Twitter irá parar de abrir links em AMP no iOS e Android

O Twitter silenciosamente reverteu o seu suporte para Accelerated Mobile Pages (AMP) no telemóvel de acordo com uma página de suporte identificada pelo consultor de SEO Christian Oliveira. A página de suporte detalhou originalmente como o Twitter iria enviar automaticamente os utilizadores dos seus aplicativos móveis para a versão AMP de uma página a partir de links publicados na rede social. No entanto, em algum momento desde 21 de outubro, o Twitter atualizou a página com um aviso a dizer que está a retirar o recurso até ao final do ano.

De acordo com dados da SearchEngineLand, este processo da retirada parece ter sido concluído no início deste mês. Agora, ao tentar visitar uma página do Twitter parece direcionar os utilizadores diretamente para a página normal da Web, em vez de uma versão AMP que pode estar disponível.

Embora o Twitter tenha observado que o AMP permita “experiências de web móvel de carregamento rápido, bonito e de alto desempenho”, a tecnologia tem se mostrado controversa desde que o Google a introduziu em 2015. Grande parte da controvérsia girava em torno da percepção do controlo do projeto pelo Google, com alguns críticos a afirmar que era uma tentativa do Google de reforçar o seu controlo da web aberta.

blank

Mas também existem os problemas de interface de utilizador mais básicos para uma plataforma como o Twitter, devido à maneira como pode baralhar URLs, quando faz as páginas parecerem ser do Google, independentemente do site que as criou. É uma situação desagradável que levou à criação de extensões de navegador que redirecionam automaticamente as páginas AMP para o URL do artigo original para reduzir a confusão.

O documento de suporte do Twitter não dá uma razão para a mudança na política. A mudança da rede social segue uma mudança de política do próprio Google em maio de 2020, quando anunciou que não iria exigir mais que os sites de notícias oferecessem versões AMP das suas páginas para serem apresentados na seção Notícias principais do seu mecanismo de busca. A mudança demorou muito após uma iniciativa do Google lançada em maio de 2018 para pegar o que a empresa havia aprendido com a AMP e transformar os seus recursos em padrões gerais da web.

Fonte: Twitter

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here