Parece que a Google obrigou a Xiaomi a “gozar” com a Huawei (Ou não?)

Fora da China, as aplicações da Google são uma expectativa padrão para todos os dispositivos Android. Pelo menos até há pouco tempo, já que a proibição norte-americana à Huawei mudou as coisas. Agora, parece que o Google quer deixar claro quais os equipamentos que possuem os GMS do Google, pois supostamente força os fabricantes que utilizem esses serviços a referir o fácil acesso na própria caixa.

Destacadas pelo XDA-Developers, as unidades europeias do Xiaomi Mi 10 (foto abaixo) têm uma inscrição interessante na lateral da caixa. Como visto abaixo, a caixa diz que o Mi 10 vem com “acesso fácil às aplicações do Google que mais usa”. Se antes isso tinha sido visto como um ataque da Xiaomi à Huawei, talvez não seja bem assim.

Dado a altura em que ocorre, não há grandes dúvidas que esta mensagem é uma clara referência à Huawei, já que, até ao momento, podemos dizer que além do iPhone, é a única fabricante que não conta com os Google Mobile Service e até começou a apostar forte nuns serviços próprios.

Assim que esta imagem começou a correr o mundo, rapidamente surgiram críticas à Xiaomi, não só por ser um ataque à fabricante do memso país, o que internamente pode ser mal visto, mas também porque, do ponto de vista do consumidor, a Huawei tem sido punida injustamente nos EUA e isso está a trazer consequências à empresa no resot do mundo.

Por isso, a Xiaomi acabou por ter de responder do porquê ter colocado esta mensagem na caixa e não poderia ser mais surpreendente. Segundo a fabricante chinesa, esta mensagem é algo que a Google planeia para todos os parceiros Android no futuro, já que é uma obrigação do acordo para utilização dos Google Mobile Services, que foram renovados entre a Xiaomi e a Google recentemente e, por esse motivo, foi obrigada a colocar esta nova referência. Esta referência é similar à obrigação de colocar “Powered by Android” sempre que o smartphone está a iniciar, quando normalmente aparece a marca do produto.

Segundo o comunicado da Xiaomi:

“Percebemos que há uma discussão sobre a cópia mais recente da embalagem par ao mercado externo da Xiaomi. Para evitar mal-entendidos, a explicação é a seguinte:

  • Esta cópia é proveniente dos requisitos de promoção dos parceiros no último acordo de cooperação, semelhante ao “Powered by android” exibido no telefone Android e ao “Intel Inside” no computador.
  • Como a versão anterior do contrato entre a Xiaomi e seus parceiros expirou, a Xiaomi tornou-se no primeiro lote de fabricantes que assinaram a nova versão do acordo de cooperação e também é o primeiro fabricante a lançar novos produtos após a efetivação.
  • Esperamos que os fabricantes globais de telefones móveis possam cooperar sem problemas com todos os parceiros para criar um ecossistema mais rico.”

Rapidamente o foco passou a ser outro: a Google, que oficialmente ainda não respondeu oficialmente a esta informação. No entanto, o Android Authority indica de uma fonte da Google, que isto não é uma obrigação, mas uma sugestão da Google, nomeadamente quando os OEM utilizam mais aplicações da Google do que as ditas, “normais”, como o Google Podcast ou o Google Keep, enquanto o Gmail está dentro das aplicações “normais” e, também, obrigatórias neste acordo.

Dessa forma, a referência é que esta informação que a Xiaomi adiciono não é obrigatória, mas sim uam sugestão para que os clientes saibam que aquele modelo tem mais aplicações da Google pré-instaladas.

Este é o motivo porque, até agora, apenas tínhamos visto que a Xiaomi era a única que a incluir esta informação na caixa, quando existem dezenas de fabricantes de equipamentos que utilizam o Android e os Google Mobiel Services. Veremos se, no futuro próximo, teremos uma comunicação oficial da Google sobre este assunto para esclarecer estas dúvidas.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here