Apple e Epic Games ponderam em devolver Fortnite à App Store

Ao que parece na batalha entre a Epic Games e a Apple, ambos foram poupados no tribunal federal no que toca à questão de restabelecer o tão popular jogo Fortnite na App Store da Apple, levantando argumentos antitrust que poderão reformular uma parte chave da economia da internet e a forma como as pessoas utilizam os seus smarphones hoje em dia.

Na audiência, a Epic expôs as suas alegações dizendo que a Apple estava a abusar do seu poder. De lembrar que a luta começou no mês passado quando a Epic tentou cobrar os seus próprios pagamentos pelo Fortnite sem passar pela App Store, quebrando assim as regras da Apple. Resultado: Expulsão do Fortnite da app Store. Resposta da Epic: processou a Apple, acusando-a assim de violar as leis anti-monopólio.

Epic defende que a relutância da Apple em deixá-la usar o seu próprio sistema de pagamentos era anti concorrencial e monopolista. a apple contra argumentou dizendo que a Epic tinha criado uma “ferida auto-infligida”, não cumprindo a sua politica de pagamento. Disse também que a Epic tinha muitas formas alternativas de distribuir os seus jogos.

A juíza que presidiu a audiência, a juíza Yvonne Gonzalez Rogers terminou a mesma com a recomendação de um julgamento por júri no caso em Julho. Nos próximos dias a juíza deve decidir-se se a Apple deve autorizar o Fortnite a regressar à sua app Store e apoiar o Unreal Engine, que são as ferramentas de desenvolvimento de software da Epic.

Mas isto já não está a ser uma mera batalha de vontades, mas sim, como escrutínio do poder dos gigantes da tecnologia. Durante meses, o Departamento de Justiça, a Comissão Federal de Comércio, os procuradores-gerais estaduais e os legisladores da Câmara investigaram o poder das empresas e se estas asfixiam a concorrência  e prejudicam os consumidores.

Resultado: O Departamento de Justiça está a preparar um processo contra a Google com alegações de práticas de busca anticorrenciais, enquanto que o Congresso deverá publicar um relatório de um ano de investigação antitrust sobre as grandes plataformas tecnológicas.

Isto poderá ser o inicio de algo muito maior e que poderá realmente mudar a formas como os grandes têm trabalho até então e a forma como nós usamos os nossos smartphones e iphones.

Fonte: NYTimes

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here