Vendas globais de smartphones caíram 3% no terceiro trimestre

A Counterpoint, empresa especializada em análise de mercado, constatou que as vendas globais de smartphones caíram 3% no terceiro trimestre deste ano, somando 386,8 milhões de unidades comercializadas durante esse período. Curiosamente, após obter um crescimento médio de 16% nos últimos cinco anos, as vendas de smartphones estão desacelerando, registrando uma queda geral de 1% em 2018.

Existem algumas razões para essas baixas, como a desaceleração da economia global, aumento de tarifas comerciais e preços mais altos dos próprios smartphones, por exemplo. No entanto, mesmo em meio a esse cenário, Huawei e Xiaomi conseguiram registrar um aumento em suas vendas, enquanto outras fabricantes como Samsung, Apple e LG não tiveram a mesma “sorte”.

Tom Kang, diretor de pesquisa da Counterpoint, disse em um comunicado: “muitos mercados já atingiram um ponto de saturação para a nova demanda de smartphones e dependem da demanda de reposição. A compra de um dispositivo mais caro resulta em um tempo de substituição maior, especialmente quando seus ganhos são limitados”.

Em geral, a Samsung conseguiu vender 72,3 milhões de smartphones, ficando em primeiro lugar no ranking. No entanto, a gigante sul-coreana caiu 13% com base nos dados ano a ano. Por outro lado, a Apple manteve um crescimento de 0,1%. Porém, como foi dito anteriormente, a Huawei e a Xiaomi, juntamente com a HMD Global, foram as três empresas que registraram um crescimento considerável no período analisado pela Counterpoint.

As vendas da Huawei somaram 52 milhões de unidades, um aumento ano a ano de 33%. A Xiaomi conseguiu comercializar 35,7 milhões de smartphones – isso representa um aumento ano a ano de 25%. Ainda assim, foi a HMD Global que superou todas as rivais, registrando um aumento nas vendas de 71%.

Os envios da Apple foram de 170,8 milhões de unidades, meio por cento a mais que os dados coletados no ano passado. Em contrapartida, Motorola e LG viram uma queda de dois dígitos em suas vendas.

Curiosamente, algumas empresas se saíram bem em mercados internacionais e registraram vendas menores em seus países de origem. A Xiaomi é uma delas, pois obteve um crescimento de 83% em outros mercados e apenas 16% na China. Por outro lado, a Huawei cresceu dentro e fora da China, registando 13% e 60%, respectivamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here