YouTube contribui com 50 milhões de euros para a economia portuguesa

O ecossistema criativo do YouTube contribuiu com cerca de 50 milhões de euros para o PIB nacional em 2020 e envolve 3,9 mil postos de trabalho. A conclusão é de um estudo da consultora independente Oxford Economics, que mostra ainda o papel de relevo do YouTube na internacionalização do conteúdo dos portugueses: 72% dos criadores conseguem exportar conteúdo para audiências internacionais que, se optassem pelos media ditos tradicionais, não conseguiriam alcançar.

A Google diz que pela primeira vez foi possível analisar em detalhe o impacto do ecossistema do YouTube em Portugal.

Num post oficial assinado por Francesca Mortari, diretora do YouTube Southern Europe, refere-se que são visualizadas diariamente, em todo o mundo, cerca de mil milhões de horas de vídeo em todo o mundo, gerando receitas substanciais para os criadores do YouTube e outros negócios que, por sua vez, geram atividade económica e empregos nas suas cadeias de valor e na economia em geral.

Os criadores no YouTube – empreendedores criativos independentes, empresas de media ou empresas do setor da música – obtêm receitas diretamente do YouTube, seja através da publicidade ou taxas de licenciamento. Estes pagamentos representam não só um benefício imediato para os criadores mas têm também um efeito multiplicador e de maior alcance pois permitem que os criadores possam comprar a empresas locais e nacionais – mais e novos equipamentos – ou o material necessário para a produção dos seus vídeos (como ingredientes por exemplo, no caso de vídeos de culinária) e até contratarem talento local para tarefas como edição, produção, iluminação ou som para os seus vídeos que serão depois consumidos em Portugal e no mundo.

Os “empreendedores criativos” do YouTube estão a aproveitar as oportunidades proporcionadas, tanto dentro como fora da plataforma, para desenvolverem os seus negócios em Portugal. São criadores com um mínimo de 10 mil subscritores no seu canal bem como criadores com menos subscritores, que obtêm receitas diretamente do YouTube ou de outras fontes de receitas graças aos seus vídeos e/ou que empregam permanentemente outras pessoas para a realização dos seus vídeos. 

O estudo mostra que no YouTube os portugueses podem aprender sobre tudo, tanto para a vida pessoal como profissional. 83% dos professores que usam o YouTube afirmam que usam conteúdos do YouTube nas suas aulas e 78% dos utilizadores com crianças com menos de 13 anos (que usam o YouTube Kids em aulas e para tarefas) concordam que o YouTube Kids torna a aprendizagem mais divertida.

Os vídeos de faça você mesmo (DIY) e como fazer são também bastante procurados, com 62% dos utilizadores a dizerem que assistem regularmente a este tipo de vídeos na plataforma o que mostra que canais educacionais podem ter um grande impacto. O canal português, Get Hands Dirty, com 847 mil subscritores, é disso um exemplo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui