Starlink e Galaxy S21: Velocidade Máxima por Satélite Atingida

No mundo da tecnologia, a inovação é uma constante, e a SpaceX, empresa liderada pelo visionário Elon Musk, está a dar passos largos para transformar a forma como nos conectamos à Internet. A mais recente façanha da empresa é o desenvolvimento do serviço ‘Starlink Direct to Cell’, que promete oferecer conexão satelital diretamente aos telefones móveis. Os seis primeiros satélites desta nova tecnologia já estão em órbita e, segundo a SpaceX, estão a funcionar “igual ou melhor do que o esperado”.

A empresa descreveu os resultados das primeiras provas como um “êxito” numa carta enviada à Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (FCC). Durante os testes, foram alcançadas velocidades de descarga de 17 Mbps num Samsung Galaxy de 2021. Mas o que significa isto para o utilizador comum?

Imagine poder enviar SMS, mensagens de WhatsApp e até publicações nas redes sociais sem depender da cobertura terrestre das operadoras de telefone móvel. Foi exatamente isso que os engenheiros da Starlink conseguiram fazer a partir de três cidades norte-americanas: Redmond, Washington; Mountain View, Califórnia; e Kansas City, Kansas. E não apenas com dispositivos Samsung, mas também com iPhones e Pixels, sem necessidade de modificações nos aparelhos.

A tecnologia foi testada no bloco de frequências PCS G da T-Mobile, compatível com as bandas 4G e 5G, o que significa que a maioria dos smartphones modernos poderá usufruir deste serviço. O teste divulgado por Elon Musk mostrou um Galaxy S21 Ultra atingindo os referidos 17 Mbps de velocidade de descarga, um desempenho notável para um serviço via satélite.

Um dos aspetos mais surpreendentes desta tecnologia é a sua capacidade de funcionar em interiores. Tradicionalmente, os serviços de satélite são pensados para áreas rurais ou exteriores, mas a Starlink provou ser eficaz mesmo em zonas urbanas e cobertas por árvores. A FCC estabelece limites para a potência de transmissão, e a SpaceX realizou os testes dentro desses parâmetros, alcançando a velocidade máxima permitida pelo feixe da antena dos satélites atuais.

A SpaceX já firmou acordos com operadoras de oito países diferentes, incluindo T-Mobile nos EUA, Optus na Austrália e Rogers no Canadá. O desdobramento do serviço será gradual, com previsão de que, até o final de 2024, os clientes dessas operadoras possam enviar SMS, MMS e efetuar chamadas de emergência em áreas sem cobertura. A partir de 2025, espera-se que possam também utilizar dados móveis.

Apesar das preocupações das operadoras rivais quanto à possibilidade de interferências de rádio, a SpaceX assegurou à FCC que não houve relatos de interferência durante os testes. Esta é uma notícia promissora para o futuro da conectividade móvel, especialmente para aqueles que vivem em regiões com cobertura limitada.

A velocidade de 17 Mbps, embora não seja revolucionária para os padrões de conexão fixa, é bastante impressionante para um serviço via satélite e suficiente para a maioria das tarefas online realizadas num smartphone. Além disso, a compatibilidade com dispositivos existentes sem necessidade de alterações é um ponto forte que facilitará a adoção do serviço por um vasto número de utilizadores.

Fonte: SpaceX

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui