RTX 3080 tem dificuldades em processar Crysis Remastered em 4K

O título Crysis foi desenvolvido pela Crytek e publicado em 2007 pela Electronic Arts, tendo-se revelado um enorme sucesso entre a crítica. Chegou a ser um exemplo em termos de design gráfico, ao estilo de Red Dead Redemption II dos tempos antigos. Parte do grande sucesso partiu do motor gráfico único, o CryEngine 2, também da responsabilidade do estúdio. A última atualização da série foi a 25 de março de 2011 quando foi lançado Crysis 2 para PlayStation 3, Xbox 360 e PC.

Focado no single-player, e partindo do aclamado jogo de tiro em primeira pessoa original, Crysis Remastered chega repleto de atualizações quer em termos do novo motor gráfico, como, preparado para a atual geração de hardware. O jogo conta com texturas de elevada qualidade (suportando até 8K), HDR, anti-aliasing melhorado, entre outros. Segundo refere a produtora, o foco dado ao ray-tracing, começa através do software desenvolvido para placas gráficas AMD e NVIDIA, contando do mesmo modo, com ray-tracing baseado em hardware para tirar partido das RTX da NVIDIA.

Para todos aqueles que achavam que o estúdio ficaria por isso mesmo, a Crytek anunciou que traria o seu software de ray-tracing para as consolas da atual geração — a PS4 Pro e a Xbox One X —, melhorando significativamente a reflexão da luminosidade nos seus cenários, algo incrível diga-se de passagem.

Segundo avançou o Gizmodo, a nova RTX 3080 apresentada pela NVIDIA é capaz de processar o novo Crysis Remastered, em conjunto com um Intel i9-10900K, uma motherboard Asus ROG Maximus XII, 16 GB (8 GB x 2) G.Skill Trident Z Royal 2133 MHz, um SSD M.2 da Samsung, o 970 Evo PCIe de 500 GB, refrigerado por um cooler AIO da Corsair H150i Pro RGB 360 mm e uma fonte de alimentação Seasonic de 1000W. Algo impressionante e extravagante, não?

Inicialmente, em entrevista com ao PC Gamer, o responsável máximo de projeto da Crytek, Steffen Halbig afirmava que o jogo «em 4K, não existe nenhuma placa gráfica capaz de operá-lo no modo “Can it Run Crysis” a 30 fps», o que até pode ser verdade, no entanto, segundo o teste feito pelo Gizmodo, com os gráficos no máximo permitido, conseguiu-se oscilações em torno dos 30 ou mais frames por segundo — nada está obviamente —, a impressão foi bastante positiva. Como não, não é verdade? Texturas até 8K é algo incrível de se atingir num jogo.

Como referem no artigo, muito possivelmente, as dificuldades sentidas através da RTX 3080 poderão nem ser sentidas na mais potente gráfica da série 30, a RTX 3090. Em todo o caso, se o objetivo é ter uma qualidade e performance aceitável, terá de baixar a resolução. Baixando para os 1440p, uma RTX 3080 consegue uns fantásticos mas ainda fracamente pouco performantes, 48 frames por segundo. Procurando algo mais sofisticado irá levá-lo para os 1080p a 70 fps, o que já pode ser considerado como qualidade e desempenho em simultâneo (sempre com as configuração de qualidade no máximo, obviamente).

Posto isto, não existem grandes dúvidas quanto ao efeito que este jogo irá introduzir no mercado, pois não é qualquer computador que conseguirá obter resultados tão promissores, uma vez que existe muitos consumidores com a geração RTX 20 ou mesmo GTX 10. Aguardemos por mais novidades brevemente.

Fonte Gizmodo

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here