Sensores dos automóveis podem informar o mundo do estado das estradas

Red Magic 3S

Sensores dos automóveis podem informar o mundo do estado das estradas

Os automóveis dos nossos dias são cada vez mais inteligentes. Equipados com sensores com sensibilidade cada vez mais apurada, conseguem proezas como identificar e ver peões em risco melhor do que nós, mas continuam cegos num dos fatores principais de sinistralidade rodoviária: o estado das estradas.

Para fazer face a esta lacuna, um grupo de investigadores da Universidade de Málaga desenvolveram um sistema para detetar em tempo real o estado da estrada utilizando os próprios sensores do automóvel.

Conhecer o chão que pisamos

A equipa coordenada pelos investigadores Juan Jesús Castillo e Juan Antonio Cabrera da UMA afirma ser possível utilizar sensores tão variados dos automóveis como os do ABS e do Programa Eletrónico de Controlo de Estabilidade ESP entre outros para conseguir informação sobre a via em que circula o automóvel. Este trabalho foi já publicado na revista Sensors e enunciava o algoritmo que, usando lógica difusa e redes neuronais, permite estimar o deslizamento e o coeficiente de atrito do piso, e graças a ele o estado do piso.

Estes dados são de grande utilidade para os atuais sistemas de segurança ativa dos automóveis (ABS, ESP e faróis adaptativos). Recebendo informação em tempo real sobre o estado da estrada, estes equipamentos poderiam funcionar muito melhor ado adaptar-se de forma mais exata às condições reais da condução sem implicar custos adicionais no fabrico dos automóveis.

Aplicado a um ambiente pequeno (o do automóvel) este algoritmo tem tudo para ser bem sucedido e pode inclusivamente dar indicações importantes aos futuros automóveis de condução autónoma. Mas dando um passo rumo ao futuro, dentro de pouco tempo a maioria dos automóveis estará ligada em rede, e todos os carros poderiam enviar informação a um sistema central para melhor gerir o tráfego e a sinalização das vias.

Fonte: SINC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here