peixes biohíbridos têm uma camada de células musculares cardíacas de cada lado que se contraem de um lado enquanto o outro é acionado para se esticar criando um movimento de natação. O objetivo é imitar a mecânica do coração humano para estudar mais de perto, como as células cardíacas humanas funcionam e também aprender mais sobre doenças, tal como a arritmia.

“Ao alavancar a sinalização mecânica-elétrica cardíaca entre as duas camadas de músculo, recriamos o ciclo em que cada contracção resulta automaticamente como uma resposta ao alongamento no lado oposto”, afirmou Keel Yong Lee, pós-doutorado e co-autor da investigação.

“O nosso objectivo final é construir um coração artificial para substituir um coração malformado numa criança”, referiu Kit Parker, Professor de Bioengenharia e Física Aplicada da Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas de Harvard John A. Paulson e autor do estudo.

“A maior parte do trabalho na construção de tecidos ou corações cardíacos, incluindo alguns trabalhos que fizemos, está focado em replicar as características anatómicas ou replicar o simples batimento do coração nos tecidos projectados”, disse Parker. “Mas aqui,  inspiramo-nos no design da biofísica do coração, o que é mais difícil de fazer. Agora, em vez de usar imagens do coração como um modelo, estamos a identificar os principais princípios biofísicos que fazem o coração funcionar, usando-os como design critérios, e replicá-los num sistema, nomeadamente, num peixe vivo, onde é muito mais fácil ver se somos bem sucedidos”, acrescentou.

Estes primeiros passos continuam a ser importantes para potencialmente encontrar maneiras de tratar doenças e o objectivo final, criar um coração humano artificial. As seguintes metas consistem em construir dispositivos biohíbridos mais complexos a partir de células cardíacas humanas e, lentamente, trabalhar em direção a estruturas de bioengenharia mais ambiciosas.

Fonte: Slashgear

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui