Análise: iOS 6

Já tínhamos anunciado na nossa página do Facebook que a Vodafone tinha enviado um iPhone 5 para analisarmos. Vamos começar por indicar as novidades e o que achamos sobre o iOS 6.

Nunca foi muito fã do sistema operativo da Apple devido à “exclusividade” que a Apple obriga entre os seus dispositivos. Uma coisa que me irrita profundamente é o não poder enviar uma imagem via bluetooth para outro smartphone que não Apple. Mas porquê? Esta é uma das razões porque nunca ponderei comprar um iPhone em vez de um smarpthone Android.

No entanto, esta exclusividade tem as suas coisas boas, a interação entre os vários dispositivos Apple é única e muito melhor do que outros sistemas operativos. Agora apareceu o Windows 8, com melhoramentos, mas ainda é muito cedo para termos alguma perceção se consegue, ou não, rivalizar com os dispositivos Apple.

Esta nova versão do iOS, que já vai na sexta versão, traz grandes novidades, onde destacamos a independência total do Google, o iOS deixou de usar o Google Maps e, até, a aplicação do YouTube que estava instalado como padrão, deixou de estar, mas a aplicação do youtube está disponível na App Store. Além desta alteração, também há novidades, como o Passbook, FaceTime através do 3G, Apple Maps e a integração quase total do Facebook com o iOS. Será que o iOS 6 continua bom?

Compatibilidade

A grande vantagem do sistema operativo da Apple em relação aos concorrentes é a atualização e compatibilidades entre os sistemas operativos e os vários dispositivos, mesmo com alguns anos de diferença. Sem dúvida que, aqui, a Apple leva grande vantagem sobre qualquer concorrentes, com um bom números de dispositivos a receberem o iOS 6, sendo o mais antigo o iPhone 3GS.

Os dispositivos Apple que receberam o iOS6 são o iPhone 5, iPhone 4S, iPhone 4, iPhone 3GS, Novo iPad (iPad 3), iPad 2, iPod touch 5ª geração e o iPod touch 4ª geração.

Apesar desta grande vantagem da Apple, nem todas as funcionalidades das novas versões do iOS ficam disponíveis em todos os dispositivos, por isso deixo aqui um quadro de algumas funcionalidades que não funcionam nos anteriores.

Vemos que dispositivos mais antigos, apesar de receberem a atualização para o iOS 6 não terão acesso a algumas das funcionalidades, nomeadamente os mais antigos, devido ao hardware não ser compatível e não gerar problemas como aconteceram anteriormente, onde dispositivos mais antigos perdiam muito desempenho devido às atualizações, além de maior gasto de bateria. Por isso, a Apple tomou algumas decisões em limitar algumas funcionalidades.

Design

Tudo igual, é a única palavra que nos vem à cabeça ao vermos o iOS 6. Este layout não é modificado há 6 anos, desde a sua primeira versão. É verdade que foi revolucionária e que foi surpreendente, mas passados 6 anos já estava mais que na altura de modificar um pouco.

Claro que estou a exagerar quando digo que está tudo igual, pois não está, tem havido várias modificações, como na barra de notificações ou a criação da App Store, mas o design e o layout em si, pouco ou nada mudaram, totalmente diferente de outros sistemas operativos móveis que têm modificado o layout, como o Android ou o Windows Phone.

Desde ao calendário ao relógio, houve várias mudanças, aliás a Apple anunciou mais de 200 novidades nesta nova versão do iOS 6, por isso é óbvio que há imensas mudanças. Agora vamos passar a algumas funcionalidades mais específicas que fazem a diferença nesta nova versão do iOS.

Apple Mapas/Flyover/Navegação

Ok, é verdade que tem sido a mais criticada mas é a que mais se destaca no iOS 6, pois significa o início da independência do Google. Nas versões anteriores  o Google Maps era o sistema de navegação que o iOS trazia de origem. Com a criação de um sistema próprio, em parceria com a Tom Tom, a Apple pretendeu retirar o Google Maps e ter a sua própria aplicação, mas que não correu muito bom. As críticas aumentaram devido aos inúmeros erros e obrigou Tim Cook a pedir desculpas aos utilizadores.

E há razões para isso? Há e bastantes. Eu uso Android e quando preciso uso bastante o Googe Maps e o Navigation e tanto a precisão como as informações durante a condução são excelentes. Mas o Apple Maps fica muito atrás.

Experimentei o uso do Apple Maps em algumas viagens que fiz, para perceber se as informações eram bem dadas e nem por isso. Numa rotunda, ouvi a informação de que tinha de “sair na 12º saída”. Não estou a brincar, até eu teria pensado que tinha percebido mal se a minha namorada não estivesse ao meu lado a confirmar o que tinha acabado de ouvir. A saída era a segunda.

Numa outra situação, o Apple Maps indicou-me que, numa rotunda, tinha de sair na 1ª saída para Sintra. O problema é que logo a seguir a saída havia duas vias, uma para ir para Sintra outra para ir para Monte Abraão, onde eu queria ir e o mapa estava a indicar o sítio correto, mas não me disse nada. Se eu não conhecesse teria seguido a informação que me indicou e entrar na IC19 para Sintra ou tinha de ter olhado para o iPhone para perceber qual o caminho correto. Para tirar as dúvidas, uns dias depois usei o Google Maps e informou-me que tinha de me encostar à esquerda para Monte Abraão.

No entanto, também há coisas boas, não é só coisas más. A informação de trânsito está excelente, o que o Google Maps nem sequer oferece para Portugal. O Apple Maps vai buscar a informação ao TomTom, mas a informação de trânsito é paga em versões do GPS, enquanto no Apple Maps é grátis. Enquanto no Android 4.2 temos algumas novidades no sistema operativo que não conseguimos tirar partido, pelo menos no trânsito do Apple Maps temos as informações corretas.

Outro pormenor que gostei no Apple Maps foi escolher as estradas a seguir. Quando introduz um destino, ele calcula algumas possibilidades, para que vocês escolha a que mais lhe agrada.

Além da TomTom, a Apple também tem uma parceria com a Yelp, que permite ter acessos a uma vasta base de dados sobre zonas de interesse, como cafés restaurantes, museus ou parques. No entanto, sendo um site norte-americano, não temos muita informação sobre as coisas em Portugal. No entanto, em várias informações sobre restaurantes é-nos indicado o número de telefone, o que já não é mau. Mas acedi ao Maps e “fui” até ao BigBen. Foi-me indicado que havia 73 críticas, indicando-me as estrelas, abri a localização, para obter mais informações e acedi, além da morada aos comentários de várias pessoas e a fotografias. Aliás, as fotografias vão passado em pano de fundo, uma excelente informação, digo desde já. Acedi ao Yelp e não encontrei qualquer informação sobre Portugal, por isso ainda não vamos conseguir tirar muito partido desta funcionalidade.

Outra funcionalidade interessante é o o Flyover, uma versão do Google Street View, mas com imagens em 3D. Sem dúvida que é excelente, mas só algumas cidades é que estão disponíveis. “Voltei” a Londres e gostei muito do que vi, uma boa definição de imagem dos edificíos, bem como do BigBen. É uma funcionalidade interessante para “visitar” as cidades mais importantes, mas limitada só a algumas cidades. como seria de esperar, nenhuma cidade portuguesa tem esta funcionalidade ativa, é-nos mostrado uma imagem estilo satélite, mas com alguns bugs.

Se bem se lembram, o Apple Maps foi muito criticado devido a imagens esquisitas e a nossa Ponte 25 de Abril é bem um exemplo disso, ou será uma onda gigante?

A minha experiência com o Apple Maps foi satisfatória, mas fica bem a trás do Google Maps. É verdade que é uma comparação “injusta” já que estamos a falar de uma aplicação totalmente nova, contra uma aplicação com vários anos de experiência e melhoramentos, no entanto a comparação tem de ser feita, pois era o Google Maps que tínhamos antes de a Apple trazer o seu sistema próprio. No entanto, tendo em conta que há tantos melhoramentos a fazer, certamente que a Apple os irá fazer e, acredito, que numa próxima versão do iOS estará muito melhorado e a um nível perto do concorrente Google.

Siri

Aqui há várias novidades. O Siri ainda está em fase Beta, mas sofreu enormes melhoramentos. Percebe-nos cada vez melhor e tem, cada vez, mais informações. Há mais 5 línguas disponíveis, espanhol, italiano, coreano, mandarim e cantonês, estando agora disponível para 15 países, com línguas e sotaques diferentes.

O Siri também está disponível em mais dispositivos, além do iPhone 4S e iPhone 5, também o Novo iPad (iPad 3) e o iPod touch 5ª geração têm esta funcionalidade disponível.

As novidades são bastantes. Desde abrir aplicações até mais informações a que o Siri tem acesso direto, o Siri recebeu uma atualização excelente que irá agradar mesmo aos que não gostem muito de usar a funcionalidade, por não falar em português. É verdade que estamos sempre limitados, pois a informação que nos interesse diretamente é escassa, mas para abrir uma aplicação ou saber um resultado de um jogo de futebol do campeonato inglês, o Siri vai ajudar bastante.

A partir do Siri podemos postar no Facebook ou Twitter, saber resultados desportivos, abrir uma aplicação, introduzir uma lembrança, saber como vai a bolsa ou indicar o seu destino e o Siri envia-o para o Maps para começar um destino a partir da sua localização. Também permite a “procura local”, como restaurantes ou museus, bem como muito mais informação sobre desporto. O mercado norte-americano é o que sai mais beneficiado, mas o futebol internacional também, como as primeiras divisões de Inglaterra, França, Alemanha ou Espanha. Não vai encontrar nenhum informação sobre o Benfica ou o Porto.

A grande novidade do Siri é a precisão com que nos compreende. Devo dizer que o meu inglês não é perfeito, muito menos o sotaque, mas, praticamente, sempre percebeu o que queria dizer, encontrando a informação.

FaceTime em 3G, Passbook e Facebook

Aqui estão três novidades do iOS6, O Passbook, uma novidade, a integração do Facebook com o sistema operativo  como o Twitter já tem, e a possibilidade de poder usar o FaceTime em 3G.

O Passbook é uma boa novidade, mas sem NFC. Quando a Apple anunciou esta funcionalidade, todos pensaram que o iPhone 5 já trazia o NFC, transmissão de dados de curto alcance, mas não aconteceu. O Passbook serve para substituirmos a nossa carteira, pensou-se, mas sem NFC isso não acontece e só serve para o mais “básico”.

O Passbook permite guardar na aplicação cupões, cartões de embarque do aeroporto, bilhetes para concertos, bilhetes de cinema, das mais variadas hipóteses que possa envolver vales ou papéis com códigos, podem integrar nesta nova funcionalidade. Facilmente podemos imaginar a comprarmos um bilhete de cinema na internet e enviá-lo para o nosso iPhone e, depois, basta mostrar na bilheteira e entramos para ver o nosso filme. No entanto, para isso os programadores e as empresas têm de criar aplicações próprias, o que vai demorar um bocado a acontecer, mas a ideia é bastante boa e vai facilitar bastante para quem tem cupões de desconto.

No entanto, aqui voltamos a ter o problema de estarmos em Portugal. Temos de fazer downloads das aplicações e em Portugal são só 4 aplicações disponíveis para o Passbook, sendo 3 delas companhias aéreas e uma de reserva de hóteis. Não é a TAP e só a Lufthansa é que viaja para Portugal.

A integração com o Facebook é que passa a ser total, tal como já acontece com o Twitter. Podemos partilhar quase tudo no nosso mural, bem como efetuar posts ou partilhar fotografias que acabámos de tirar sem termos de aceder à aplicação do Facebook, tudo através do iOS. Até o próprio Siri pode ser usado para postar no seu mural.

O FaceTime também ganha uma novidade, a possibilidade de o podermos utilizar através do 3G, até ao iOS 6 só podíamos utilizar o FaceTime através do wifi. No entanto, esta é mais uma das novidades que também não vamos utilizar em Portugal, pois as nossas operadoras não o permitem, tal como acontecia nos Estados Unidos. No entanto, nos Estados Unidos, as operadoras estão a adaptar-se a esta novidade, com planos próprios para utilizar o FaceTime através do 3G, vamos ver se em Portugal isso também acontece, para bem dos utilizadores da Apple.

Mail e Safari

Aqui também há bastantes novidades. Quer dizer, novidades para os utilizadores do Safari e do Mail do iPhone, pois quem tem Android já tem algumas destas funcionalidades há algum tempo.

O Safari melhorou a integração com a iCloud, sincronizando os separadores abertos entre os vários dispositivos Apple, permite uma leitura offline de uma página, visualização do site em ecrã inteiro, no iPhone 5 só o permite se o smarpthone estiver na horizontal. No iPad, ainda permite ter 24 separadores abertos.

A atualização para iOS 6 também melhorou a velocidade e o desempenho do browser. Nos testes de desempenho SunSpider e HTML5test conseguiu 938ms e 386 , respetivamente, contra 2266ms e 296 do seu antecessor iPhone 4S, respetivamente. Atenção que no SunPider, o número mais baixo é o melhor resultado. Alias, estes resultados são bem superiores à maioria dos resultados em smartphones com Android.

O Mail também tem bastantes novidades. Ok, só são novidades para os utilizadores do Safari, já que já há vários browsers que têm essa novidade, nomeadamente os utilizadores de smarpthones Android. Agora, já pode anexar imagens e vídeos num email, quando antes só era possível enviar este tipo de ficheiros através de email se fosse primeiro à galeria.

Outras novidades é uma lista VIP, que está integrada com a iCloud, logo será a mesma em outros iDispositivos, e outra novidade é o “pull-to-refresh”, que significa puxar para baixo para atualizar, neste caso, os emails.

Não Incomodar e Panorama

Pode parecer uma funcionalidade supérflua e já existe centenas de aplicações que fazem isto, mas como padrão dá muito jeito.  Certamente que já acordou com alguma notificação que não é importante, como do Facebook ou um email, por se ter esquecido de baixar o volume. Agora já o poderá fazer, sem meter em causa chamadas importantes, desligando o som de certo tipo de notificações, mas deixando outras notificações com som.

Poderá indicar as listas de pessoas que estão “autorizadas” a interromper o sono com chamadas, como permitir só à sua lista, como não permitir a ninguém. Até pode indicar para “aceitar” uma chamada de alguém que não está “autorizado” se fizer dois telefonas com intervalo inferior a 3 minutos. Uma funcionalidade excelente, mas com um “problema”, além das horas em que automáticamente está a funcionar, poderia ter através da localização. Já que o iPhone passa muito tempo com GPS ligado, porque não, também, fazer uso do GPS para esta funcionalidade? Acho que a Apple não concordou comigo.

O software da câmara é que continua, praticamente, igual. Bastante fraco, nomeadamente comparado com outros concorrentes no mercado como o HTC One X. Permite tirar fotografias com HDR, sem HDR e Panorama, meter flash, escolher a câmara para tirar fotografias e o vídeo ainda menos funções. Claramente a Apple não aposta no iPhone para substituir uma câmara digital oferecendo um grande software, simplesmente é um excelente dispositivo para tirar fotografias quando precisamos.

A novidade no iOS 6 e no software da câmara é o Panorama, que permite tirar uma fotografia que vai até aos 28MP de uma forma bastante fácil. Aliás, enquanto está a tirar uma fotografia, ele vai dizendo para ir mais depressa ou mais devagar e subir ou descer o iPhone, para tirar uma boa fotografia.

Outras funcionalidades

A realidade é que é, quase, impossível fazer um artigo de análise ao iOS 6 referindo todas as funcionalidades. Segundo a Apple,o iOS 6 tem mais de 200 novidades e nós não sabemos o que eles consideram como novidade. No entanto, já referimos as principais novidades desta nova versão do sistema operativo móvel da Apple. No entanto, agora deixou aqui mais algumas novidades.

Find my Friends/Find my iPhone: Certamente que conhece esta funcionalidade, agora um pouco melhorada. Há um “modo Perdido” que permite que liga um som ruidoso e permite indicar um número de telefone para que a pessoa que encontrar possa ligar para devolver o dispositivo. O Find My Friends adicionou a Geolocalização, que permite receber uma notificação quando chega/deixa um certo sítio. Um bom exemplo é o uso que os pais podem dar com os seus filhos, para saberem quando eles chegam/saiam de casa ou da escola.

Lembretes: Esta funcionalidade também recebeu umas pequenas melhorias. No iOS6 já poderemos adicionar uma localização manualmente, para que nos avise de alguma tarefa a fazer naquele sítio, não sendo obrigatório já ter lá estado, com era necessário na versão anterior.

Shared Photo Streams: Esta funcionalidade permite que envie as fotografias para a “nuvem” e depois seja-lhe indicada um link que poderá fornecer aos seus amigos/familiares para acederem a um conjunto de fotografias.

Conforme formos “descobrindo” mais algumas novidades, atualizamos o artigo, no entanto, as principais novidades do iOS 6 já estão aqui descritas.

Veredito

Vou começar com a mesma frase que comecei esta análise: Nunca foi muito fã do sistema operativo da Apple, no entanto, fiquei convencido. Não, continua a achar que o Android é um sistema operativo mais completo e melhor que o do iOS, no entanto o sistema operativo móvel da Apple é muito poderoso. É tudo muito intuitivo, muito simples, até a minha mãe, senhora de 52 anos que não é grande fã destas novas tecnologias, mexeu um pouco no smarpthone e pareceu “fácil”. É isso mesmo, o iOS continua muito intuitivo e simples.

No entanto  há alguns utilizadores da Apple que não ficarão muito contentes com esta actualização. Não é que o sistema operativo fique mais lento em dispositivos anteriores, mas há várias funcionalidades que não estão presentes como o FaceTime por 3G, o Siri ou a Navegação. Porque é que, sendo que o Maps usa o TomTom, é possível ter a Navegação por GPS num iPhone 4S e não num iPhone 4, quando a aplicação do TomTom funciona em ambos? Porque o iPhone 4S permite FaceTimes por 3G, quando o iPhone 4 tem FaceTime por Wifi e não funciona por 3g? Se tem FaceTime por Wifi e funciona bastante bem…

No fundo, a grande crítica que era feita ao Android por ter várias versões do sistema operativo no mercado, a Apple está a fazer da mesma forma mas de maneira diferente. Se disponibilizar um novo sistema operativo, mas não o atualiza para todos iguais, não podemos comparar ao Android 4.0 ou Android 4.1? A única diferença é ter algumas novas funcionalidade, enquanto no Android não recebe nada de novas funcionalidades. Há algumas funcionalidades que até compreendemos, como o Siri, mas o FaceTime por 3G deveria funcionar no iPhone 4, também.

O que me irrita neste sistema operativo é termos bluetooth mas não podemos enviar uma foto diretamente para outro dispositivos que não use Apple, bem como termos de usar o iTunes para meter tudo o que queremos para o nosso iPhone. Tudo o resto é excelente e demonstra que, apesar de não inovar e revolucionar ao estilo Apple, continua a ser um sistema operativo excelente.

Pontos a Favor:

+ Siri está melhor, muito melhor

+ Passbook tem potencial e é uma excelente ideia

+ Integração com o Facebook

Pontos Contra:

– Apple Maps cheio de bugs e Flyover limitado

– Versão do iOS 6 é diferente entre dispositivos

– Sem inovação na interface do iOS

Portanto, não hesite em instalar esta nova atualização para o iOS 6. Todas as funcionalidades novas justificam a atualização e mesmo o Apple Maps, que foi substituir o Google Maps, é bom e tem potencial, é uma questão de a Aple continuar a trabalhar, tem o TomTom por trás que já é uma das melhores empresas de GPS do mundo. Aqui fica uma galeria de imagens do iOS 6.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here