Peugeot regressa em 2022 a Le Mans

O regresso da Peugeot às corridas de resistência de Le Mans acontece no ano de 2022, pelo que, a construtora francesa aproveitou o evento deste fim-de-semana para anunciar o regresso a um dos eventos automóveis mais emblemáticos com toda a pompa e circunstância que isso exige. A fabricante e, brevemente, equipa de Le Mans aproveitou também para mostrar o aspeto do seu modelo de hipercarro para 2022.

Os franceses contam, uma vez mais, com o seu principal patrocinador — a Total — grupo empresarial do setor petroquímico e energético que esteve ao lado da Peugeot nas três vitórias conseguidas nesta modalidade. Esta entrada em 2022 faz todo o sentido do ponto de vista da concorrência, dado que os novos regulamento entram nesse mesmo ano. Ao que tudo indica, os novos regulamentos apontam para um automóvel mais pesado do que os atualmente disponíveis em 2020.

O novo modelo da Peugeot recorre a um sistema híbrido de tração às quatro rodas num total de potência combinada de 670 cv275 cv de potência assegurados por um motor ligado ao eixo dianteiro e os restantes cavalos associados à traseira do LMP1 — em 2022. Estas alterações estão localizadas no âmbito do equilíbrio de performance estipulado pelo novo regulamento apresentado pela FIA.

De forma semelhante ao que acontece na F1, também o Campeonato Mundial de Resistência (ou Le Mans 24h) permite a entrada de novas equipas, mas para isso tem de haver viabilidade — torna-se dificil competir com marcas e equipas que estejam desde o início com determinadas regras —, assim, mudando os regulamentos fica muito mais fácil para um equipa preparar a sua entrada nesta modalidade.

É neste sentido que Oliver Jansonnie, diretor técnico da Peugeot Sport WEC, afirmou que a nova regra de equilíbrio de desempenho irá “[…] certamente estabelecer novos limites, mas também permitir espaço para quaisquer possibilidades técnicas durante o nosso desenvolvimento, especificamente na aparência geral exterior, desde que uma certa eficiência aerodinâmica não seja ultrapassada”.

Em consonância com aquilo que aconteceu na Fórmula 1, também aqui as novas regras para os hipercarros foram adaptados a pensar numa contenção de custos, onde o orçamento da temporada passa a ficar limitado a um teto orçamental de cerca de 20 milhões euros. Os fabricantes terão a opção de desenvolver um veículo totalmente novo ou modificar um hipercarro já existente em estrada para uso em circuito. Os regulamentos desta categoria da FIA estabelecem que cada competidor na categoria de hipercarro deve produzir 25 motores idênticos aos destinados a um carro de produção em série homologado, assim sendo, 25 carros de produção em série idênticos para uso em estrada devem ser produzidos até o final de 2022.

A Peugeot abandonou a 24 horas de Le Mans em 2012, uma ano antes de se chamar campeonato de resistência. Poucos anos depois já se perspetivava um regresso, no entanto, dado que ainda não tinha havido uma mudança dos regulamentos, esse regresso estava adiado temporariamenteevitando custos desnecessários.

Fonte Motor1

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here