Uma das maiores lojas online prepara aposta nas criptomoedas, NFT e metaverso

O futuro da internet cada vez se aproxima mais de um único sentido: o metaverso. Ainda não ouviu falar disso? Definir o metaverso é complicado, e visualizá-lo é ainda mais difícil, mas o metaverso remove nosso mundo digital de um dispositivo fixo como um telefone ou laptop e cria espaços virtuais habilitados por VR, AR e realidade mista. É a mistura do mundo real com o digital, onde os objetos digitais existem no mundo real e o mundo digital se parece mais com o físico.

Para imaginarmos como poderá ser o Metaverso, o jogo Second Life já nos dá uma visão aproximada do que poderá ser. Se preferir um jogo mais atual, o The Sims é o mais aproximado, mas imagine-o num mundo aberto e onde cada personagem do jogo é, na verdade, controlado por outra pessoa real. Ora, há mais uma das maiores lojas online a preparar-se para este novo mundo.

O Walmart será o próximo a juntar-se ao Facebook, Nike, Ralph Lauren, Bumble, Disney e uma série de outras empresas com planos de reivindicar seu próprio canto do metaverso. a walmart apresentou discretamente vários pedidos de marca registrada no final de dezembro, que descreviam amplos planos para vender mercadorias virtuais, portanto além dos NFTs, também há referências à criação de uma criptomoeda.

O Walmart está a direcionar a sua atenção para o mundo virtual, como muitos outros, incluindo o Facebook, que se renomeou no ano passado para Meta e anunciou publicamente os seus objetivos de investir e expandir para o metaverso, um espaço virtual onde as pessoas podem interagir digitalmente usando avatares.

No documento, o Walmart lista uma variedade de bens virtuais que planeja vender, incluindo eletrônicos, eletrodomésticos, vestuário, artigos para o lar, brinquedos e produtos de higiene pessoal. Um arquivo separado mostra o interesse da empresa em criar o seu próprio método de pagamento de criptomoeda e coleta de tokens não fungíveis, ou NFTs.

De acordo com o Departamento de Patentes e Marcas Registradas dos EUA, o Walmart apresentou sete pedidos separados em 30 de dezembro. Em comunicado, a Wallmart não negou, afirmando que “Walmart está continuamente a explorar como as tecnologias emergentes podem moldar futuras experiências de compras. Não temos mais nada para partilhar hoje, mas vale a pena notar que rotineiramente registamos pedidos de marcas como parte do processo de inovação”.

Apesar dos planos de muitas empresas para o metaverso, os líderes empresariais continuam sem saber como criar um metaverso completo. Não há d´vudias que será um mundo que permitirá gerar muito dinheiro, mas se há uns, como o Bill Gates, que acredita que nos próximos dois anos poderemos ver o multiverso, há outros, como a Intel, que afirma que poder computacional ainda não está preparado.

Independentemente de quanod surgir, já há muitas empresas a apostar nos produtos virtuais. Lojas como a Nike já demonstraram que vão apostar no metaverso, sendo que em dezembro comprou a empresa RTFKT, criadora de ténis virtuais. Até a Ubisoft já apontou para os NFTs. Mas, por outro lado, temos países como a Tailândia que estão a proibir moedas meme e NFTs.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui