Spotify irá colocar alterações no seu programa gratuito

A Bloomberg avança que o Spotify está a planear mudanças nas suas subscrições gratuitas. A ideia é incorporar mais características do serviço pago no serviço gratuito e o anúncio oficial deverá acontecer algures nas próximas semanas.

De acordo com a Bloomberg, o serviço gratuito ficará mais fácil de usar, em especial para aqueles que recorrem ao Spotify a partir dos serviços móveis. Os utilizadores do serviço móvel passarão a poder aceder a playlists de forma mais rápida e terão um maior controlo da forma como ouvem as playlists. Até agora, os planos gratuitos impediam o utilizador de seleccionar uma música dentro da playlist, sendo forçados a ouvir aquilo que lá estava colocado.

Estas alterações que pretendem incorporar características do serviço pago no serviço gratuito continuarão a ter, obviamente, uma diferenciação essencial entre ambos os planos: o serviço gratuito continuará a estar repleto de anúncios, ao contrário do serviço premium que é ad-free.

O Spotify em números

O Spotify encontra-se em 61 países com um número de utilizadores (Janeiro de 2018) gratuitos de 159 milhões e com 70 milhões de utilizadores pagos. Até ao final do ano, a Spotify prevê aumentar o número de utilizadores pagos para 96 milhões e aumentar as suas receitas em 30%, valorizando a companhia até $6.6 biliões de dólares.

Nesse sentido, tornar o serviço gratuito mais atractivo faz parte da estratégia de atracção de novos utilizadores. Recorde-se que a Spotify passou a estar cotada na bolsa de valores no dia 3 de Abril.

A concorrência da Apple

No último levantamento divulgado pelo vice-presidente da Apple (Eddy Cue), o serviço Apple Music contava com 38 milhões de subscrições pagas. Com essa marca, a Apple Music fica cada vez mais perto de bater-se frente a frente com o Spotify, que é considerado líder deste segmento e ostenta pelo menos 70 milhões de assinantes premium.

O problema das contas hackeadas

A Spotify tem ao longo de 2018 combatido um problema que, se continuasse sem controlo, poderia colocar em causa o próprio modelo de negócio da empresa: contas hackeadas que conseguem eliminar a publicidade da plataforma. A Spotify adiantou em Março que tinha feito um levantamento deste tipo de conta, e adiantou o número detectado: 2 milhões de utilizadores. Estas contas foram eliminadas da plataforma.

Estas contas hackeadas funcionam a partir de aplicações não oficiais. Estas aplicações permitem que uma conta gratuita consiga simular algumas funcionalidades das contas pagas. A mais “procurada” dessas funcionalidades passa por suprimir a publicidade que é mandatória para quem tem uma conta gratuita.

Fonte: Bloomberg

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here