Windows Lite: este pode ser o contra-ataque da Microsoft ao Chrome OS

Rumores de que a Microsoft vem desenvolvendo uma versão simplificada e bloqueada do Windows para dispositivos low-cost vêm surgindo há algum tempo. Primeiro, o nome “Windows Lite” foi visto em um SDK do Windows 10 e, em seguida, o repórter Brad Sams alegou que havia conversado com os funcionários da Microsoft.

Agora, parece que, além das mudanças estruturais, o Windows Lite também terá uma mudança estética que inclui a queda de peças ao vivo.

De acordo com fontes que falaram com o Windows Central, o Windows Lite contará com um inicializador estático de aplicações no lugar do menu Iniciar do Windows 10, como o Chrome OS, o Android e o iOS.

Isso significa que o Windows Lite provavelmente derrubará o suporte do Live Tiles, um recurso atual do Windows 10 que permite que as aplicações transmitam informações no lugar de seu ícone, como informações sobre o tempo em tempo real ou quantos e-mails não lidos há.

A Microsoft aparentemente tem dois motivos para cortar o recurso: primeiro, não é muito popular. Muito poucos utilizadores abrem o menu Iniciar para ver os blocos e isso significa que mesmo as principais aplicações não estão focadas em aproveitar o recurso. Segundo, a linguagem geral de design do Windows Lite será mais simples para reduzir os requisitos do sistema, e redesenhar o menu Iniciar faz parte disso.

Como podemos ver numa “imagem conceito” baseado nas informações, o Windows Lite provavelmente será mais colorido e trará de volta algumas das curvas suaves e a sensação confortável do Windows 7. Também permitirá um bom desempenho em produtos com especificações mais fracas, tal como o Chrome OS da Google, espera-se que o Windows Lite seja concebido para sistemas que possam ter apenas 32 GB de armazenamento ou 2 GB de RAM.

Para conseguir essa façanha, o Windows Lite pode limitar a instalação de aplicações às disponíveis através do Windows Store, tornando este produto similar ao Windows RT. Por agora, ainda não há informações oficiais e são apenas rumores, mas a ideia da Microsoft é clara: atacar o mercado do Chrome OS que tem crescido nos últimos tempos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here