Portugal é o 2.º país com mais mulheres inventoras na Europa

Portugal tem a segunda maior percentagem de mulheres inventoras na Europa: 27%. Um valor que é mais do dobro da média europeia, que se fixa nos 13,2%, mas que apenas se aplica à função pública.

Os dados são do 1.º relatório produzido pelo Instituto Europeu de Patentes (IEP) sobre “Women’s participation in inventive activity: evidence from EPO data”. Este trabalho analisou os pedidos de patentes submetidos entre 1978 e 2019 pelos países com assento no IEP. 

No setor privado, contudo, as percentagens já são bastante diferentes: 19,4% de pedidos de patentes submetidos por mulheres. Elvira Fortunato, ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, quer que o privado acompanhe a percentagem do público e, para que tal aconteça, pretende apostar no fortalecimento das relações entre sistema científico e o ecossistema empresarial “que deve estimular uma melhor integração de doutorados em contextos não académicos e favorecer a translação de conhecimento para a sociedade”.

elvira fortunato

Segundo Elvira Fortunato, estes são “dados muito relevantes da capacidade das mulheres portuguesas investigadoras, da sua criatividade associada a uma elevada resiliência e persistência”.

De todas as regiões europeias, o Alentejo é a região com a maior percentagem de mulheres inventoras (34,9%). Destaque ainda para a percentagem de mulheres inventoras integradas nas instituições de ensino superior e instituições públicas de investigação portuguesa, que é de 36%, quase o dobro da média europeia de mulheres inventoras (19,4%). 

A ministra quer ainda, até 2027, que “as bolsas de doutoramento em ambiente não académico passem a representar pelo menos 50% do total de novas bolsas atribuídas”.

O estudo salienta que embora a taxa global de mulheres inventoras na Europa tenha aumentado nas últimas décadas (de apenas 2% no final dos anos 70 para 13,2% em 2019), continua a existir desigualdade entre os sexos. A taxa de mulheres inventoras na Europa é superior à do Japão (9,5%), mas inferior à da Coreia do Sul (28,3%), da China (26,8%), e dos EUA (15,0%).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui