Twitter pede desculpa por deixar publicidade atacar neo-nazis

A plataforma Twitter pediu desculpas por permitir que certos grupos de utilizadores fossem alvo de publicidade, tais como os neo-nazis ou os homofóbicos.

Esta situação foi descoberta pela BBC que prontamente informou a plataforma a actuar. A investigação feita pela BBC descobriu que é possível para as publicidades criar públicos alvo que mostrem interesse em palavras chave controversas.

O Twitter tem permitido que as publicidades sejam directamente dirigidas a pessoas que partilhem certos assuntos ou que partilhem certos temas. Mas neste momento a plataforma está arrependida de ter falhado no sentido de ter excluído temas discriminatórios. Entidades que defendem o anti-ódio apresentam algumas preocupações sobre o facto de a plataforma poder ter sido usada para espalhar intolerância.

Tal como outras plataformas da mesma natureza, o Twitter cria perfis detalhados dos seus usuários através da criação de informação sobre os temas partilhados, o que visualizam e o que colocam gostos.

Os anunciantes podem tiram vantagens desta situação através da utilização de ferramentas para seleccionar audiência para cada campanha de uma lista de características como por exemplo “pais de adolescentes” ou “fotógrafo amador”.

Também conseguem controlar quem vê a mensagens através do uso de palavras chave. As palavras chave do Twitter deveriam ser restritas mas infelizmente existe uma maneira de contornar a situação.

Segundo a investigação da BBC, é fácil de construir um anúncio e tentar que o público alvo desejado seja bombardeado com os anúncios. Isto explica porque que campanhas com palavras chaves controversas tem o potencial de chegar a milhões de usuários.

Uma entidade chamada “Hope Not Hate” receia que as publicidades do Twitter se tornem numa ferramenta de propaganda de ódio. Essas publicidades podem ser usadas para aumentar a convicção de indivíduos que acreditam em causas mais controvérsias.

O Twitter diz que tem politicas activas para evitar o uso de palavras chave abusivas e que vai implementar medidas preventivas que incluem banir temas sensíveis ou discriminatórios. A plataforma diz que lamenta o sucedido que que vai reforçar as suas politicas para evitar que o mesmo aconteça.

https://www.bbc.com/news/technology-51112238

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here