Análise ao Samsung Gear S: Primeiro smarwatch (quase) independente

Samsung Gear S (1)

A Samsung inaugurou um segmento de mercado que muitos esperavam, a possibilidade de fazer chamadas e receber mensagens com o seu relógio. Será a aposta certa?

Índice:
Características e Acessórios
Design e ecrã
Desempenho e Bateria
Dependência e Aplicações
Veredito: Samsung Gear S

Se sempre imaginou que no futuro seria possível fazer chamadas e receber mensagens através do seu relógio, o futuro já está aqui, com o novo smartwatch Samsung Gear S. Os relógios inteligentes têm sido um mercado onde todos querem estar, pois acredita-se que terá um grande crescimento nos próximos tempos.

Samsung Gear S (12)A Samsung é a fabricante que mais relógios lançou até hoje, sendo que já analisámos o Gear original, e é a fabricante que mais smartwatchs vendeu durante 2014. Olhando para o Gear original, as melhorias são muitas e, ao contrário do primeiro relógio inteligente da sul-coreana, o Tizen já é bastante funcional. No entanto, este modelo leva o smartwatch a um novo patamar, com suporte a cartão SIM e, assim, permitindo aceder à internet, fazer chamadas, receber chamadas, receber notificações, basicamente muitas das funcionalidades de um smartphone, mas num ecrã muito mais pequeno.

Apesar de já dar para fazer muitas das funcionalidades de um telemóvel, ainda há dependência de um smartphone e, para piorar, tem de ser um da Samsung e de gama média-alta. Quer saber tudo? Leia a análise.

Características e Acessórios

  • Dimensões: 58.1 x 39.9 x 12.5 mm
  • Peso: 67 g
  • Sistema Operativo: Tizen OS
  • Ecrã: Super AMOLED 2″
  • Resolução: 360x480p/300 ppi
  • Processador: Snapdragon 400 dual-core 1,2GHz
  • Memória RAM: 510MB
  • Memória interna: 4GB
  • Bateria: 300 mAh não removível
  • Wi-Fi 802.11 b/g/n
  • GPS com A-GPS, GLONASS
  • Bluetooth 4.1
  • Sensor de batimentos cardíacos e raios UV
  • Acelerómetro, giroscópio, bússola
  • NanoSIM/3G
  • IP67: prova de água e pó

Samsung Gear S (7)Pode dizer-se que o sonho de muitas pessoas sempre foi ter um relógio que permitisse fazer chamadas sem ser necessário um telefone e finalmente temos uma opção válida, graças ao suporte a cartão nanoSIM que o Gear S tem. Mas a Samsung foi mais além, e além do 3G, também tem Wifi e GPS integrado. E não nos poderemos esquecer de dois sensores únicos nos gadgets da Samsung, o sensor de batimentos cardíacos e o sensor de raios UV.

Em termos de processador e todas as outras especificações é o que estávamos à espera, sendo que o destaque vai para o acessório de carregamento, que além de carregar também tem uma bateria interna que permite carregar o seu smartwatch “no caminho”. Um acessório muito importante, nomeadamente se utilizar o 3G no Gear S.

Design e ecrã

Samsung Gear S (13)É no design que há uma grande discórdia, não só devido ao seu tamanho, mas também à sua beleza como equipamento. A verdade é que a construção do Gear S está muito boa, parecendo um smartphone Galaxy em ponto pequeno. O ecrã é curvo e permite que o relógio encaixe no pulso de uma forma muito melhor que a maioria dos relógios inteligentes. A parte traseira é em plástico, sendo a parte frontal em vidro Gorilla Glass, mas isso não é surpreendente.

Ao estilo da Samsung, temos o botão Home em baixo, sendo que ao lado está o sensor de proximidade e luminosidade (esq.) e o sensor de raios UV(dto). Na parte de trás temos um compartimento para o cartão nanoSIM, que é estanque à água, e o sensor de batimentos cardíacos. Na lateral esquerda temos a coluna de som, enquanto microfone se encontra na lateral direita.

Samsung Gear S (16)A pulseira que nos foi cedida é em plástico/borracha, ideal para ser mais versátil, sendo um gadget bonito tanto num momento casual, como para o exercício físico. No entanto é uma pulseira própria e não será fácil personalizarmos o relógio ao nosso gosto, sendo que as opções são muito limitadas ao branco e ao preto. Aliás, nas lojas nacionais é muito difícil encontrar opções, provavelmente terá de recorrer a sites internacionais ou ao eBay para encontrar outras opções.

Os relógios inteligentes ainda estão um pouco grandes, isto é, com um ecrã de duas polegadas o Gear S apresenta um tamanho desconfortável para quem tem pulsos finos, sendo que num pulso feminino este gadget irá parecer uma “coisa muito grande”. No meu caso, num pulso grande onde ficam bem relógios grandes, este equipamento ficará bastante bem. Durante os vários dias que o usei foram diversos os comentários sobre a beleza do relógio, com a referência ao tamanho do gadget.

No meu caso em particular, o Gear S foi bastante confortável durante todo o tempo, não me prejudicando em nada do meu trabalho ou vida pessoal, apesar de ter um tamanho e uma espessura acima da maioria dos relógios.

Samsung Gear S (11)

O relógio é grande por um motivo, tem um ecrã de 2 polegadas. A explicação é que neste ecrã terá de aparecer um teclado para que possamos responder a mensagens e escrever emails, o que é difícil, como seria previsível. Continuando no ecrã, o Super AMOLED de duas polegadas é bastante bom, com uma qualidade ao nível do que estamos habituados.

Tanto noturno como em pleno dia, a visualização do ecrã é bastante boa e conseguimos fazer/ver tudo o que precisamos. Onde encontramos mais problemas é com os ângulos de visualização que não são muito bons, mas razoáveis para um relógio.

Desempenho e bateria

A primeira pergunta que me fizeram foi: Mas isso funciona bem? A resposta depende do objetivo da pergunta. Se quer saber se as chamadas e mensagens são de boa qualidade, a resposta é Sim. Se quer saber se pode deixar o smartphone de lado e só utilizar o Gear S, a resposta é Não.

Samsung Gear S (2)O Samsung Gear S é funcional quando queremos fazer chamadas, enviar mensagens, responder a emails e receber várias notificações, mas tudo o resto é limitado. Devo dizer que acabei surpreendido com a chamada, já que do outro lado ouviu-se bem, sendo que a coluna de som tem um som apropriado, com as normais dificuldades de qualquer coluna num ambiente barulhento. Há também a possibilidade de ligar um auricular bluetooth, já que também é estranho estar a falar para o relógio no meio da rua.

Receber mensagens ou emails é fácil, o problema é responder, já que um ecrã de duas polegadas com um teclado não é suficiente. As letras são muito pequeninas e facilmente se comete erros. Sem dúvida que é necessário um teclado com um dicionário em português para conseguir escolher as palavras certas.

Samsung Gear S (19)É na bateria onde reside muitas das dúvidas nos smartwatchs, já que a maioria não aguenta mais de um dia. Bem, na verdade o Gear S não é diferente, mas piora quando o utilizámos com o cartão 3G. Normalmente e apenas com o bluetooth ligado ao smartphone, durou-nos mais de um dia, poderemos apontar para um dia e meio, sendo que utilizando com o cartão SIM durou umas 12 horas.

Utilizámos três vezes com cartão SIM, sendo que das três vezes em, mais ou menos, 10 horas de utilização a bateria ficou entre os 20 e 15%, com apenas duas ou três chamadas (curtas), algumas mensagens, algumas notificações, basicamente demasiado fraco para ser considerado razoável. Ainda procurámos uma opção de usar apenas o 2G, mas não encontrámos, o que seria uma excelente opção para prolongar a duração da bateria.

Dependência e Aplicações

Mas esqueça se pensa que o Gear S é independente do smartphone, pois não o é. Assim que o comprar e o tirar da caixa, para o ligar ele pedirá um smartphone com o Gear Manager instalado, sendo este outro dos problemas do Gear S, a limitação à Samsung e a alguns smartphones da gama média-alta. Depois, para instalar aplicações só através do Gear Manager no seu Samsung, portanto esqueça a independência do smartphone.

Samsung Gear S (10)Ao olharmos para a loja de aplicações também não ficamos muito satisfeitos, já que há poucas aplicações, sendo a maioria delas “caras de relógio” e muitas delas pagas, e bem pagas pelo que é. Nas aplicações disponíveis há duas a destacar, o Opera mini que permite ter um browser no seu (pequeno) Gear S que permitirá algumas pesquisas, mas não se esqueça que o relógio tem duas polegadas.

Uma aplicação muito interessante é o Navigation, que utiliza o Here Maps, aplicação de GPS da Nokia. Inicialmente terá de sincronizar com o smartphone (outra vez a dependência), mas depois poderá ter indicações facilmente ao andar a pé. Sim, só para andar a pé, transportes públicos incluídos, mas nada de carro, já que, se quiser usar o carro poderá usar o smartphone (continuando a lembrar que o Gear S não é independente do smartphone).

OSamsung Gear S (3)utra aplicação de destaque é o S Health, da própria Samsung que também está presente no Gear. Ao estilo do que temos no Galaxy S5 e Note 4, temos várias formas de monitorização, desde passos a exercício físico como correr ou ciclismo. Aliado a isto temos um sensor de batimentos cardíacos que está bem situado, logo por baixo do relógio e em contacto com o pulso, o que permite o seu uso de forma mais facilitada do que num smartphone. No entanto, o seu funcionamento deixa muito a desejar, já que indica, por diversas vezes, que não conseguiu medir os nossos batimentos cardíacos.

Veredito: Samsung Gear S

Samsung Gear S (8)Fazer telefonemas e receber mensagens num smartphone pode ser o sonho de muitos utilizadores e para esses o Samsung Gear S será ideal, no entanto se pensa que pode substituir o seu smartphone, esqueça. Aliás, um dos grandes problemas é que a independência do smartphone é só teórica, já que para ligar a 1ª vez e instalar aplicações é sempre necessário um smartphone da Samsung, com a própria limitação a dispositivos da fabricante sul-coreana limita o alcance.

É que o Gear S tem bastante potencial, é muito funcional como telefone, tem um ecrã muito bom, uma bateria razoável quando não utiliza um cartão SIM e um conjunto de sensores únicos e muito interessantes, como GPS, o sensor de batimentos cardíacos e sensores de raios UV.

No entanto, o grande contra começa por ser o preço de 399€, um preço demasiado alto para o dispositivo que é e não se pode esquecer de adicionar um smartphone da Samsung de gama média-alta, que também é obrigado a ter. Além disso, a duração de bateria em 3G não é suficiente, bem como o design para um público feminino não é apelativo.

Pontos a Favor:

  • É funcional como telefone
  • Bom ecrã
  • Boa bateria quando em bluetooth
  • GPS, Wifi e sensor de raios UV

Pontos Contra:

  • Preço
  • Bateria quando em 3G
  • Precisa de um smartphone da Samsung
  • Demasiado grande para o público feminino

Desde já agradecemos à Samsung por nos ter disponibilizado o Gear S para a nossa análise e já pode encontrar o equipamento disponível nas lojas de retalho por 399€. Infelizmente não há versões bloqueadas às operadoras, o que permitira ter este equipamento a um preço muito mais interessante. Fique com a nossa galeria de imagens:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here