Steve Ballmer declara a Apple como a principal rival a abater

O presidente executivo da Microsoft deixou bem explícita a ideia de que a sua empresa não vai deixar qualquer ação da Apple sem resposta. A empresa de Redmond está a entrar numa nova fase e o ano de 2012 será decisivo para o futuro da marca.

O anúncio dos tablets Surface é apenas o culminar de toda uma nova estratégia. A Microsoft vai abandonar a atitude passiva para ser mais agressiva na luta pelos diferentes segmentos do mercado tecnológico. A própria entrevista de Steve Ballmer é disso exemplo. Numa conversa com o site CNR depois da Worldwide Partner Conference, o CEO da Microsoft disse que a empresa “não vai deixar qualquer espaço de manobra à Apple; não vai mesmo”. Ballmer referiu que nada ficará ao acaso: “Nem a nuvem para os consumidores. Nem a inovação em harware e software. Nós não deixaremos a Apple fazer nada sozinha. Isso não vai acontecer. Não enquanto estivermos atentos”.

O presidente executivo da Microsoft explicou que a sua empresa tem vantagens sobre a Apple em determinadas áreas empresariais como na capacidade de produtividade e na gestão de recursos. A grande aposta na Nokia, no Windows Phone, no Windows 8 e mais recentemente nos tablets Surface são disso exemplo – às quais se deve acrescentar as fortes estratégias de comunicação e marketing que acompanham cada anúncio e lançamento.

Perante uma posição tão forte relativamente a uma empresa rival que tem domínio sobretudo no mercado dos dispositivos móveis, Steve Ballmer foi questionado sobre a possibilidade de a Microsoft fabricar os seus próprios telemóveis como fez com os Surface. O CEO não confirmou a existência desses planos, mas também não desmentiu – o mais provável é existir mesmo um plano B, tendo em conta que própria Nokia diz ter uma estratégia secundária caso a parceria com a Microsoft não resulte.

De forma evasiva, Ballmer preferiu referir-se aos tablets com Windows 8. “Agora estamos a trabalhar afincadamente no Surface. É esse o nosso focus. É esse o nosso núcleo de trabalho atual. Vamos ver como as coisas correm. Nós temos boas parcerias com a Nokia e HDC no universo móvel. E eu estou a gostar imenso daquilo que estamos a fazer com o Surface e os parceiros do Windows 8”.

Um facto curioso relativo à entrevista foi a ausência de declarações sobre rivalidade com a Google ou o Android. Apesar de a gigante dos motores de busca ser uma empresa completamente diferente e com uma bagagem histórica distante de Apple e Microsoft, a verdade é que nos dias atuais a empresa de Mountain View também domina um pouco em todos os segmentos. E se existe uma batalha épica entre Apple e Google, se a Microsoft declara guerra à Apple não se pode esquecer da Google. Será desprezo pela empresa de Sergey Brin ou será uma parceria psicológica para enfraquecer a Apple? Tal como Ballmer disse, 2012 será o ano de todas as respostas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here