Tinder decidiu deixar os serviços de pagamento da Google para evitar 30% de taxas

É do conhecimento geral que a Google e a Apple fica com 30% de todas as transações das aplicações na Play Store ou App Store, uma taxa que os programadores se têm queixado de ser muito elevada. Os grandes programadores estão cada vez mais cansados ​​disso e recorrem a outros métodos de distribuição.

Um dos mais recentes e grande programadores que fez algo nesse sentido foi a Epic Games, com o seu jogo Fortnite, que passou ao lado da Play Store e os utilizadores instalaram o jogo através do próprio site e os pagamentos no jogo não utilizam os serviços da Google e, dessa forma, não têm de pagar os 30% à empresa norte-americana. Também a Netflix fez algo neste sentido para não pagar os 30% e, agora, é a vez do Tinder.

Segundo a agência Bloomberg, o Tinder lançou um novo processo de pagamento padrão com a desculpe de melhorar a “conveniência, controle e escolha”. Os utilizadores da rede de encontros online agora precisam inserir detalhes de pagamento diretamente para fazer compras no aplicativo, através do cartão de crédito diretamente na plataforma. Desta forma, o Tinder cobra diretamente os utilizadores, em vez de utilizar a Google como intermediário.

Antes, o utilizador só podia usar os cartões de crédito ou débito existentes vinculados à sua conta do Google, sendo que com o novo formato, os clientes agora têm um relacionamento direto com o Tinder. Assim que o novo formato de pagamento for inserido, deixa de haver a opção de utilizar os pagamentos da Google.

Para o Tinder o benefício é claro: desta forma cobra diretamente ao utilizador final de deixa de ter de pagar os 30% de taxa ao Google. Para os utilizadores finais é quase igual, no entanto, o problema é se todas as aplicações decidem fazer isto desta forma, obrigando os utilizadores a colocarem os dados do cartão de crédito nas aplicações, o que pode aumentar o risco de comprometer os dados.

A aplicação ainda está disponível na Play Store, com o Match Group não seguindo a rota épica de fazer com que os utilizadores façam o download da aplicação diretamente da internet. No entanto, olhando para o caso Fortnite e a decisão de fazer com que os utilizadores instalem aplicações fora dos serviços da Google, fez com que os utilizadores estivessem sujeitos a um problema de segurança durante algum tempo.

De acordo com o analista Ben Schachter, do Macquarie, a mudança do Tinder não terá um grande impacto nos resultados do Google. No entanto, isso pode sinalizar uma tendência em que outras empresas sigam o exemplo, o que pode ser grave se as grandes empresas decidam fazer isso. No entanto, para os mais pequenos programadores, deixar os serviços da Google não deverá ser opção.

Fonte: Bloomberg

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here