Portugal lidera projeto europeu em educação de ciência sobre desafios da Saúde Pública

Portugal lidera projeto europeu em educação de ciência que prepara para os desafios da saúde pública. O PAFSE “Partnerships for Science Education” vem criar parcerias entre escolas, universidades, centros de investigação, laboratórios, empresas, associações, representantes da sociedade civil, entre outros, envolvendo-os nos esforços de enriquecer a educação nas áreas curriculares STEM (Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática) com o seu contributo para a saúde pública.

Numa primeira fase, segundo nota enviada à imprensa, o projeto irá focar toda a comunidade escolar e parceiros na preparação para reduzir o risco de doenças transmissíveis e epidemias, mas irá estender-se a outros problemas, como a obesidade infantil, o cancro, as zoonoses, a diabetes, acidentes rodoviários, ou as iniquidades em saúde.

O projeto PAFSE – Partnerships for Science Education – integra nove instituições de 4 países – Portugal, Grécia, Chipre e Polónia. É liderado em Portugal pela Escola Nacional de Saúde Pública e conta com o apoio da Direção Geral de Educação e Direção Geral de Saúde.

blank

A atual pandemia de Covid-19 teve impactos significativos na sociedade e colocou o tema da saúde pública na ordem do dia, a nível global. A preocupação com a propagação de doenças infeciosas e zoonoses, ou seja, doenças transmitidas entre animais e seres humanos, são atualmente temas abordados não apenas pela comunidade científica, mas também pela população em geral, sempre fortemente apoiados pelas novas tecnologias e tecnologias emergentes.

Foi esta a motivação para o desenvolvimento do projeto PAFSE, onde estão envolvidos investigadores pertencentes a cinco instituições portuguesas: Universidade NOVA de Lisboa – Escola Nacional de Saúde Pública (líder do projeto), Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), Universidade do Minho, Instituto Superior de Engenharia de Lisboa e Prevenção Rodoviária Portuguesa.

Para que os objetivos sejam cumpridos, os membros do consórcio vão estabelecer diversas parcerias, com entidades que se mostrem interessadas pelo projeto, com vista à ativação de aprendizagens ao nível do 3.º ciclo de escolaridade, que promovam a literacia em saúde nas aulas de ciências, física, química, matemática e tecnologias da informação. O projeto prevê também atividades nos clubes de ciência e ambientes da comunidade, com o apoio dos parceiros, recorrendo-se a ambientes de aprendizagem inovadores para, por um lado, despertar o interesse e a curiosidade nos jovens pelos currículos e profissões nas áreas STEM e, por outro, torná-los embaixadores da saúde pública nos seus ambientes de vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here