Ensaio Model X: a review ao SUV luxuoso da Tesla

Fala-se muito sobre o Diesel, o quão poluente é e temos alguns países europeus que apontam o fim do diesel para breve, sendo que em situação oposta estão os automóveis elétricos que tem vindo a evoluir e praticamente todas as marcas têm apostado neste “tipo” de automóvel.

Não é o primeiro elétrico que conduzo, mas sem dúvida que a oportunidade de ensaiar um Tesla é muito interessante e uma experiência que vale a pena, já que grande parte das opiniões sobre o automóvel que se lê na internet são muito positivas, assim como sobre as  apostas online Portugal. E, após os dias que experimentei o Tesla Model X, estou totalmente de acordo.

Dimensões e design

A Tesla entrou no mundo dos SUV de luxo com o Model X. Trata-se de um automóvel elétrico com o design típico de um SUV coupé. A linha do tejadilho forma um arco dando-lhe um aspeto muito fluído. É detentor do maior para-brisas panorâmico construído, totalmente em vidro, proporcionando uma visão para o exterior inigualável e impressionante. A película solar otimizada e a visão livre de obstruções criam uma visibilidade ampla quer ao condutor, quer aos passageiros.

O seu exterior é de grande dimensão: 5,03 metros de comprimento, 2,07 metros de largura e 1,68 metros de comprimento. As rodas, cujas jantes variam entre 20 e 22 polegadas dão um grande contributo para o seu ar robusto.

As portas traseiras Falcon Wings dão-lhe um aspeto futurista, são bipartidas, abrindo na vertical e fazendo um movimento lateral na fase final de abertura, sendo elétricas a sua abertura não representa nenhum esforço adicional de utilização. Estas portas permitem facilidade de acesso aos bancos das segunda e terceira filas mesmo em lugares de estacionamento apertados.

Apesar de futuristas e de impressionarem os outros, não considero que seja muito prático. Isto, porque, se precisar de parar no meio do trânsito para alguém entrar, ainda são alguns segundos de espera para que a porta abra e depois feche, antes de poder arrancar com o automóvel.

Habitabilidade, capacidade e interiores

A habitabilidade é um dos pontos fortes do Model X, existindo a possibilidade de três configurações distintas: 5, 6 ou 7 lugares. Isto é possível graças à distância de 2,965 metros entre eixos.

A segunda fila movimenta-se de forma a dar acesso à terceira fila que pode ser comodamente ocupada por dois adultos de estatura baixa.

Este modelo não tem rival no que diz respeito à capacidade de carga, reforçando neste aspeto o seu forte cariz familiar, tem disponíveis 1090 litros aos quais se podem somar os 187 litros de um compartimento situado na dianteira, compartimento esse que serve também como zona de deformação de forma a absorver os impactos.

Possui um habitáculo amplo revestido de materiais de qualidade luxuosa, couro e fibra de carbono, que fazem uma plena simbiose entre o classicismo e o minimalismo, este minimalismo é levado ao extremo pois leva a  que todo o funcionamento se restrinja a uma ecrã central de 17 polegadas. Depois de adquirida alguma familiaridade com o equipamento este torna-se fácil de utilizar assemelhando-se em muito ao funcionamento de um tablet de gama alta.

As atualizações de software são regulares e automáticas. Os mapas e a navegação baseiam-se no trânsito em tempo real. Possui um sistema de áudio personalizado com 17 altifalantes com ímanes de neodímio. Permite acesso a conteúdo multimédia através de rádio FM, Bluetooth e dispositivos de áudio USB.

Diferentes versões e autonomia

Podemos encontrar o Model X em três versões distintas: 75D, 100D, P100D.

Na versão 75D encontramos uma bateria de 75kWh que permite uma autonomia de 417 km sendo que o tempo de carga se situa em cerca de 9 horas. A sua potência de 333 cv permite uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 5,2 segundos e permite atingir os 210 km/h.

A versão 100D alberga uma bateria de 100kWh com uma autonomia de 565 km demorando cerca de 12 horas a carregar. Com uma potência de 423 cv permite ir dos 0 aos 100 km/h em 4,9 segundos atingindo uma velocidade máxima limitada de 250 km/h.

O P100D mantém uma bateria de 100 kWh mas prima pela sua potência de 612 cv o que leva a que a sua autonomia seja ligeiramente inferior à versão que a antecede situando-se nos 542 km e a sua capacidade de aceleração leva a que faça dos 0 aos 100 km/h em 3,1 segundos. A bateria pode ser carregada em cerca de 11 horas e pode atingir os 250 km. Felizmente, foi esta a versão ensaiada.

Numa tomada doméstica o carregamento total pode atingir as 48 horas. Nos Tesla Wall Conectors a carga é de 50km por hora. Com o carregador supercharger bastam 20 minutos para alcançar 250 km de autonomia.

Apesar da sua potência, a navegação no Model X faz-se num silêncio enigmático conseguido pelo seu fantástico isolamento acústico e pelo baixo ruído do conjunto motriz, este aspeto aliado a uma suspensão pneumática de série cria uma sensação de conforto difícil de igualar. Os bancos aquecidos aquecidos em todo o habitáculo assim como o volante aumentam ainda mais a sensação de conforto.

O seu ponto fraco passa pela pouca navegabilidade off road pois o seu peso, as rodas largas e os pneus de baixo perfil não permitem uma navegação fora do asfalto. Além disso, há alguns barulhos internos que não são aceitáveis num automóvel topo de gama e a este preço.

Autopilot e segurança

O Model X compensa pelo equipamento de série, quer no que respeita à comodidade, quer à segurança, tendo sido o primeiro SUV a receber a classificação de segurança de 5 estrelas pela NCAP dos Estados Unidos, tem uma menor probabilidade de ferimento dos passageiros e o risco de capotamento é metade do que qualquer outro SUV na estrada.

No domínio da segurança devemos ainda destacar que este modelo possui o harware necessário para a funcionalidade de piloto completamente autónomo e com um nível de segurança de condução superior ao de um humano. O Autopilot permite uma direção automática até 150km/h, mudança automática de faixa, acesso (beta), aviso de afastamento de faixa e travagem de emergência automática.

O seu hardware ajuda o condutor a ver tudo o que sozinho não conseguiria ver. Oito câmaras surround proporcionam uma visão de 360 graus e doze sensores ultrassónicos detetam os objetos em torno do veículo. O radar dianteiro permite uma grande visibilidade mesmo com chuva forte, nevoeiro, poeira, e ainda alcança uma distância de visão superior em relação ao veículo que circula à frente o que permite prevenir acidentes ao proporcionar uma visibilidade simultânea em todas as direções.

Tecnologia

Se há carro com tecnologia, sem dúvida que é a Tesla e arrisco a dizer que os automóveis Tesla são o que contêm mais tecnologia do mercado. Basta entrarmos no automóvel e verificarmos que há muito poucos botões e perceberemos que controlamos, praticamente, tudo através do enorme ecrã que se situa na parte frontal do automóvel, para não haver grandes dúvidas que em termos tecnológicos é do melhor que há.

Neste tablet tem todas as opções e mais algumas. Aliás, as opções são tantas, que os pouco mais de quatro dias que tive o Tesla Model X não foram suficientes para experimentar tudo, mas deu para ficar com uma ideia do que é possível fazer com o automóvel.

O menu principal, permite-nos ter a navegação, a bateria, regular o ar condicionado, o volume, o rádio, entre mais alguns, apenas referindo os principais. Também é possível aceder ao browser ou a jogos, quando o automóvel está parado, o que é ideal para, por exemplo, quando estamos à espera que o Tesla carregue num SuperCharger.

Fazemos um pequeno resumo sobre as configurações possíveis no Tesla:

  • Controlso rápidos: onde poderemos controlar as portas, as luzas exteriores ou o brilho do ecrã
  • Suspensão: onde poderemos controlar a suspensão do automóvel
  • Luzes: controlo das luzes interiores e exteriores
  • Condução: temos algumas opções de condução
  • AutoPilot: onde podemos configurar a condução autónoma do veículo
  • Veículo: algumas opções do veículo
  • Ecrã: opções do ecrã, como a idioma (não tem português) ou o brilho, entre outros
  • Viagem: informações sobre as suas viagens
  • Navegação: informação sobre o GPS
  • Segurança: opções de segurança, sendo que podemos impor uma velocidade máxima, por exemplo
  • Serviço: para quando vai ao mecânico, ou então fazer uma reposição de fábrica.

Quanto ao ecrã por trás do volante, podemos ver a velocidade a que estamos, um gráfico de consumo elétrico, bem como o automóvel mostra o que os sensores estão a detetar, sejam outros automóveis ou mesmo autocarros, demonstrando a qualidade dos sensores do automóvel.

Há ainda a aplicação da Tesla para usarmos no smartphone e que se mostrou muito boa. Por exemplo, permite abrir o automóvel remotamente, o que pode dar jeito para o caso de alguém precisar de colocar alguma coisa no nosso carro, não tendo de me deslocar até lá, mas também podemos ligar as luzes apitar, entre outras.

A funcionalidade que mais me deu jeito é podermos visualizar em que ponto o carregamento da bateria se encontra. Por exemplo, deixa o automóvel a carregar num SuperCharger e vai almoçar. Se quiser esperar que a bateria fique a 100%, basta ir acompanhando a aplicação para perceber quando é que realmente pode sair do restaurante.

Veredito: Model X P100D

Não há grandes dúvidas que estamos perante um automóvel topo de gama e futurista em todo o seu produto, já que os automóveis elétricos são mais económicos e mais potentes, mas também em termos de tecnologia e segurança, o Tesla vem equipamento com toda a tecnologia necessária para implementar a condução autónoma, apesar de estar limitada neste momento devido à leis atuais.

Apesar destas “limitações” o auto pilot da Tesla foi a melhor condução assistida que já ensaiamos até hoje, oferecendo uma excelente segurança durante toda a utilização e com um acerto de condução incrivelmente bom (mas continua a ser um pouco assustador deixá-lo a conduzir sozinho).

O Tesla Model X é luxuoso, potente, praticamente tudo o que podemos querer de um automóvel topo de gama. O grande handicap ainda é a infraestrutura para os carros elétricos e, nomeadamente, da Tesla. Ainda só há cinco postos SuperCharge da Tesla por Portugal inteiro, estando previsto mais cinco para breve, segundo o site da Tesla. Além disso, os sítios com carregadores Tesla também não são muitos.

Comprar este automóvel não é só adquirir o carro, é impossível “sobreviver” com um Tesla sem adquirimos, também, um carregador Tesla para casa, para que possa carregar durante a noite o seu automóvel. Portanto ainda há mais alguns custos “obrigatórios”. O verdadeiro teste ao Tesla é utilizá-lo numa viagem ao interior do país e perceber como se comporta, o que contamos em fazê-lo em breve e publicar toda a aventura.

Portanto, o Tesla Model X é excelente, um topo de gama que vale o que se paga por ele, mas obriga a uma gestão pormenorizada quanto à autonomia do automóvel. Esta parte lembra-me quando adquiri o meu automóvel atual, um Chevrolet Aveo a GPL. Nessa altura, comecei a perceber que ainda não havia pontos de GPL em todo o lado e, por isso, sempre que fazia uma viagem para um sítio novo, tinha de investigar primeiro. Obviamente que há aplicações para smartphone que ajudam nisso.

Mas há uma grande diferença entre o GPL e um carro elétrico. É que quando o GPL acabar, continuo a ter a gasolina para continuar a minha viagem e isso, apesar de ser bem mais caro do que o GPL, permite-me continuar a minha viagem até ao posto mais próximo. Mas isso, não é possível com os carros elétricos e, por isso, todas as viagens têm de ser preparadas ao pormenor, principalmente na primeira vez que for para esse sítio.

Este é portanto um modelo da Tesla muito exclusivo com um espírito muito hi-tech podendo ser adquirido por um mínimo de 102.430€ (versão 75D).

Segue-se a nossa galeria de imagens:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here