Esta pode ser a primeira imagem oficial do OnePlus 6T

Os rumores e vazamentos à respeito do OnePlus 6T estão se intensificando, dado que o próximo top de linha da marca chinesa deve ser oficializado já no próximo mês, mais precisamente em 17 de outubro. Tudo indica que ele será o primeiro smartphone da OnePlus a ser vendido por uma operadora dos Estados Unidos.

Recentemente, Carl Pei, co-fundador da empresa, disse que o OnePlus 6T não terá uma entrada para fones de ouvido, algo que desanimou muitos fãs da marca, embora já era esperado que isso acontecesse em algum momento. Agora, parece que o novo flagship da OnePlus não chegará ao mercado com três câmeras na traseira, como sugeriram diversos rumores.

Uma nova renderização divulgada por Roland Quandt, conhecido por vazar informações precisas sobre smartphones antes do lançamento, deixa bem claro que o OnePlus 6T manterá os dois sensores do modelo anterior, curiosamente na mesma posição. Ele afirma que esta é uma imagem oficial recebida de uma fonte confiável. Portanto, é bastante provável que esse aparelho seja, de fato, o OnePlus 6T.

Evidentemente, a imagem compartilhada por Roland pode entristecer aqueles consumidores que estavam esperando que o aparelho chegasse com três sensores na traseira, no entanto, isso pode ser algo bom, afinal, uma câmera extra certamente aumentaria o preço final.

Entretanto, mesmo sem as três câmeras, é praticamente certo que a OnePlus deverá aumentar o valor do OnePlus 6T, pois a empresa já confirmou que o mesmo terá um leitor de digitais na tela. Isso fica claro na renderização devido a ausência do leitor biométrico posicionado na traseira, assim como vimos no OnePlus 6.

Além disso, a empresa confirmou que seu próximo top de linha será chamado de OnePlus 6T. Em todos os comunicados e entrevistas, representantes da fabricante chinesa nunca mencionaram explicitamente a versão “6T”.

Mas recentemente, o site da Amazon Índia elaborou uma página dedicada ao OnePlus 6T, permitindo cadastrar um e-mail para receber notificações à respeito da disponibilidade assim que o smartphone for lançado.

Como foi dito anteriormente, tudo indica que o próximo top de linha da OnePlus será anunciado em 17 de outubro. Até lá, novas informações certamente irão surgir para revelar mais detalhes à respeito deste aparelho.

Fonte: PhoneArena

Alemanha falha o seu objectivo de ter 1 milhão de carros elétricos até 2020

A Alemanha irá adiar o seu objectivo de ter 1 milhão de carros eléctricos na estrada. O objectivo original era atingir essa marca daqui a dois anos, em 2020. Porém, o objectivo foi alterado para 2022, de acordo com um relatório patrocinado pelo governo.

“Considerando as actuais dinâmicas do mercado, o objectivo de 1 milhão terá provavelmente que ser alterado para 2022,” refere o relatório da Plataforma Nacional Alemã para Mobilidade Elétrica, que foi submetida à chanceler Angela Merkel na quarta-feira.

Novos registos de carros eléctricos mais do que duplicaram na Alemanha o ano passado. Este é um dos mercados para este tipo de veículos que mais cresce no mundo. Estas vendas foram ajudadas pelos subsídios introduzidos em 2016 no valor de cerca de 1 bilião de euros, em parte financiados pela indústria de carros alemã, em parte pelo estado.

No entanto, alguns limites ao maior crescimento deste mercado passam pelo custo dos carros, as suas limitadas distâncias de condução e a falta de pontos de carregamento.

Tornar os impostos menos pesados e aumentar os pontos de carregamento

A coligação governamental alemã planeia facilitar a compra de carros eléctricos facilitando ao nivel dos impostos. Também está nos planos do governo alemão colocar mais 100.000 pontos de carregamento em todo o país para facilitar as viagens nestas viaturas elétricas.

Para além destas medidas, o estado alemão não coloca de lado a ideia de subsidiar directamente estes carros para tornar os transportes no país “mais verdes”.

O Ministro dos Transportes reconhece o atraso alemão

“Nós tivemos com certeza um início atrasado à mobilidade elétrica, mas agora estamos a recuperar,” referiu Andreas Scheuer na quarta-feira. O ministro da economia, Peter Altamaier, referiu que existirão conversas ao nivel europeu em Novembro para promover a produção de baterias para carros eléctricos em solo europeu.

Apesar destes discursos ao mais alto nivel do govero alemão, a verdade é que o país não cumpriu a sua meta.

Fonte: Reuters

Xiaomi Mi A2 ganha nova opção de cor

Há pouco tempo, surgiram rumores que a Xiaomi lançaria uma nova opção de cor para o Mi A2 Lite. No entanto, foi o Mi A2 que se beneficiou do novo tom em vermelho, pois a fabricante chinesa acaba de oficializar esta variante de cor na Índia.

Manu Kumar Jain, vice-presidente global da Xiaomi, postou uma foto em sua conta no Twitter segurando a edição “Mi A2 Red”. O executivo disse que a nova cor representa “amor e excitaçãoe “instantaneamente eleva meu espírito”.

A edição em vermelho começa a ser vendida amanhã na Índia por US$ 236,18. Atualmente, o Mi A2 também pode ser encontrado nas cores: preto, azul e dourado. Como já era de se esperar, o Mi A2 Red Edition traz as mesmas especificações do Mi A2 original.

Sua tela é de 6″ com proteção Gorilla Glass 5 e resolução de 2160×1080 pixels. Na traseira, a Xiaomi inseriu o leitor biométrico, bem como uma porta USB-C na parte inferior. Infelizmente, o Mi A2 não traz entrada para cartão microSD, algo encontrado no seu antecessor.

Por dentro, temos um processador Snapdragon 660 octa-core de 2,2 GHz e GPU Adreno 512. Lembrando que esse é um dos melhores chipsets intermediários da Qualcomm no momento, sendo 20% mais rápido que o Snapdragon 636 e 80% mais rápido que o Snapdragon 625 inserido no Mi A1.

Este smartphone está disponível em três variantes: a primeira com 4GB de RAM e 32GB de armazenamento interno, a segunda com 4GB de RAM e 64GB de armazenamento, e a terceira entrega 6GB de RAM e 128GB de armazenamento.

No departamento de câmeras, há dois sensores na traseira, sendo o principal de 12MP e o secundário de 20MP, ambos com abertura f/1.75, que permite mais entrada de luz. O Mi A2 usa inteligência artificial no modo retrato para melhorar consideravelmente a imagem. Para selfies, o dispositivo também possui um sensor de 20MP, capaz de aplicar o famoso modo retrato.

Para manter o Mi A2 ligado, a Xiaomi inseriu uma bateria de 3.000 mAh, enquanto o Android 8.1 Oreo vem instalado de fábrica, como parte do programa Android One. Isso faz com que o Mi A2 seja um dos primeiros smartphones da Xiaomi a receberem o novo Android Pie.

Fonte: GizMoChina

Meizu 16X é lançado oficialmente

A linha Meizu 16, que por sinal, está atraindo muitos consumidores na China, acaba de ganhar um novo integrante: o Meizu 16X. Este aparelho tem como foco o público mais jovem que está em busca de um dispositivo com recursos interessantes e preço acessível. Na verdade, se pararmos para pensar, o Meizu 16X pode ser considerado uma variante mais básica do Meizu 16.

Ao contrário de outras fabricantes, a Meizu oposta em um design diferente, deixando o controverso entalhe de lado e entregando uma tela com grande aproveitamento. O Meizu 16X possui bordas simétricas e bastante finas nas laterais, adotando o mesmo padrão dos modelos anteriores desta linha.

Seu corpo é feito em metal com acabamento suave na traseira, aumentando a ergonomia. Em geral, seu design é atraente e, sem dúvidas, deve chamar a atenção de muitos consumidores. O Meizu 16X está disponível em três opções de cores:  Jet Black, Noble Gold e Ru White.

Sua tela (o tamanho ainda não foi revelado) traz a tecnologia Super AMOLED com 90,62% de relação tela-corpo. Existe um leitor biométrico inserido no display, que pode desbloquear o aparelho em 0,25 segundos com taxa de reconhecimento de 99,12%.

Por dentro, temos um processador Snapdragon 710 octa-core de 2,2 GHz e GPU Adreno 616. Este chipset da Qualcomm é fabricado em 10nm, garantindo mais desempenho e economia de energia. Portanto, é bastante provável que o Meizu 16X seja mais veloz que o Xiaomi Mi 8 Lite, lançado recente com Snapdragon 660.

O novo intermediário da Meizu poderá ser adquirido em duas variantes: a primeira com 6GB de RAM e 64GB de armazenamento interno, e a segunda com 6GB de RAM e 128GB de armazenamento. O software instalado é o Android 8.1 Oreo, enquanto que a bateria é de 3.100 mAh.

Na traseira, há dois sensores, sendo o principal Sony IMX380 e o secundário Sony IMX350 – ambos de 12MP, com estabilização óptica de imagem, HDR e recursos de inteligência artificial. Graças ao novo Snapdragon 710, o Meizu 16X entrega o Spectra 250, resultando em fotos com mais qualidade. Para selfies, a fabricante chinesa inseriu uma câmera de 20MP.

O Meizu 16X estará disponível para vendas na loja online da Meizu em 26 de setembro. A variante com 6GB de RAM e 64GB de armazenamento custa US$ 306, enquanto o modelo de 6GB+128GB sai por US$ 350.

Fonte: GizMoChina

Xiaomi lança Mi 8 Pro com leitor de digitais na tela

A Xiaomi resolveu expandir ainda mais seu portfólio de smartphones. Há pouco tempo, a empresa lançou o Mi 8 Lite na China, com processador Snapdragon 660 e tela 19:9. No mesmo evento realizado em 19 de setembro, a fabricante apresentou outro modelo: o Mi 8 Pro, chamado anteriormente de Mi 8 Screen Fingerprint Edition.

Esta nova variante do Mi 8 entrega um leitor de digitais na tela (assim como no Mi 8 Explorer Edition) e duas novas opções de cores. De acordo com a Xiaomi, a tecnologia do leitor biométrico foi aprimorada consideravelmente se comparamos com a do Mi 8 Explorer Edition.

O desbloqueio acontece 29% mais rápido e a taxa de sucesso foi aprimorada em 8,8%, entregando mais segurança e velocidade aos usuários do Mi 8 Pro. Este smartphone também chega ao mercado com traseira translúcida, mas os interessadores podem adquiri-lo em duas novas variantes de cor, chamadas: Twilight Gold e Ochre Black.

O Mi 8 Pro traz especificações semelhantes ao do Mi 8 original. Sua tela Super AMOLED é de 6,21″ com resolução de 2248×1080 pixels. Por dentro, temos um processador Snapdragon 845, aliado a 6GB ou 8GB de RAM e 128GB de armazenamento interno.

Na parte de trás, há dois sensores de 12MP com estabilização óptica de imagem e zoom óptico – eles foram posicionados verticalmente no canto superior esquerdo. O entalhe abriga a câmera frontal de 20MP com abertura f/2.0.

Em software, o novo Mi 8 Pro traz o Android 8.1 Oreo instalado de fábrica, enquanto sua bateria é de 3.400 mAh com suporte a tecnologia de carregamento rápido. Outro recurso de segurança além do leitor biométrico sob a tela, é o conjunto de sensores infravermelhos para desbloqueio facial, que também está presente no Mi 8 tradicional.

A pré-venda do Mi 8 Pro já foi iniciada na China – o início das vendas está marcado para 21 de setembro. Se você ficou interessado neste aparelho, saiba que o novo top de linha da Xiaomi tem preço de US$ 467 na variante com 6GB de RAM e 128GB de armazenamento interno, enquanto o modelo mais potente com 8GB de RAM e 128GB de armazenamento sai por US$ 525. Até o momento, não há informações se a Xiaomi pretende comercializar o Mi 8 Pro fora da China.

Fonte: GizMoChina

Xiaomi Mi 8 Lite é anunciado com tela 19:9 e Snapdragon 660

Recentemente, a Xiaomi realizou uma conferência de imprensa na China para anunciar um novo smartphone: o Mi 8 Lite. Como o próprio nome sugere, este aparelho é uma variante mais básica do Mi 8, top de linha da empresa lançado há alguns meses.

Sua tela é de 6,26″ com resolução de 2560×1080 pixels e aspecto 19:9. Por dentro, temos um processador Snapdragon 660 octa-core e GPU Adreno 512. Os interessados no Mi 8 Lite poderão adquiri-lo em três variantes: a primeira com 4GB de RAM e 64GB de armazenamento interno, a segunda com 6GB de RAM e 64GB de armazenamento, e a terceira com os mesmo 6GB de RAM mas agora com 128GB de armazenamento.

No departamento de câmeras, há dois sensores na traseira com recursos de inteligência artificial, sendo o principal de 12MP e o secundário de 5MP com abertura f/1.9. Graças a IA inserida no software, o smartphone consegue reconhecer cenas e aprimorar a qualidade final da imagem automaticamente – também é possível ajustar a intensidade do efeito de desfoque no modo retrato.

Na parte frontal, há uma câmera de 24MP com sensor Sony IMX576 de abertura f/2.2, que por sinal, também entrega recursos de IA. De acordo com a Xiaomi, a nova geração da tecnologia “AI Smart Beauty” foi aplicada.

O Mi 8 Lite possui um corpo de vidro com efeito espelhado exclusivo, graças ao processo de “nano-imersão”, semelhante ao do Huawei P20 Pro. Isso faz com que o aparelho obtenha uma aparência mais premium.

No evento de lançamento, a Xiaomi fez questão de comparar seu novo intermediário com o recém-lançado iPhone XR, mostrando ao público que o Mi 8 Lite é mais fino, possui bordas menos espessas e entrega um entalhe menor no topo da tela.

Em software, a interface MIUI 9.0 baseada no Android 8.1 Oreo vem instalada de fábrica. Para manter o dispositivo ligado, a fabricante chinesa inseriu uma bateria de 3.350 mAh com suporte a tecnologia de carregamento rápido. O Mi 8 Lite chega com o conjunto de conectividade padrão, incluindo: 4G LTE, Wi-Fi, Bluetooth 5.0 e GPS.

Curiosamente, esta é a primeira vez que a Xiaomi lança um smartphone com opções de cores gradiente, sendo elas: Dream Blue, Twilight Gold e Black. A pré-venda já foi iniciada na China, enquanto os envios começam em 25 de setembro.

Quanto ao preço, o Mi 8 Lite com 4GB de RAM e 64GB de armazenamento custa € 175, enquanto a variante de 6GB+64GB sai por € 210. Por outro lado, o modelo com 6GB+128GB pode ser adquirido por € 250.

Fonte: GizMoChina

Governação da Internet

Fórum da Governação da Internet 2018 realiza-se em Aveiro

“Internet: Um jogo de sombras?” é o mote da 7.ª edição da Iniciativa Portuguesa do Fórum da Governação da Internet, que terá lugar na Universidade de Aveiro, no dia 17 de outubro. A Internet das coisas, os metadados (Big Data), a Inteligência Artificial, a tecnologia Blockchain, a Segurança no Ciberespaço e a Desinformação serão alguns dos temas em debate. O programa está disponível aqui.

A Iniciativa Portuguesa do Fórum da Governação da Internet (IPFGI) é uma plataforma que pretende promover a informação, reflexão e debate da forma como a Internet deve ser governada, reunindo todas as partes interessadas (stakeholders), públicos e privados, a academia, a comunidade técnica da Internet e a sociedade em geral para informar, refletir e debater de que forma é que a Internet deve ser governada.

O evento é organizado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), em parceria com a ANACOM (Autoridade Nacional de Comunicações), APDSI (Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação), API (Associação Portuguesa de Imprensa), Associação DNS.PT, Ciência Viva (Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica), CNCS (Centro Nacional de Cibersegurança), IAPMEI (Agência para a Competitividade e Inovação), ISOC-PT (Capítulo Português da ISOC), Pólo TICE.PT, Secretaria Geral da Presidência do Conselho de Ministros e Sociedade Civil.

O lançamento da iniciativa decorreu na sequência de um movimento espontâneo ao nível global que levou várias instituições a organizarem, de forma voluntária, Iniciativas Nacionais e Regionais em várias partes do mundo do Fórum de Governação da Internet. Todas as Iniciativas Nacionais e Regionais aderem aos princípios do IGF espelhados nos artigos 72.º e 73.º da Agenda de Tunes adotada em 2005, na 2.ª fase da Cimeira Mundial sobre a Sociedade da Informação (WSIS – World Summit on Information Society) realizada no âmbito da Organização das Nações Unidas.

Governação da Internet

A reflexão nacional resultante da discussão culmina num documento intitulado “Mensagens”, o qual contribui para o debate mundial, no IGF anual.

Entre 2010 e 2016, a iniciativa foi organizada, em Portugal, como Fórum para a Sociedade da Informação – Governação da Internet, tendo em 2017 assumido a denominação de “Iniciativa Portuguesa sobre a Governação da Internet” e em 2018 “Iniciativa Portuguesa do Fórum da Governação da Internet”.

Pode inscrever-se aqui.

Fonte: Fórum para a Governação da Internet

A Sony vai relançar a primeira PlayStation, 25 anos depois

A Sony vai relançar a sua primeira consola PlayStation lançada há quase 25 anos atrás. A consola vai ser lançada em versão miniatura e chamar-se PlayStation Classic, segundo um anúncio da empresa na quarta-feira.

O dispositivo irá custar $99.99 dólares (na Europa, será vendida por €99.99), e trará instalados 20 dos mais famosos jogos da primeira geração da PlayStation. Entre os jogos podemos contar com Final Fantasy VII, Tekken 3 e Ridge Racer Type 4.

Data de lançamento

Já temos data de lançamento para a “nova” consola da Sony. Será lançada globalmente no dia 3 de Dezembro, a tempo das compras de Natal.

Com o que é que podemos contar nesta consola?

A PlayStation Classic é uma versão miniatura da consola original. Trará 20 jogos instalados e dois comandos clássicos da PS1 (com o tamanho original). Assim sendo, poderá jogar aos clássicos com um amigo. Até agora ainda não temos a lista completa dos 20 jogos. Os jogos confirmados até agora são apenas 5:

– Final Fantasy VII
– Tekken 3
– Ridge Racer Type 4
– Jumping Flash
– Wild Arms

A lista completa de jogos disponibilizados para este relançamento deverá ser anunciada antes do lançamento oficial.

 

Inspirada nos lançamentos da Nintendo

Esta consola é claramente inspirada no conceito da Nintendo, que já relançou as suas consolas NES e SNES em versão Classic. Exactamente como esta PS1, as consolas da Nintendo foram relançadas num formato miniatura, com diversos jogos clássicos instalado e dois comandos iguais aos originais.

Este ano houve um “relançamento do relançamento”. A NES Classic Edition foi um relançamento do sistema original lançado em 2016, tendo sido um grande sucesso de vendas. O dispositivo incluía 30 clássicos da NES, entre os quais o Super Mario Bros. e o Metroid. Esta consola foi relançada no mês de Junho. Estas consolas Classic tem tido uma grande procura e nem sempre tem sido fácil encontrá-las em stock.

Fonte: The Verge

Partilhe nas Redes Sociais

Se gosta do artigo, partilhe com os seus amigos