Supremacista branco pode processar Twitter por “ataque à liberdade de expressão”

17 de Junho de 2018
2 Partilhas 131 Visualizações

Deverá existir espaço nas redes sociais para ideias de supremacia branca?

Jared Taylor, o fundador da publicação de supremacia branca American Renaissance, tem agora autorização dos tribunais americanos para prosseguir com um processo em tribunal contra o Twitter. Em causa está uma queixa apresentada por Taylor em Fevereiro, alegando que o Twitter teria violado os seus direitos civis e limitado a sua liberdade de expressão ao banir duas das suas contas na plataforma.

Na sexta-feira, o juiz Harold Kahn da Califórnia, afirmou que o Twitter não apresentou um argumento suficiente forte para simplesmente eliminar as contas de Taylor.

Que comentários de Taylor é que lhe valeram o ban?

Taylor não esconde que considera a raça branca superior e a sua lista de opiniões controversas é infindável. De forma resumida, a filosofia política de Taylor é a de que os brancos “devem manter o controlo” dos Estados Unidos da América porque “sempre que os pretos são deixados por si próprios, a cultura ocidental (ou qualquer outra cultura), desaparece.”

Estas opiniões são claramente racistas e apregoam um sistema de dominação com base em raça. Por este motivo, o Twitter decidiu eliminar as contas de Jared Taylor da sua plataforma.

Qual é o argumento do Twitter?

O Twitter considera que, da mesma forma que um jornal pode escolher que noticias apresentar ao publico e como fazê-lo, também a sua plataforma reserva para si esse tipo de direito. Assim sendo, o Twitter argumenta que não reserva nenhum espaço para ideologias de supremacia branca.

Qual é o contra-argumento de Taylor?

Taylor quer que os tribunais obriguem o Twitter a devolver-lhe as contas eliminadas. Taylor considera que o Twitter atacou directamente o seu direito à liberdade de expressão, e o juiz Kahn deu-lhe razão. “Parece-me que este é um clássico processo de interesse público,” referiu o juiz segundo a transcrição do processo, acrescentando que “vai de encontro ao coração dos princípios de liberdade de expressão que presidem à nossa constituição.”

Taylor ainda não ganhou, nem será provável que ganhe

O que Taylor conseguiu foi a possibilidade de argumentar o seu caso em tribunal. Porém, analistas consideram que é pouco provável que consiga ganhar o caso em tribunal. E mesmo que consiga, será quase impossível obrigar uma plataforma privada a devolver-lhe a conta.

Fonte

Artigos interessantes

Imagem real do Galaxy S10 Plus confirma câmaras frontais no ecrã
Destaques
45 Visualizações
Destaques
45 Visualizações

Imagem real do Galaxy S10 Plus confirma câmaras frontais no ecrã

Bruno Peralta - 17 de Janeiro de 2019

Falta pouco mais de um mês para a grande apresentação da Samsung, que decorrerá no dia 20 de fevereiro para…

Twitter libera versão cronológica da timeline
Redes Sociais
23 Visualizações
Redes Sociais
23 Visualizações

Twitter libera versão cronológica da timeline

João Pedro Souza - 17 de Janeiro de 2019

Uma nova atualização do Twitter para Android traz a possibilidade de visualizar o feed na ordem cronológica. Opção que já…

Xiaomi demonstra o melhor sensor de impressões digitais no ecrã até ao momento
Destaques
3 Partilhas45 Visualizações
Destaques
3 Partilhas45 Visualizações

Xiaomi demonstra o melhor sensor de impressões digitais no ecrã até ao momento

Bruno Peralta - 16 de Janeiro de 2019

Os fabricantes de smartphones estão retirando lentamente os tradicionais leitores de impressão digital em favor dos sensores no ecrã, mas…

Comente

O seu email não será publico