Amazon já tem o primeiro robô totalmente autônomo que substituí os funcionários

A Amazon anunciou o seu “primeiro robô móvel totalmente autônomo”, destinado a mover grandes mercadorias nos seus armazéns. O robô é chamado de Proteus, e a Amazon diz que pode navegar com segurança em torno dos funcionários humanos, ao contrário de alguns dos seus robôs anteriores que tinham de ser mantidos separados numa área enjaulada.

A Amazon diz que os seus robôs Proteus têm “tecnologia avançada de segurança, percepção e navegação”, num vídeo (estranhamente silencioso) mostra os robôs a acender uma luz verde na frente deles enquanto se movem. Quando um humano entra, o robô fica parado e recomeça após a pessoa se afastar.

A empresa também anunciou vários outros sistemas robóticos. Um deles, chamado Cardinal, é um braço robótico que pode levantar e mover pacotes com um peso de até 23kgs, este é um robô que a Amazon espera implantar nos seus armazéns no próximo ano.

A publicação da Amazon mostra também uma tecnologia que pode permitir que os funcionários possam vir a abandonar os scanners de mão que usam para registrar códigos de barras. Em vez disso, os trabalhadores ficam na frente de um sistema de câmeras que reconhece as embalagens sem parar para digitalizar a etiqueta.

Como costuma acontecer com a nova tecnologia de robôs, existem possíveis preocupações. Apesar dos relatos recentes de que a Amazon poderá em breve ter dificuldades para encontrar trabalhadores, a empresa diz que não pretende construir robôs em vez de contratar pessoas. Um líder da divisão de robótica da Amazon disse explicitamente à Forbes que “substituir pessoas por máquinas é apenas uma falácia” que pode levar uma empresa à falência.

Os robôs podem desempenhar um papel na definição de um ritmo de trabalho que os humanos lutam para acompanhar com segurança, algo que já vimos acontecer na empresa com sistemas de gestão automatizados.

A Amazon afirma que todos os seus novos robôs podem realmente ajudar a melhorar a segurança. A Cardinal opera em locais onde os trabalhadores levantariam e moviam pacotes pesados, um movimento que pode causar ferimentos, e o Proteus poderá “reduzir a necessidade de as pessoas moverem manualmente objetos pesados”. A empresa também está a trabalhar num robô que iria entregar contentores aos trabalhadores, em vez de fazê-los dobrar ou subir para alcançar os itens.

O CEO da Amazon prometeu recentemente abordar sistemicamente as taxas de lesões nos armazéns da empresa, embora tenha minimizado os relatos de que os seus trabalhadores tenham ferimentos, chamando as taxas da empresa de “incompreendidas”.

Fonte: Nytimes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui