YouTube limita vídeos de conspiração sobre o coronavírus e 5G

O site vai reduzir as recomendações de vídeos relativos a uma falsa teoria em que diz que há uma ligação entre o 5G e o coronavírus (COVID-19). O Youtube acrescentou uma nova conspiração à sua lista de temas ditos estarem na “fronteira”: neste momento é a flasa teoria que anda por aí a percorrer mundo de que as redes móveis 5G, que são as da próxima geração estão diretamente ligadas ao novo coronavírus e à doença respiratória que provoca, a COVID-19.

O que significa que a plataforma de vídeos YouTube, que é propriedade da Google, vai deixar de recomendar esse tipo de vídeos com a mesma frequência que faz com outros, o que irá levar a uma redução significativa do numero de visualizações desses vídeos, pelo menos assim se espera.

Mas o YouTube, que tem mais de 2 mil milhões de utilizadores mensalmente, deixou de conseguir proibir abertamente os vídeos sobre a falsa teoria

Entretanto o YouTube está a remover vídeos que andam a promover métodos infundados usando medicamentos para prevenir o coronavírus, para além da redução das recomendações aos conteúdos chamados limítrofes, como as teorias da conspiração sobre o 5G e o coronavírus, que podem levar a uma desinformação dos utilizadores de forma muito prejudicial.

Infelizmente, a nova teoria falsa acabou por levar a ataques incendiários a torres telefónicas no Reino Unido. Os médicos dizem que esta teoria é um verdadeiro disparate e os senhores das comunicações pedem às pessoas que parem de queimar torres, pois a única coisa que faz, é as pessoas deixarem de terem conexão numa altura onde esta é mais precisa.

Desde modo, o YouTube vai continuar assim a avaliar o impacto deste tipo de vídeos, trabalhando em conjunto com as autoridades quer de saúde quer governamentais do Reino Unido para ajudar a manter o público seguro e informado… leia-se bem informado.

Em comunicaod oficial, o porta-voz do Youtube diz que “Estamos comprometidos em disponibilizar informação oportuna e útil neste momento crítico, incluindo a criação de conteúdo confiável, a redução da disseminação da desinformação e a exibição de painéis de informação usando dados do NHS e da OMS para ajudar a combater a desinformação. Temos políticas claras que proíbem vídeos que promovam métodos não validados clinicamente para prevenir o coronavírus em vez de promoverem a procura de tratamento médico e removemos rapidamente vídeos que violem essas políticas quando nos são sinalizados. Agora, qualquer conteúdo que ponha em causa a existência ou a transmissão do COVID-19, conforme descrito pela OMS e pelas autoridades locais de saúde, estará a violar as políticas do YouTube. Este conteúdo inclui teorias da conspiração que afirmam que os sintomas são causados pelo 5G. Para conteúdo que se encontre na fronteira entre o aceitável e que viola as regras (borderline content) e que possa confundir e desinformar os utilizadores de maneira prejudicial reduzimos as recomendações. Vamos continuar a avaliar o impacto destes vídeos nas comunidades a nível mundial e esperamos continuar o nosso trabalho com governos e instituições de saúde de forma a manter o público seguro e informado durante este período difícil. ” 

Fonte: CNet

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here