Análise Asus Zenfone 2: A Asus aposta em grande

Red Magic 3S

dav

A Asus entrou bem como o primeiro Zenfone, mas é com o Zenfone 2 que surpreende como o primeiro smartphone com 4GB de RAM no mercado. Leia a análise ao smartphone.

Características e Acessórios
Design e ecrã
Interface e Desempenho
Câmara e Multimédia
Veredito: Asus Zenfone 2

A Asus começou no ano passado mais a sério no segmento dos smartphones com o Zenfone 5, sendo, também, das poucas fabricantes de smartphones a utilizarem o processador móvel da Intel, que acabou por nos surpreender e o smartphone era um dos smartphones low-costs mais interessantes.

davEste ano, lançou a segunda versão dos smartphones Zenfone, sendo que além desta versão com 4GB de RAM, também há outras que se diferem nas câmaras, o Zenfone Selfie e o Zenfone Laser.

A aposta da Asus marcou pela diferença, por exemplo no Brasil apresentou uma versão com 256GB de armazenamento e tornou-se a primeira fabricante a lançar um smartphone com esse tamanho de armazenamento. Em Portugal, fez uma apresentação de grande nível e estabeleceu um acordo com a Storytailors para a criação de uma capa traseira exclusiva.

A Asus mostra que o Zenfone 2 é um smartphones de qualidade e com um preço muito competitivo. Será que convence? Leia a nossa análise ao smartphone.

Características e Acessórios

  • sdrDimensões: 152.5 x 77.2 x 10.9 mm
  • Peso: 170 g
  • Sistema Operativo: Android 5.0 Lollipop com ZenUI
  • Ecrã: 5,5″ IPS
  • Resolução: FullHD (1080 x 1920p) 401 ppi
  • Câmara traseira: 13 MP, duplo Flash LED com autofocus
  • Câmara frontal: 5 MP
  • Processador: Intel Atom Z3580 Quad-core a 2.3 GHz
  • GPU: PowerVR G6430
  • Memória RAM: 4 GB
  • Armazenamento: 16/32/64 GB
  • MicroSD: até 64GB
  • Wifi: Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, Wi-Fi Direct, hotspot
  • Conectividade: 4G
  • GPS: A-GPS e GLONASS
  • Bluetooth 4.0, NFC e Radio FM
  • Ligações: MicroUSB, jack 3.5mm
  • Dual-SIM
  • Bateria: 3000 mAh

Em termos de especificações há uma grande surpresa, os 4GB de RAM. Depois, a Asus diferencia-se pela utilização de um processador móvel da Intel, o Intel Atom Z3580.

Em termos de acessórios conte com um carregador de parede e um cabo USB-MicroUSB, além de a própria Asus vender uma versão com a capa personalizada.

Design e ecrã

davEm termos de design está praticamente igual ao antecessor, sendo que a Asus disponibilizou mais algumas cores, além de, em Portugal, ter disponibilizado uma versão única, criada pela Storytailors. A capa traseira continua a ser de plástico, sendo que a única área metálica que encontramos no smartphone é na área frontal do smartphone e na parte de baixo, uma área metálica muito característica dos smartphones da Asus.

Onde há uma grande diferença em relação ao seu antecessor é nos botões. Ao contrário da maioria dos modelos, não há quaisquer botões laterais no smartphone. Seguindo uma ideia da LG, os botões de volume encontram-se na parte traseira, logo por baixo da câmara, mas o botão de ligar/desligar está na lateral de cima do smartphone, onde encontramos jack de som.

davOra aqui está um ponto (muito) negativo, a localização pouco prática do botão de ligar/desligar. É que não nos podemos esquecer que é um smartphone com um tamanho considerável, com um ecrã de 5,5 polegadas, portanto tentar ligar o equipamento através do botão será um desafio muito perigoso, com o aumento da perigosidade numa mão mais pequena.

Felizmente que a Asus oferece a possibilidade de tocar duas vezes para ligar e desligar o ecrã, o que a seu tempo deixará de utilizar o botão de ligar/desligar. Mas com esta localização, até parece que o objetivo é mesmo fazer esquecer esse botão.

Quanto aos botões traseiros de volume, na minha opinião é uma boa localização, mas os botões da Asus não são tão sensíveis ao toque como os da LG, que são os “concorrentes diretos” nesta área. Dão para utilizar, mas parece que por vezes temos de fazer um pouco mais de força para conseguirmos realizar o que desejamos.

Apesar do seu tamanho e de não ser um smartphone fino, a sua ergonomia é muito boa, com uma curvatura traseira que encaixa perfeitamente na mão. No entanto, este tipo de curvatura tem um problema, que é a utilização do mesmo quando o colocamos numa superfície plana. Imagine ter de escrever no teclado virtual… Sim, vai ser complicado, já que quando escolhemos as letras mais à esquerda ou à direita, o smartphone irá “tombar” para esse lado.

davA Asus, por seu lado, decidiu manter os botões capacitivos na parte frontal, que tem apenas um problema, não são retroiluminados o que dificultará a sua utilização à noite ou com muito pouca luminosidade. Mas também rapidamente saberá onde se encontram os botões e não notará, tanto, esta falha.

Quanto ao ecrã, temos um IPS de 5,5 polegadas com resolução FullHD. Várias fabricantes já colocaram os seus smartphones com QuadHD ou, mesmo, 4K, no entanto o FullHD ainda é a resolução ideal e até o Huawei Mate S ainda tem essa resolução. Depois não nos podemos esquecer que pelo preço, também não podemos pedir tudo.

Zenfone 2 Interface (4)As cores são boas, com bons ângulos de visão, mas a visualização no exterior poderia ser melhor. No entanto, a Asus permite uma personalização rara nos smartphones.

A Asus permite que possamos personalizar as cores do ecrã com um modo que permite aumentar a saturação do ecrã, um modo totalmente manual que permitirá alterar muitas especificações do ecrã e um modo de leitura, para que não faça tão mal aos olhos. Até a temperatura de cor pode ser alterada, sem dúvida uma boa ideia e que permite colocar as cores do ecrã ao nosso gosto.

Não esquecer que a Asus também tem um capa inteligente que permite adicionar algumas aplicações ao ecrã, neste aspeto bem melhor do que a Huawei oferece no Mate S.

Interface e Desempenho

A interface do Asus é muito própria, sem qualquer vestígio da versão Android original. Pessoalmente, não sou grande adepto da ZenUI, sendo um fã da versão original, mas tenho de admitir que a Asus permite uma personalização, quase, única da sua interface.

São vários os modos e os temas disponíveis pela Asus, mas o que mais me chateou foi as dezenas, sim dezenas, de aplicações pré-instaladas nos smartphones, algumas delas que não podem ser desinstaladas. Quando utilizei o smartphone pela primeira vez, demorei demasiado tempo a desinstalar diversas aplicações/jogos que certamente não vou usar e só estão lá a ocupar espaço.

Mesmo após desinstalar as várias aplicações pré-instaladas possíveis, a própria Asus colocou várias aplicações que não podem ser desinstaladas e que não serão úteis para todos. É verdade que o smartphone tem 4GB de RAM e que estas aplicações pré-instaladas não terão influência no desempenho do smartphone, mas pessoalmente não gosto de ter aplicações que não uso. Portanto, temos de considerar como ponto negativo deste equipamento demasiadas aplicações pré-instaladas no equipamento de origem.

Em termos de desempenho é bastante bom. É verdade que a Asus apostou num processador não muito comum nos smartphones, mas o desempenho do processador Intel é surpreendente. Nos testes de desempenho que realizámos, o smartphone oscilou sempre entre os valores do Galaxy Note 4, um smartphone que custa valores a rondar os 500€, o que demonstra a potência deste equipamento.

Também não nos podemos esquecer que “ao lado deste processador” estão 4GB de RAM que ajudam muito o seu desempenho, o que é muito bom. Sem dúvida que é um smartphone para durar muitos anos. Segue-se alguns testes de desempenho.

Há ainda a bateria que durou dois dias de utilização, com certeza de que poderia puxar um pouco mais pelo smartphone antes de ficar totalmente sem bateria no segundo dia, mas é um desempenho que já considero standard aos smartphones e o mínimo aceitável numa utilização moderada.

Câmara e Multimédia

davA câmara é um dos fatores que mais influência tem quando escolhemos um smartphone e a câmara deste Zenfone 2 cumpre as expectativas. Como está claro, está longe da qualidade que conseguimos com smartphones como o iPhone 6S, LG G4 ou Galaxy S6, mas é uma boa câmara fotográfica.

Consegue tirar boas fotos com boa luminosidade, sendo que as fotografias com pouca luminosidade não ficam perfeitas, mas para isso a Asus criou uma solução. A Asus criou um modo de baixa luminosidade muito bom e que obtém fotos muito interessantes. Claro que terá de ficar o mais estático possível, mas no final a qualidade fotográfica neste modo está quase ao nível do iPhone 6S, o que me surpreendeu bastante.

Modo Baixa Luminosidade
Modo Baixa Luminosidade

No entanto, quando tiramos fotos no modo automático, por vezes houve algumas falhas no equilíbrio das cores, sendo que algumas fotografias ficaram mais escuras do que deveriam estar. Portanto, verifica-se alguma instabilidade no resultado final da câmara. Pode ver as imagens originais na nossa página do Flickr.

Jpeg Jpeg Jpeg

A captura de vídeo também é boa, no entanto como não conta com estabilizador ótico nem captação 4K, o que também achamos que o 4K ainda não vale a pena.

Experimentámos na visualização de vídeos e jogos e tudo correu às mil maravilhas, como seria de esperar de um smartphone desta qualidade, nomeadamente com 4GB de RAM. De adicionar que com um ecrã de 5,5 polegadas, a visualização de conteúdos sai sempre a ganhar.

Veredito: Asus Zenfone 2

davÉ, sem qualquer dúvida, uma excelente aposta da Asus e uma aposta ganha. Se olharmos para a concorrência nesta gama de preço, não há nenhum equipamento que chegue ao mesmo nível deste Asus Zenfone 2.

Com um excelente desempenho, 4GB de RAM, é um dos melhores preço/qualidade no mercado, sendo o preço um dos aspetos positivos deste equipamento. Apesar de a câmara não ter um excelente desempenho e por vezes um pouco instável, o modo de baixa luminosidade mostra que é possível oferecer fotos de boa qualidade com pouca luminosidade em smartphones mais acessíveis.

Mas há um aspeto que é uma grande falha da Asus, a colocação do botão de ligar/desligar. É verdade que temos a opção de ligar/desligar o ecrã tocando duas vezes no ecrã, mas não deixa de ser considerada uma falha por parte da equipa de design a colocação deste botão, principalmente num smartphone tão grande com um ecrã de 5,5 polegadas. Também os botões capacitivos não têm iluminação, o que dificulta um pouco, mas o que mais me chateou são as dezenas de aplicações pré-instaladas no equipamento.

Pontos a Favor:

  • Preço
  • Desempenho
  • 4GB de RAM
  • Modo de baixa luminosidade da câmara

Pontos Contra:

  • Localização do botão Ligar/Desligar
  • Botões frontais sem retroiluminição
  • Dezenas de aplicações pré-instaladas

Desde já agradecemos à Asus por nos ter disponibilizado o Asus Zenfone 2 para análise, que já está à venda no mercado nacional por 349€. Segue-se a nossa galeria de imagens:

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here