Supremacista branco pode processar Twitter por “ataque à liberdade de expressão”

Deverá existir espaço nas redes sociais para ideias de supremacia branca?

Jared Taylor, o fundador da publicação de supremacia branca American Renaissance, tem agora autorização dos tribunais americanos para prosseguir com um processo em tribunal contra o Twitter. Em causa está uma queixa apresentada por Taylor em Fevereiro, alegando que o Twitter teria violado os seus direitos civis e limitado a sua liberdade de expressão ao banir duas das suas contas na plataforma.

Na sexta-feira, o juiz Harold Kahn da Califórnia, afirmou que o Twitter não apresentou um argumento suficiente forte para simplesmente eliminar as contas de Taylor.

Que comentários de Taylor é que lhe valeram o ban?

Taylor não esconde que considera a raça branca superior e a sua lista de opiniões controversas é infindável. De forma resumida, a filosofia política de Taylor é a de que os brancos “devem manter o controlo” dos Estados Unidos da América porque “sempre que os pretos são deixados por si próprios, a cultura ocidental (ou qualquer outra cultura), desaparece.”

Estas opiniões são claramente racistas e apregoam um sistema de dominação com base em raça. Por este motivo, o Twitter decidiu eliminar as contas de Jared Taylor da sua plataforma.

Qual é o argumento do Twitter?

O Twitter considera que, da mesma forma que um jornal pode escolher que noticias apresentar ao publico e como fazê-lo, também a sua plataforma reserva para si esse tipo de direito. Assim sendo, o Twitter argumenta que não reserva nenhum espaço para ideologias de supremacia branca.

Qual é o contra-argumento de Taylor?

Taylor quer que os tribunais obriguem o Twitter a devolver-lhe as contas eliminadas. Taylor considera que o Twitter atacou directamente o seu direito à liberdade de expressão, e o juiz Kahn deu-lhe razão. “Parece-me que este é um clássico processo de interesse público,” referiu o juiz segundo a transcrição do processo, acrescentando que “vai de encontro ao coração dos princípios de liberdade de expressão que presidem à nossa constituição.”

Taylor ainda não ganhou, nem será provável que ganhe

O que Taylor conseguiu foi a possibilidade de argumentar o seu caso em tribunal. Porém, analistas consideram que é pouco provável que consiga ganhar o caso em tribunal. E mesmo que consiga, será quase impossível obrigar uma plataforma privada a devolver-lhe a conta.

Fonte

Veja também...

Deixe um comentário

avatar
  Subscrever  
Notificar de