Robô de cozinha do Lidl tem um microfone escondido? Para quê???

Um novo robot de cozinha que chegou às prateleiras dos supermercados em França está a causar polémica. Primeiro, foram reportados diversas filas incrívies para a compra do novo electrodoméstico Monsieur Cuisine Connect, um robot de cozinha que pretende ser uma solução low-cost para a Bimby. No entanto, parece que o ser barato tem os seus problemas.

Dois estudantes de informática, Alexis Viguié e Adrien Albisetti, decidiram pegar neste novo robot e tentar “hackea-lo”, tal como acontece com vários produtos tecnológicos no mercado, para tentarem coloca ro jogo Doom no ecrã do aparelho, mas a descoberta foi mais surpreendente do que estavam à espera. Segundo o El País, os dois investigadoresdescobriram um microfone “secreto” que poderá ser vulnerável a hackers.

O Monsieur Cuisine Connect, um robot de cozinha inteligente de baixo custo, projetado para rivalizar com modelos como o Thermomix, está a ser vendido pelo Lidl em França desde o início de junho, sendo que várias reportagens apontam para as enormes filas para os consumidores conseguirem colocar as mãos nesta novidade.

O gadget altamente antecipado é fabricado na China pela SilverCrest e vendido pelo Lidl em França, Alemanha, Bélgica, Suíça e Reino Unido. Custando um valor a rondar os € 359 em comparação com a Bimby, que ronda os 1100€. Mas estes estudantes encontrarem alguns perigos quando começaram a hackear o produto, sendo um deles muito estranho: a inclusão de um microfone escondido na máquina.

Este produto é inteligente e tem ligação à internet, mas a ideia não é falar com o produto, por isso a necessidade de ter um microfone está a ser muito questionada, colocando-se um possível problema: Será que o produto pode ouvir as nossas conversas? É que fabricando na China, aumenta as suspeitas. De referir que este microfone “escondido” não é referido em lado algum da caixa do aparelho.

Podemos aqui imaginar que, apesar de a empresa responsável não referir, o microfone antecipa a possibilidade de, num futuro, o aparelho vir a integrar um assistente pessoal, como a Alexa ou o Google Assistant, no entanto nada é referido pela empresa em relação a isso.

Segundo a reportagem, o microsoft não está ativado ou conectado, nem o poderá ser feito remotamente pela emnpresa responsável, no entanto, foram encontrados mais alguns perigos que podem colocar esta “segurança” em risco.

Isto porque, os estudantes ao começaram a tentar colocar o Doom no sistema, perceberam que o software utilizado pela Monsieur Cuisine Connect é o Android 6.0, uma versão de software do sistema operativo da Google que não recebe atualizações desde outubro de 2017, logo os riscos de segurança do sistema operativo são muito altos.  Desta forma, poderia acontecer que hackers mal intencionados conseguissem aceder ao dispositivos e ativar o microfone.

Segundo Michel Biero, diretor de compras da Lidl France, afirma que “Quando os programadores lançaram a Monsieur Cuisine, eles planearam que o dispositivo fosse ativado por voz e, eventualmente, conectado à Alexa, mas o microfone está totalmente inativo”. Ele acrescentou: “Riscos de hacking existem, mas da mesma forma que para qualquer tablet ou dispositivo”.

No entanto, os críticos afirmam que a falta de atualizações de segurança para o software significa que ele é menos protegido que outros dispositivos. A questão está se tornando mais comum à medida que mais dispositivos se tornam “inteligentes” e conectados.

Fonte: El Pais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here