Yahoo vai criar casa de câmbio de criptomoedas

A gigante tecnológica Yahoo deverá entrar, já no próximo ano, no negócio das criptomoedas, uma decisão encarada como natural considerando que acaba de chegar a acordo para a aquisição da operadora japonesa Bitarg.

A informação, que está a ser adiantada pela Bloomberg, adianta que a aquisição da Bitarg terá rondado os 15 milhões de dólares, numa operação que marca a entrada da Yahoo “na área relacionada com [a tecnologia] blockchain e no negócio das moedas virtuais”. Esta operação é encarada como estratégica tendo em conta que a Bitarg já está devidamente licenciada para actuar no mercado cambial das moedas electrónicas pela Agência para os Serviços Financeiros.

O Japão emergiu como um importante centro para o comércio de criptomoedas na Ásia, principalmente após movimentos de restrição da China que forçou o encerramento de bolsas nesse território. A Bitarg foi fundada em Tóquio em Maio do ano passado, com um capital social de 100 milhões de ienes (753,6 mil euros), e é uma das 16 casas de câmbio de criptomoedas autorizadas. O regulador financeiro nipónico endureceu as regras para os operadores de criptomoedas após o roubo, em Janeiro, de que foi alvo a Coincheck, no qual foram furtados milhões de unidades da moeda digital NEM num valor de 58 mil milhões de ienes (437 milhões de euros), naquele que foi o maior ciberataque no sector. Estas movimentações ilícitas despertaram a atenção de alguns dos maiores operadores tradicionais para este mercado.

Segundo aquela fonte, a Mitsubishi UFJ Financial Group (MUFG), maior instituição financeira no Japão no capítulo da gestão de ativos, é um desses exemplos e está a considerar, também ela, uma agência de cambio para “breve”.

A Line, uma aplicação de chat com sede no Japão com mais de 600 milhões de utilizadores registados, também anunciou, em janeiro, que está a estudar os caminhos para criar uma casa de cambio voltada para criptomoedas; que operaria não apenas no Japão, mas também em Hong-King e Luxemburgo.

E, finalmente, o poderosos grupo japonês de banqueiros(SBI), que pretende construir sua própria exchange, embora recentemente tenha atrasado o lançamento visando fortalecer as medidas de segurança – um movimento que veio em resposta ao aumento do cerco da FSA.

Este fenómeno tem conhecido, no Japão, um desenvolvimento considerável nos últimos anos. O resultado de uma sondagem realizada no Japão pelo Instituto de Pesquisa New R25, publicado recentemente no site da empresa, mostrou que 14% dos empresários japoneses entre 25 e 30 anos possuem criptomoedas. Dos 4.734 entrevistados no período de janeiro a março deste ano, 640 disseram possuir criptomoedas. Entre eles, 206 responderam ter sido a primeira experiência nesse novo mercado de investimentos (27,7%). A maior parte respondeu que já investiram em outros tipos de ativos (72,3%).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here