Quem inventou a inteligência artificial e como ela pode ser usada atualmente

Já é normal pensar em algum processo sendo realizado pela inteligência artificial. Com a evolução da tecnologia, várias soluções inovadoras surgiram, como análise de crédito de clientes, assistentes virtuais, sistemas de localização e rotas, etc. Mas isso não começou agora.

Você deve estar se perguntando quem inventou a Inteligência Artificial, já que parece que ela é tão nova na vida em sociedade. Na verdade, a Inteligência Artificial já existe enquanto ciência há mais de 70 anos e evoluiu bastante desde então.

Aqui você vai conhecer sobre a história dessa tecnologia que revolucionou o modo de viver e mais detalhes sobre como ela pode ser — e já é — usada atualmente.

O que é Inteligência Artificial?

Inteligência Artificial é uma parte da ciência da computação que trabalha na formação de máquinas inteligentes. Por meio da linguagem de programação, o intuito é imitar comportamentos humanos e tomar decisões por si só.

Ela foi uma evolução justamente por ir além de realizar um processo que a máquina já estava programada a fazer, mas por análise e dar um resultado de acordo com o que a própria máquina aprendeu. Um grande exemplo disso são os mecanismos de busca.

Sem a IA, toda vez que alguém buscasse “como fazer análise de crédito” no Google, o resultado seria o mesmo para todos. Com a IA e os algoritmos, o resultado da busca muda de acordo com o próprio usuário, levando em consideração:

  • horário
  • histórico de busca
  • local
  • consumo de informação na internet
  • entre outros

Faça um teste por aí. Faça uma busca no Google com o seu usuário logado e repita essa busca no modo anônimo. Há grandes chances dos resultados mudarem.

Esse é só um exemplo do que a IA transformou e aprimorou na vida das pessoas. Existem vários outros setores que a IA revolucionou, mas antes de conhecê-los, conheça um pouco da história desta tecnologia incrível e tão versátil.

Quem inventou a Inteligência Artificial?

É muito comum querer saber quem criou cada uma das inovações que mudaram a forma da sociedade existir, mas muitas vezes a resposta não é tão preto no branco assim. E é assim que acontece quando se fala em quem inventou a Inteligência artificial.

Isso porque essa ciência foi desenvolvida durante anos por vários pesquisadores diferentes.

Dois grandes nomes merecem destaque:

  • O pai da computação, Alan Turing;
  • John McCarthy, a quem se atribui o uso do termo Artificial Intelligence (inteligência artificial em inglês) pela primeira vez.

Apesar de haverem múltiplos responsáveis, são claros os principais marcos da história do desenvolvimento dessa brilhante tecnologia.

A primeira era da Inteligência Artificial (1940 a 1970)

Tudo foi potencializado pela Segunda Guerra Mundial, momento em que vários cientistas começaram a desenvolver essa tecnologia, dentre outras tantas que ganharam notoriedade na época. Há, inclusive, quem diga que a IA foi determinante para os países aliados venceram a guerra.

Não tem como separar a origem da inteligência artificial da evolução do processo computacional. É por isso que Turing entra como um importante nome para a área. Ele criou fundamentos importantes para o desenvolvimento da IA.

Em 1950 ele publicou o artigo “Computadores e Inteligência” onde propunha um teste que avaliava se as máquinas conseguem simular o pensamento humano. O Teste de Turing ficou conhecido como “jogo da imitação” é considerado o primeiro grande modelo de chatbot do mundo.

Ainda na década de 50, surgiu outro nome importante, o de John McCarthy do MIT. O que ele fez foi definir o termo IA como “a ciência e a engenharia de produzir máquinas inteligentes”.

Tudo aconteceu muito rápido nessa época. Ainda em 1956, o trio Allen Newell, J.C. Shaw, e Herbert Simon tirou a IA do campo teórico e trouxe para a prática, lançando o primeiro software inteligente, o “Logic Theorist” (Teorizador Lógico). O sistema imitava o raciocínio humano e resolvia problemas matemáticos.

Hoje até pode parecer banal, mas isso na época era impensável de ser feito por um ser humano.

Viajando oito anos para frente, em 1956 outro sistema revolucionário surgiu: a ELISA. Pode-se dizer que ela é a mãe dos chatbots, já que foi a primeira do mundo. Ela basicamente imitava um psicanalista e era programada com sistemas de algoritmos baseados em dados e palavras-chave (te lembra algo?).

Mas justo na década de 60 o hardware não acompanhou o software e as limitações técnicas deram uma freada na evolução da IA. A falta de memória, por exemplo, foi um grande problema.

A segunda era da IA (1972 a 1997)

Depois da “pause” na evolução da IA, em 1970 os microprocessadores resolveram parcialmente os problemas técnicos. Eles foram capazes de reviver a tecnologia e dar aquele novo sopro de vida para os pesquisadores.

Nessa época, em 1972, surgiu o MYCIN na Universidade de Stanford. Era um sistema de diagnóstico médico que auxiliava profissionais na identificação e tratamento de infecções bacterianas.

Dando um pulo para o final da década de 90, outro marco que merece destaque é o computador Deep Blue, desenvolvido pela IBM. Foi em 1997 que a máquina venceu o campeão mundial de xadrez Garry Kasparov. Não só a máquina imitou a inteligência humana como a superou.

Isso com certeza gerou uma grande repercussão. Um verdadeiro ponto de virada para a tecnologia, já que mostrou técnicas avançadas de processamento paralelo e avaliação de posições para analisar bilhões de posições por segundo.

Era atual (2010 até hoje)

A nova e mais recente era da IA foi impulsionada pelo acesso a grandes volumes de dados e pela eficiência dos processadores gráficos. A evolução de algoritmos capazes de interagir com seres humanos, redes neurais, machine learning, Big Data e outras áreas de IA revolucionaram vários setores.

Atualmente, vários setores se beneficiam da evolução da IA. Sistemas como o Chat GPTSIRIAlexaBixbyBard, entre outros, transformaram a sociedade e empresas. Eles inclusive permitiram a automatização de processos burocráticos, dando mais tempo para que os times sejam mais criativos, estratégicos e produtivos.

Atualmente, você até não pode não perceber, mas a IA já faz parte do seu dia a dia em diversos aplicativos do seu smartphone quando você utiliza:

  • sistema de geolocalização;
  • buscas na internet;
  • análise de crédito;
  • sistemas de segurança;
  • desbloqueio de celular por reconhecimento facial.

Esses são apenas alguns exemplos de uma tecnologia em constante expansão. A evolução foi tanta que é até desafiador resumir. O importante é entender que não é só saber quem inventou a inteligência artificial, mas estar aberto a reconhecer a importância dela e como pode facilitar a sua vida com seu uso.

1 COMENTÁRIO

  1. A par da utilidade da IA, existe também e de que maneira a possibilidade da sua utilização na criminalidade e mesmo nas forças armadas, o que significa a necessidade de um rigoroso controlo desta tecnologia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui