“Regin” é um vírus tão inteligente, que só um governo era capaz de o criar

virus

Segundo uma pesquisa da Symantec , empresa onde as suas atividades se concentram na segurança da internet , o malware tem sido utilizado em “campanhas sistemáticas de espionagem contra uma gama de alvos internacionais”.

O “Regin” é um malware recentemente descoberto, que se pensa estar ativo desde 2008, e de acordo com a Symantec, ele é algo tão sofisticado que provavelmente foi criado por um governo.

A Symantec diz ainda que o “Regin é uma peça complexa de malware cuja estrutura apresenta um grau de competência técnica raramente visto”, tratando-se de “um malware customizável com uma extensa gama de capacidades, dependendo do destino, que oferece aos seus controladores uma estrutura poderosa para vigilância em massa. Ele tem sido utilizado em operações de espionagem contra organizações governamentais, operadores de infra-estruturas, empresas, pesquisadores e pessoas físicas”.

O relatório da empresa diz ainda que o “Regin” é tão detalhado e tão bem escrito que as suas capacidades de mostrar um nível de recursos só são alcançáveis por um “estado de nação”.

Uma vez dentro do computador, o “Regin” tem o poder de capturar screenshots, assumir o controlo do rato e até mesmo roubar passwords ou aceder a arquivos já apagados.

O país mais afetado pelo “Regin”, até agora, é a Rússia, seguida pela Arábia Saudida, México e Irlanda, sendo que mais de metade dos ataques são focados a particulares ou empresas de pequeno porte.

Grande parte dos utilizadores de internet em todo o mundo já estão em alerta no que diz respeito a malwares, uma vez que tem acontecido uma série de hacks a sites de dados nos últimos meses, como foi o caso do iCloud, eBay e Snapchat, onde imagens e passwords foram comprometidas.

A Symantec confirmou que está a pesquisar mais sobre o “Regin” e que irá continuar a publicar atualizações sobre este assunto.

3 COMENTÁRIOS

  1. É uma pena que tenta ter de ir à fonte para perceber – mais uma vez – que apenas sistemas operativos Windows da Microsoft são afectados. Daria um pouco de trabalho ler tudo o que a Symantec publicou, mas seria relevante saber isto, tanto para Linux como para MacOsX users.

  2. Vírus adaptável, tipo uma aids pra pc? hahaha, desculpa a infeliz comparação. Mas devo dizer que estou surpreso com o poderio estatal de produzir um vírus desse porte. Agora, o problema é que muitos governos não se previnem com uma boa política de segurança. Eu, como usuário doméstico uso psafe, mas um governo, usa o quê?

Responder a Matheus Maleficaruns Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here