Qualcomm anuncia lançamento do chipset Snapdragon Wear 3100

12 de Setembro de 2018
3 Partilhas 242 Visualizações

“Os smartwatches são uma plataforma de elevada integração”, afirma Pankaj Kedia, Diretor Sénior do Departamento de Wearables Inteligentes da Qualcomm, no evento Snapdragon Wear 3100 realizado a 09 de setembro.

O Snapdragon Wear 3100 vem substituir o, agora desatualizado, Wear 2100 que é bastante antigo. Nesse sentido, a Qualcomm tem vindo a trabalhar em parceria com a Google nos últimos anos para aperfeiçoar o seu chipset com o Wear OS, o sistema operativo dos relógios inteligentes. Graças ao novo chipset Snapdragon Wear 3100, a próxima versão do Wear OS poderá suportar três novos modos: o modo de ambiente, um modo desportivo e um modo de regular de relógio.

Ambos os modos desportivo e ambiente apresentaram resultados idênticos. Contudo, a Qualcomm garante que o novo chipset irá permitir a opção de mudança de brilho dinâmica. Em situação noturna, o smartwatch diminui a intensidade da iluminação, pois não necessita de contrastar com o reflexo do Sol. Por sua vez, para garantir a fiabilidade no manuseio do dispositivo, em modo diurno, o dispositivo poderá aumentar o brilho.

O novo SoC da Qualcomm promete permitir melhorias na vida útil da bateria dos relógios inteligentes. Segundo a marca, se o modo regular (tradicional) do smartwatch for ativo, este pode durar um mês inteiro com carga total.

O chipset permite usufruir de mais 4 a 12 horas de uso num relógio usando este chip. A quantidade exata de tempo em operação extra dependerá, obviamente, de fatores como o tipo de ecrã, a capacidade da bateria e as configurações do dispositivo. Com uma bateria de 450 mAh e o novo Snapdragon Wear 3100, seria possível utilizar um smartwatch com o GPS e o monitor de frequência cardíca durante cerca de 15 horas.

Para garantir o baixo consumo de energia, o Snapdragon Wear 3100 possui um co-processador Qualcomm QCC1110 “atuando como um poderoso auxilio do processador principal, melhorando a experiência de áudio, a monitorização e os sensores de próxima geração”. Para além disso, o dispositivo integra “uma engine deep-learning” que permite adquirir novos conhecimentos.

O chipset fará parte de smartwatches dos grupos Fóssil, Louis Vuitton e Montblanc, que oferecerão a possibilidade de adquirir o dispositivo com ou sem conectividade de dados LTE. Caso compre um smartwatch com 4G, as velocidades suportadas serão de até 1 Gbps para downloads e de até 150 Mbps para uploads.

Fonte Qualcomm

Artigos interessantes

Imagem real do Galaxy S10 Plus confirma câmaras frontais no ecrã
Destaques
37 Visualizações
Destaques
37 Visualizações

Imagem real do Galaxy S10 Plus confirma câmaras frontais no ecrã

Bruno Peralta - 17 de Janeiro de 2019

Falta pouco mais de um mês para a grande apresentação da Samsung, que decorrerá no dia 20 de fevereiro para…

Twitter libera versão cronológica da timeline
Redes Sociais
23 Visualizações
Redes Sociais
23 Visualizações

Twitter libera versão cronológica da timeline

João Pedro Souza - 17 de Janeiro de 2019

Uma nova atualização do Twitter para Android traz a possibilidade de visualizar o feed na ordem cronológica. Opção que já…

Xiaomi demonstra o melhor sensor de impressões digitais no ecrã até ao momento
Destaques
3 Partilhas45 Visualizações
Destaques
3 Partilhas45 Visualizações

Xiaomi demonstra o melhor sensor de impressões digitais no ecrã até ao momento

Bruno Peralta - 16 de Janeiro de 2019

Os fabricantes de smartphones estão retirando lentamente os tradicionais leitores de impressão digital em favor dos sensores no ecrã, mas…

Comente

O seu email não será publico