Para evitar o corte de 30% da Apple Elon Musk está a atrasar a verificação paga do Twitter

A assinatura Blue renovada do Twitter pode não estar disponível como uma compra no aplicativo no iOS quando for relançada, para evitar o corte de 30% nas compras da App Store da Apple, de acordo com a Platformer.

Quando a nova versão do Blue foi disponibilizada no início deste mês, só pôde ser obtida através da aplicação iOS do Twitter, levando alguns a acreditarem que a Apple ainda ficaria com a sua habitual percentagem. Contudo, Elon Musk manifestou publicamente a sua desaprovação com a política e prática da Apple App Store. Ele decidiu dar a volta à App Store de forma a evitar pagar essas taxas.

O lançamento da funcionalidade de verificação Blue do Twitter, que foi configurada para permitir aos utilizadores comprar um crachá verificado, foi adiado. Esta notícia surge após o lançamento original da funcionalidade ter sido pausada devido a preocupações com as imitações.

De acordo com a Platformer, este atraso deve-se ao Twitter ter feito mais alterações ao Blue. Estas alterações incluem o aumento da taxa de $7.99 USD para $8 USD, bem como a adição de um requisito de verificação do número de telefone para que os utilizadores possam adquirir a marca de verificação verificada.

Nas últimas semanas, os tweets do magnata da tecnologia Elon Musk assumiram um novo tenor ao dirigir cada vez mais críticas à Apple. A 18 de Novembro, ele publicou uma mensagem que caracterizou os 30% dos lucros da App Store como um “imposto oculto injustificado na Internet”. Esta mensagem ganhou força e suscitou o discurso público sobre as regras aparentemente arbitrárias que a Apple impõe aos criadores de aplicações.

Musk enviou outro tweet pouco mais de uma semana depois afirmando que a Apple parou de anunciar no Twitter e que ironicamente é um dos maiores consumidores de anúncios do Twitter e que ameaça ainda mais retirar a sua presença da App Store sem dar qualquer explicação sobre o porquê.

A Apple não comentou publicamente os tweets de Musk, mas especulasse que suas ações como as suas demissões em massa que cortaram equipas responsáveis ​​pela moderação de conteúdo ou as decisões de trazer de volta contas suspensas e o ex-presidente Donald Trump poderiam colocar o Twitter em desacordo com as políticas da App Store.

Fonte: Platformer

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui