YouTube vai ter mais publicidade obrigatória

O YouTube está a expandir o seu programa de publicidade que não dá para saltar. A companhia anunciou que todos os criadores que consigam monetizar conteúdo no YouTube poderão brevemente ser capazes de activar anúncios “obrigatórios”. Os YouTubers receberão em breve uma notificação desta nova possibilidade.

A diferença destes anúncios para os que dá para saltar prende-se sobretudo com o preço: os anúncios que não dão para saltar são, obviamente, mais caros.

Youtube logo

Incentivar à monetização dos canais

O YouTube está a sentir uma concorrência cada vez maior de outras plataformas e, assim sendo, tem interesse que os seus criadores de conteúdo permaneçam fiéis à plataforma. Asim sendo, esta medida poderá ser mais uma na direcção de fidelizar os YouTubers à plataforma. É também uma forma da Google arrecadar mais dinheiro, na medida em que uma parte dos rendimentos de publicidade seguem directamente para a empresa.

Uma activação que é retroactiva

Quando um YouTuber decide activar os anúncios que não dão para saltar no seu canal, até mesmo os vídeos publicados anteriormente poderão utilizá-los.

Serão também introduzidas novas ferramentas de métricas para que os criadores possam verificar o interesse da audiência nos seus vídeos em função deste tipo de publicidade, assim como novas métricas de monetização dos vídeos.

Isto significará mais publicidade obrigatória na plataforma

Na prática, com a possibilidade de qualquer YouTuber monetizado de activar publicidade obrigatória, isto significa que este tipo de anúncios irá aumentar bastante no YouTube. Por agora, não é claro se a experiência de YouTube poderá alterar na perspectiva de quem está a visualizar vídeos.

Este tipo de publicidade tem, no entanto, certos limites. Cada vídeo de publicidade obrigatório tem uma limitação mais apertada do que as não obrigatórias: estes vídeos só podem ter uma duração máxima de 20 segundos. Esta limitação foi introduzida em Janeiro. Assim sendo, o tempo de espera não é demasiado dramático.

Fonte: The Verge

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here