Surpresa: Disney ultrapassa a Netflix e já tem mais subscritores

Os serviços de streaming da Disney – Disney +, Hulu e ESPN + – ultrapassaram a Netflix no número de utilizadores e de subscritores, sendo agora o líder.

A Disney agora possui 221 milhões de clientes de streaming nas suas plataformas – superando os 220,7 milhões de subscritores anunciados pela Netflix em julho – depois de a Disney+ ter conseguido mais 14,4 milhões de clientes no último trimestre que terminou no dia 2 de julho . O principal site de streaming da Disney também superou o consenso dos analistas, que previu que conseguiria 10 milhões de clientes no trimestre.

E como se espera que o domínio da Disney cresça, os analistas esperam que o cenário possa piorar para a Netflix, enquanto tenta captar novos subscritores.

“A Disney está a ganhar participação de mercado, numa altura em que a Netflix está a tentar captar novos subscritores”, refere Haris Anwar, analista do Investing.com, à Reuters. “A Disney tem ainda mais espaço para crescer nos mercados internacionais, onde está a conseguir lançar os seus serviços rapidamente e a captar novos clientes.”

A Netflix registou uma perda de 1 milhão de subscritores no segundo trimestre de 2022 – o segundo consecutivo de declínio de audiência. Mas, independentemente do número de subscritores, tanto a Netflix como a Disney + estão a subir os seus preços, e a inserir anúncios nas versões mais baratas.

A Disney aumentou a mensalidade do seu serviço sem publicidade em 38% para US$ 10,99 por mês em dezembro, enquanto oferece uma opção alternativa mais barata com anúncios pelo preço atual de assinatura de US$ 7,99 por mês. Ao passo que, a Netflix planeia introduzir uma versão com anúncios até o final de 2022. Em janeiro, subiu o preço nos EUA para o seu plano básico para US$ 9,99 por mês, o seu plano padrão para US$ 15,49 por mês e o seu plano premium custa agora US$ 19,99 por mês.

Após cinco anos, uma pandemia e bilhões de dólares gastos em aquisições e produção de novos conteúdos online, a Disney parece estar no caminho certo para cumprir a previsão de fevereiro do presidente-executivo Bob Chapek de conseguir entre 230 milhões e 260 milhões de subscritores até o final de 2024.

Fonte: Fortune

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui