YouTube encerra o teste que tornou 4K um recurso premium

O YouTube terminou a experiência que bloqueou a capacidade de ver vídeos em 4K apenas para quem pagava os 8,49€ ou R$20,90 por mês de assinatura premium, de acordo com uma das suas contas oficiais no Twitter.

No início deste mês, a empresa fez furor quando confirmou numa série de tweets que alguns dos seus utilizadores faziam parte de um teste destinado a explorar “as preferências de funcionalidade Premium e não Premium”, pedindo aos utilizadores para darem feedback sobre a ideia.

O YouTube anunciou que tinha “desligado completamente” a experiência de cobrar aos utilizadores por vídeos com maior resolução, abrindo a opção 4K de volta para todos. O anúncio foi feito em resposta a um tweet malicioso sobre a plataforma que obrigava a subscrições premium. Não é claro quantas pessoas realmente foram impedidas de escolher resoluções mais altas quando o teste estava em vigor.

O Google cobra 6,99€ por mês pelo YouTube Music e 8,49€ ou R$20,90 por mês por mês pelo YouTube Premium, esses preços variam em todo o mundo. A empresa afirma ter mais de 50 milhões de assinantes pagos em ambas as ofertas por todo o mundo.

A assinatura Premium oferece vários recursos como visualização sem anúncios, downloads de vídeo para consumo offline e reprodução em segundo plano. Não está claro quais foram os resultados deste teste, mas é bom ver que o YouTube tenha decidido recuar e cancelá-lo.

O recente teste do YouTube de restringir vídeos 4K apenas a assinantes Premium pode ser um sinal de que a companhia está a começar a sentir pressão para aumentar as receitas. O CEO do YouTube, Sundar Pichai, avisou os empregados em Janeiro que a empresa precisa de ser mais empreendedora, e o seu relatório de ganhos mais recente mostrou que o crescimento das receitas do YouTube tinha abrandado. Por outras palavras, é possível que vejamos mais mudanças como esta no futuro, à medida que o YouTube tenta encontrar novas formas de fazer dinheiro.

Fonte: Techcrunch

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui