Takata recolhe mais 35 milhões de carros por defeitos nos airbag

A sign with the Takata logo is seen outside the Takata Corporation building in Auburn Hills, Michigan, U.S. May 20, 2015. REUTERS/Rebecca Cook/File Photo

A crise dos airbag que emergiu há já algum tempo no seio da indústria automóvel está para durar. Ao todo contavam-se até há alguns dias mais de duas dúzias de grandes vagas de chamadas de automóveis à oficina de 11 marcas diferentes numa onda que afetou cerca de 25 milhões de automóveis nos últimos oito anos. Agora, o maior fornecedor mundial de airbags, a japonesa Takata, revelou que detetou falhas em mais 35 milhões de componentes, número que poderá ainda subir nos próximos tempos.

O defeito detetado pela Takata implica que os airbag afetados não são inflados corretamente. Nos instantes após a detonação e consequente explosão podem ser pulverizadas partículas metálicas para os ocupantes dos veículos. Relacionadas com esta falha técnica nos airbag estão já 11 vítimas mortais contabilizadas a nível mundial e cerca de 100 feridos.

Nestes casos de chamadas à oficina para proceder a substituição de peças e intervenções corretivas os fabricantes são obrigados a assumir todos os custos decorrentes da intervenção.

Ainda durante o dia de hoje, as autoridades americanas emitirão um longo comunicado que esclarecerá sobre as medidas a tomar pelos variados fabricantes de automóveis e respetivos casos, assim como os procedimentos que os consumidores deverão seguir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here