Uma “simples” longa viagem no espaço é o suficiente para destruir os astronautas

3 de Outubro de 2018
4 Partilhas 229 Visualizações

Estudos efetuados pelo Centro Médico da Universidade de Georgetown comprovam que o envio de astronautas para o espaço numa longa viagem, resultaria numa catástrofe para o ser humano.

Muitas foram as viagens que levadas a cabo por astonautas, se revelaram um sucesso e demonstraram os avanços tecnológicos e técnicos, alargando os conhecimentos humanos acerca do Universo. Com mais ou menos viagens, estas foram curtas. Uma viagem para a lua ou para a Estação Espacial Internacional, representa uma curta viagem.

Os investigadores simularam os efeitos que ocorreriam em longas viagens espaciais em seres humanos, recorrendo a ratos laboratoriais. Segundo os dados, quando os tecidos gastrointestinais são sujeitos a radiação cósmica galática (Galactic Cosmic Radiation GCR), as suas funções são alteradas. Isto significa, que o seu normal funcionamento é afetado. Logo, poderão ser desenvolvidos tumores cancerígenos no estômago e no cólon nos astronautas, levando ao seu falecimento e incumprimento da missão.

Para quem não sabe, não somos afetados por este tipo de radiação na Terra, pois estamos protegidos pelo campo magnético terrestre. Face a essa proteção, o nosso corpo não evoluio o suficiente para aguentar grandes doses de radiação cósmica sem proteção a atual tecnologia dos fatos espaciais não consegue bloqueá-la.

Concretamente, os ratos expostos a radiação de ferro não foram capazes de absorver adequadamente os nutrientes dos alimentos, acabando por desenvolver polipos cancerígenos. Por sua vez, os ratos quando sujeitos a raios gama (na maioria filtrados pelos fatos espaciais), os mesmos não apresentaram os mesmos sintomas. Segundo Datta, outra conclusão a que chegaram foi que existem evidências que levam a crer que a radiação de ferro pode originar danos nas células de DNA do foro gastrointestinal, fazendo com que estas “gerem oxidação celular e inflamações moléculares [nocivas]”.

A questão que se coloca nesta situação toda, é que medidas precisam de ser tomadas para criar as condições necessárias para uma viagem, por exemplo, a Marte. Visto que um dos principais problemas que se coloca, é a vitalidade dos intestinos (orgão muito importante do corpo humano).

As agências espaciais, em parceria com universidades e empresas, terão que desenvolver equipamento com tecnologia de isolamento que possa manter os orgãos com o mínimo de lesões possíveis, bem como, criar medicamentos ingeriveis, quem possam ser tomados pelos astronautas.

Fonte Georgetown University

Artigos interessantes

Leak: Surgem novas imagens e os vídeos promocionais do Huawei P30
Huawei
13 Visualizações
Huawei
13 Visualizações

Leak: Surgem novas imagens e os vídeos promocionais do Huawei P30

Bruno Peralta - 20 de Março de 2019

Apenas há alguns dias atrás, mostramos imagens dos próximos smartphones Huawei P30 e Huawei P30 Pro nas várias cores disponíveis,…

Huawei Mate X é o primeiro a ter certificado CE 5G Europeu
Huawei
19 Visualizações
Huawei
19 Visualizações

Huawei Mate X é o primeiro a ter certificado CE 5G Europeu

Bruno Peralta - 20 de Março de 2019

O Huawei Mate X recebe o primeiro certificado CE 5G do mundo concedido pela TÜV Rheinland, líder global em serviços…

Samsung Galaxy M20 já está à venda em Portugal
Samsung
31 Visualizações
Samsung
31 Visualizações

Samsung Galaxy M20 já está à venda em Portugal

Bruno Peralta - 20 de Março de 2019

A Samsung anuncia que há um novo modelo que chega a Portugal, o Galaxy M20, que foi anunciado em janeiro,…

Comente

O seu email não será publico