Análise Huawei Mate 10 Pro: a inteligência artificial chega aos smartphones

A Huawei é, cada vez mais, uma marca conhecida e levada a sério, que já faz com que os consumidores já ponderem os seus smartphones quando querem comprar um equipamento móvel topo de gama, comparando com as grandes marcas. Ainda está com dúvidas? então tem mesmo de ler esta review e conhecer o novo Huawei Mate 10 Pro, que rivaliza diretamente com os melhores smartphones do mercado

Especificações e acessórios
Design e Ecrã
Desempenho
Câmara
A Inteligência artificial chegou
Veredito: Huawei Mate 10 Pro

Quando se pensa em smartphones topo de gama, há marcas que vêm logo à cabeça, como a Apple, a Samsung e, também, a Huawei, uma reputação que tem conquistado nos últimos anos e já ninguém fica indiferente ou com dúvidas da sua qualidade. Um lugar que a Huawei conseguiu inovando os seus equipamentos, melhorando o design dos produtos e, claro, com uma forte aposta em marketing que colocou a marca nos ouvidos de todos.

Os topos de gama que têm sido lançados têm demonstrado uma evolução imensa nos produtos da fabricante chinesa, e o mais recente Huawei Mate 10 Pro vem mostrar que na China os produtos são de qualidade, inovadores e que não é preciso copiar os outros, mas sim inovar e lançar coisas novas. A Huawei quis que o Mate 10 Pro fosse um smartphone mais inteligente, com o mais recente Kirin 970, a que juntou o primeiro NPC num processador móvel, um microprocessador vocacionado para a inteligência artificial e que podemos comprovar a sua qualidade na aplicação da câmara, mas já lá vamos.

O Huawei Mate 10 Pro é, sem dúvida, um smartphone muito mais inteligente, em prol do consumidor. Continue a leia a nossa análise ao equipamento.

Especificações e acessórios

  • Dimensões: 154.2 x 74.5 x 7.9 mm
  • Peso: 178 g
  • Sistema Operativo: EMUI 8.0, Android 8.0 Oreo;
  • Ecrã: 6” com resolução 1080 x 2160 p
  • Câmara Traseira: Dual câmara 20MP+12MP, f/1.6, OIS, óticas Leica, Flash Duplo, e zomm 2x
  • Câmara frontal: 8 MP, f/2.0
  • Processador: Hisilicon Kirin 970, Octa-core (4×2.4 GHz Cortex-A73 e 4×1.8 GHz Cortex-A53)
  • GPU:Mali-G72 MP12;
  • Memória RAM: 6 GB;
  • Armazenamento interno: 128 GB;
  • Dual SIM
  • Sensores: impressões digitais; sensor de brilho; sensor de luz ambiente;
  • Conetividade: Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, dual-band, DLNA, WiFi Direct, hotspot
  • GPS: A-GPS, GLONASS, BDS
  • Bluetooth 4.2;
  • USB Type C
  • Bateria: 4000 mAh de capacidade;

No Mate 10 Pro podemos destacar duas faltas: do jack 3,5mm para auriculares e não tem MicroSD. A falta do jack é uma tendência que outros grandes fabricantes têm seguido e que temos de nos começar a habituar. Ou compramos uns auriculares bluetooth, ou então temos de começar a andar com um adaptador na carteira.

Em termos de acessórios, contamos com o cabo de parede, a tomada de carregamento rápido, uns auriculares USB-C e uma capa de silicone. Para mim, este é um setup perfeito, já que a inclusão de uma capa para o smartphone deveria ser obrigatória.

Design e Ecrã

Quando falamos sobre o design dos smartphones parece que já não há muito para inventar, sendo que os produtos têm acabamentos em vidro, metálico, ou então a mistura dos dois. A Huawei conseguiu, mais uma vez, surpreender apesar de ter usado acabamentos em vidro, com as laterais metálicas.

Começou pelas cores utilizadas que apesar de não serem vistosas como acontece na marca Honor, conseguiram-se diferenciar da concorrência. As cores disponíveis são Titanium Gray e Mocha Brown, basicamente um cinzento e um castanho, sendo que a versão que nos calhou é, pessoalmente, a mais atraente, o cinzento. Apesar de, à partida, o design poder parecer simples, há um pequeno pormenor que se diferencia e que faz com que um design que pode ser similar aos concorrentes seja na verdade muito bom, uma faixa de cor diferente que se encontra na área das câmaras traseiras, mesmo por cima do sensor de impressões digitais.

É um pequeno pormenor que faz toda a diferença e que distingue este smartphone udos outros, com acabamentos de grande qualidade, mas diferentes da concorrência. Nas laterais, o metal até parece mais brilhante do que o normal. Ainda falando na parte de trás, o que não me agrada, e que tem vindo a ser recorrente em muitos smartphones, é a saliência das câmaras, que acontece também no antecessor deste equipamento e que, mais uma vez, considero um ponto negativo deste equipamento.

É que a saliência das câmaras, por muito bonito que se tente fazer, destoa num design incrivelmente bonito e se usarmos o equipamento sem a capa, essa área irá prender-se no bolso muitas vezes. Por outro lado, e felizmente, a saliência neste equipamento é muito pequena e ao usarmos uma capa de silicone, como a que acompanha o equipamento, não se nota.

Seguindo uma tendência do mercado, o Huawei Mate 10 Pro reduz as margens ao mínimo possível, oferecendo o que chama de FullView Display, com uma área de ecrã cada vez maior na parte da frente e, neste caso, adotando o rácio de 18:9 no ecrã.

Não parece, mas temos mesmo mais ecrã. Agora temos um ecrã de 6 polegadas OLED e graças à redução de margens, o Huawei Mate 10 Pro tem um tamanho inferior ao seu antecessor, mas com mais 0,3 polegadas de ecrã. Excelente. Em termos de resolução temos QHD, 2560 x 1440p, com 402ppi, e já suporta o HDR10, funcionalidades que as aplicações Netflix e Vimeo já suportam e, com o Mate 10 Pro, podemos usufruir.

Não há dúvidas que em qualquer smartphone topo de gama a qualidade do ecrã é inquestionável, sendo que o Huawei Mate 10 Pro oferece excelentes ângulos de visualização, cores e uma boa visualização quando há excessiva luz diretamente no ecrã.

O Huawei Mate 10 Pro mantém uma funcionalidade que, pessoalmente, não dou grande importância, mas que como está escondida convém informar, que é o Always On. Para ativar esta funcionalidade, tem de ir a Configurações> Segurança e Privacidade> Bloqueio de ecrã> Informação sempre visível. Assim, com o smartphone em standbye, poderá ver as horas, a bateria e algumas notificações de aplicações. Infelizmente, não consegue ver aplicações como o Gmail, mas como não utilizo esta funcionalidade, não sei bem o impacto que esta limitação é para si.

Além disso, a Huawei permite que sejam feitas algumas alterações à temperatura da cor no ecrã, o que é uma mais valia se gosta de configurar o equipamento a seu gosto.

Desempenho

O Huawei Mate 10 Pro é um dos melhores smartphones no mercado e, como se espera, é também um dos equipamentos com melhor desempenho. Equipado com o mais recente processador Kirin 970, tem um octa-core, com quatro núcleos a 2,4GHz Cortez A73 e quatro núcleos Cortez A53 a 1,8GHz, acompanhado de 6GB de RAM, Mali-G72 MP12 e um microprocessador NPU que otimiza o smartphones para utilizar o melhor desempenho para o que está a fazer. Mas quanto ao NPU temos uma área própria onde iremos falar melhor, já que o Kirin 970 é o primeiro processador para dispositivos móveis com um processador vocacionado para a inteligência artificial.

Olhando para os testes de desempenho, como seria de esperar consegue colocar-se no topo de lista. E jogar neste equipamento, com este ecrã é simplesmente soberbo.

Nesta área, não podemos nos esquecer de falar do audio. Não é que seja mau, bem pelo contrário, já que a Huawei inclui suporte  para o áudio sem perdas de 32 bits a 384 kHz, o que é uma excelente adição. No entanto, falta o jack de 3,5mm, que também já é uma tendência.

O futuro é claramente termos produtos com o mínimo de fios possível e, por isso, esta mudança não surpreende, mas não deixa de ser complicado, já que a maioria dos acessórios que temos são para o jack de 3,5mm. É uma mudança como outra qualquer e, como é claro, é uma evolução na tecnologia que temos de acompanhar. Felizmente, a Huawei oferecer um adaptador USB-C para jack 3,5mm, bem como os auriculares que acompanham o Mate 10 Pro já são para USB-C, portanto a Huawei até dá uma excelente ajuda na adaptação.

O Huawei Mate 10 Pro também é o primeiro smartphone da Huawei a ser lançado com o EMUI 8, baseado no Android 8.0 Oreo e é, além dos Pixels, o primeiro smartphone a chegar ao mercado já com a mais recente versão do Android.

Como seria de esperar, há inúmeras novidades nesta nova versão do EMUI, maioritariamente do próprio Android 8.0, mas há algumas que temos de destacar, por serem diferentes da concorrência ou serem novidade na Huawei.

O que mais se destaque, e que a própria Huawei divulga, é a possibilidade de ligarmos um monitor ao nosso Huawei Mate 10 Pro e este passar para uma versão “Windows”. Sim, ao estilo do DeX da Samsung, sendo que para isso apenas precisamos de um adaptador USB-C para HDMI com suporte a Display Port 1.2. Eu comprei um adaptador no eBay com HDMI, USB e USB-C, para que assim possa, mais facilmente, usufruir de todas estas funcionalidades e ainda carregar o smartphone e ligar um rato/teclado.

Experimentei esta novidade e ela funciona como se espera. Assim que ligamos a um monitor, o Android passa para um modo “Windows”, intitulado EMUI Desktop que permite usufruir do equipamento num monitor, sem tirar as funcionalidades do smartphone. Sim, é possível continuar a responder a mensagens e fazer chamadas, enquanto estamos no monitor a escrever num Word ou editar um ficheiro Excel. Acaba por ser independente do equipamento.

Se não tiver um ecrã, o smartphone faz de rato e teclado, conforme o que preferir e qual o setup que quiser usar. Não é inovador no mercado, mas é mais um passo para que utilizemos o mesmo equipamento nas variadas necessidades.

Há outro ponto que se destaca neste equipamento e que surpreende, a bateria. A Huawei coloca a mesma capacidade, 4000 mAh, mas com a ajuda do processador e do NPU, o duração da bateria é grande.

Sou um utilizador muito intensivo do smartphone e apesar de o Huawei Mate 9 ter uma excelente duração de bateria, terminava o meu dia a rondar os 40%, portanto não me dava para o dia seguinte. Com o Huawei Mate 10 Pro fiquei impressionado, pois termino o dia com a bateria a rondar os 60%.

Nos primeiros dias ainda pensei que, se calhar estaria a usar pouco o equipamento, mas após os três primeiros dias decidi tentar não carregar o smartphone todos os dias e, incrivelmente, o smartphone terminou o segundo dia com a bateria a rondar os 20%. Incrível e, sinceramente, não estava nada à espera que isso acontece. Já nem me lembro do último smartphone que carregava de dois dias dias, mas agora é possível como Huawei Mate 10 Pro.

Mesmo que, por acaso, tenha de utilizar um pouco mais do que o normal e jogar um jogo ou outro “a mais”, o Huawei MAte 10 Pro tem carregamento rápido, que no Huawei Mate 9 muito me impressionou e que continua a ter um excelente desempenho neste equipamento.

Câmara

A Câmara é uma das principais qualidades que os consumidores olham quando vão escolher um smartphone e se a qualidade dos seus produto têm evoluído, com a parceria com a Leica, essa qualidade deu um grande salto qualitativo e colocou os smartphones da Huawei como dos melhores no mercado.

Começando pelas especificações, a Huawei colocou as suas câmaras num novo nível de qualidade, com dois sensores de grande qualidade e com algumas funcionalidade superiores à concorrência. Tem duas lentes Summilux-H com abertura de f/1.6 (uma das melhores aberturas num smartphone no mercado), sendo que um dos sensores é RGB de 12MP e o outro é monocromático de 20MP.

Isto não são só nomes pomposos, é mesmo de uma qualidade inquestionável e nada melhor do que ver as fotografias que publicamos em baixo, sendo que poderá ver as fotos originais na nossa página do Flickr.

A qualidade deste smartphone é inquestionável e nos testes que a DxOMark realizou, colocou o smartphone um ponto atrás do Pixel 2 e ao lado do iPhone X. Se olharmos melhor para os testes realizados por esse site, na área da fotografia, o iPhone X está em primeiro lugar com 101 pontos, sendo que o Huawei Mate 10 Pro obteve 100 pontos e está em segundo lugar. Podemos afirmar, que o Huawei Mate 10 Pro é um dos melhores smartphones para fotografia no mercado.

A aplicação da Huawei para a fotografia mantém-se a mesma, mas com novas funcionalidades graças ao NPU que acompanhar o Kirin 970, que iremos detalhar mais à frente, na área que dedicamos à inteligência artificial deste equipamento.

Há ainda que referir o Zoom 2x sem perder qualidade que este equipamento oferece, a mesma funcionalidade do Huawei P10, sendo que podemos tirar fotografias até 10x zoom, com a respetiva perda de qualidade.

No Huawei Mate 10 Pro continuamos a ter os diversos modos de fotografia, bem como a fotografia dinâmica, que é um estilo de pequeno gif. A Huawei mantém o modo Pro que com estas lentes irá deliciar os mais entendidos nesta área.

A Inteligência artificial chegou

A inteligência artificial tem estado presente nos smartphones nos últimos anos, mas na grande maioria através da cloud, uns segundos que a Huawei quer ganhar introduzindo um NPU no mais recente Kirin 970. O NPU é unidade de processamento Neural, que permitirá colocar a inteligência artificial no próprio equipamento, em vez de usar a cloud para fazer esse “serviço”. Neste caso, torna todo o processo mais rápido e a Huawei aproveitou isso muito bem neste novo Huawei Mate 10 Pro.

Resumindo as funcionalidades, por agora, aproveitadas por esta NPU são:

  • Reconhecimento de cenário na aplicação da câmera
  • Tradução através de fotos
  • Alocação de recursos
  • Dicas inteligentes (com base no contexto, como sugerir o filtro de luz azul estamos a ler num ambiente escuro, etc.)
  • Cancelamento de ruído e reconhecimento de voz em chamadas

A principal funcionalidade é, sem dúvida, a utilizada na aplicação da câmara e que mais impressiona. São 13 os cenários que o Mate 10 Pro reconhece e que rapidamente adapta os parâmetros da câmara para tirar a melhor fotografia possível. A Huawei pretende aumentar os cenários reconhecidos automaticamente através de atualizações de software, o que permitirá muitas melhorias nesta área. Temos de destacar como incrivelmente rápido isto é feito, bem como a percentagem de acerto. Creio que apenas se enganou uma única vez nas centenas de fotografias que já captei com o equipamento. Sem dúvida, incrível.

Outra funcionalidade bem visível e que também ficamos rendidos é a rapidez com que faz uma tradução através da aplicação própria, que utiliza o Microsoft Translate. Esta aplicação funciona até 50 idiomas e é de grande importância para quem viaja muito para países que não compreende o idioma.

No entanto, a Huawei garante que o que está disponível no Huawei Mate 10 Pro é, apenas, o início, já que as habilidades do NPU estarão disponíveis para os programadores. Sim, a Huawei disponibiliza uma API para os programadores que queiram tirar partido da inteligência artificial nas suas aplicações, o que permitirá muita evolução num futuro próximo.

Segundo a própria Huawei, a empresa já se encontra a trabalhar com alguns parcerios-chave para que haja um maior aproveitamento desta funcionalidade, ainda, única nos smartphones. Já imaginou o que este poder de processamento poderá fazer nas suas aplicações favoritas? Pode acontecer num futuro bem próximo.

Veredito: Huawei Mate 10 Pro

Como smartphone topo de gama que é, não há dúvidas que estamos perante um dos melhores smartphones do mercado. Perante alguns testes específicos, o Mate 10 Pro é mesmo o melhor, como no caso da câmara que está apenas atrás do iPhone X, um smartphone que custa mais de 1200€.

Apesar da diferença de preço “favorável” em relação aos principais concorrentes, não posso considerar o preço para um ponto positivo, pois não nos podemos esquecer que o ordenado mínimo em Portugal ainda não chega aos 600€ e que o smartphone tem um preço de 869€. No entanto, quando o comparamos com os principais concorrentes, sem dúvida que o Mate 10 Pro é bem mais barato.

Como pontos positivos, considero que o design é bom, pois conseguiu diferenciar-se nos acabamentos em vidro mais “comuns”, bem como tem um ecrã de grande qualidade. Há mais um fator que é a duração da bateria, que é incrivelmente boa e mesmo numa utilização intensiva, consegue durar dois dias, o que me surpreendeu bastante.

É na câmara, aliada à inteligência artificial, que considero que este equipamento se destaca, já que oferece uma qualidade de fotografia de topo, juntamente com o reconhecimento dos cenários que pretende captar fotografia, que se realiza de uma forma muito rápida.

Mas, mais uma vez, a saliência das câmaras não me convence e se há smartphones que o conseguem fazer, como o Huawei P10 ou o Honor 8, tem de haver uma esforço das fabricantes para que as câmaras não tenham saliência. O EMUI, apesar de melhor, tem pequenas falhas que devem ser corrigidas em breve através de atualizações do software.

Pontos a Favor:

  • Excelente design
  • Ecrã de grande qualidade
  • Inteligência artificial no reconhecimento da câmara
  • Qualidade fotográfica
  • Duração de bateria é de 2 dias (com uso intensivo)

Pontos Contra:

  • Saliência nas câmaras
  • EMUI teve algumas falhas

Desde já agradecemos à Huawei Portugal por nos ter disponibilizado uma unidade do Huawei Mate 10 Pro para análise. O smartphone já está à venda por 879,99€. Segue-se a nossa galeria de imagens:

Veja também...

Deixe o seu comentário