Volvo cresceu 2,38 mil milhões de euros em receitas face a 2020

O resultado operacional da Volvo Cars evoluiu positivamente em cerca de 1.264,09 milhões de euros face ao primeiro trimestre de 2020 — representado por uma margem operacional de 8,2% — isto num universo de aumento de receitas nos primeiros nove meses do ano face a período homólogo do ano passado que chegou aos 2,38 mil milhões de euros. Isto acontece numa altura em que grande parte das construtoras enfrentam uma grave escassez de semicondutores.

No entanto, apesar do crescimento verificado, a Volvo constatou que no terceiro trimestre deste ano sofreu um decréscimo da procura que se refletiu nas receitas totais situando-se nos 59,12 mil milhões de euros de faturação — uma quebra de cerca de 7% face ao mesmo período de 2020 — num universo em que a margem operacional ficou situada nos 5,5%. Estima-se que as vendas da Volvo tenham caído cerca de 17% desde o último, o que é algo significativo num construtor automóvel.

Segundo Håkan Samuelsson, o CEO da Volvo Cars, a “situação do fornecimento melhorou neste quarto trimestre […]” mas espera-se que a escassez de semicondutores continue a restringir a produção a nível global. Samuelsson diz-se confiante de que a Volvo “irá alcançar as metas estabelecidas no início de 2021” o que deve ser um bom indicador de que a Volvo espera bons resultados no próximos tempos.

blank

Este ano a produção foi cerca de 50 mil viaturas menor no terceiro trimestre em comparação com o mesmo período de 2020, enquanto a faturação no período diminuíram em, cerca de 30 mil veículos, no entanto, a queda foi menos substancial pela diminuição dos volumes de produção em armazém. Os primeiros dados de novembro revelam que a Volvo já vendeu perto de 52 mil carros, um valor inferior em comparação com o mesmo mês do ano passado que pode ser explicado por uma acumular de mercadorias em trânsito.

É importante destacar que 26% dos modelos vendidos de julho a setembro foram eletrificados (22% híbridos plug-in e 4% elétricos). Isto numa altura em que a Volvo pretende ser 100% elétrica até 2030. Em 2025, a Volvo Cars quer 50% dos veículos híbridos e a outra metade cem por cento elétricos. Os únicos modelos elétricos da marca são até à data, o XC40 Recharge e o C40 Recharge com uma plataforma desenvolvida especificamente para o efeito. Em 2022, o XC90 Recharge deve juntar-se à familía de 100% elétricos da fabricante sueca.

Fonte Autocar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here