Os patrões devem deixar de espiar as contas de Facebook dos seus empregados

Muitos são os que se sentem pressionados a aceitar pedidos de amizade por parte dos seus empregadores e chefias nos locais de trabalho. A pressão é errada e as entidades reguladoras vêm alertar os empregadores que estes devem deixar de espiar as contas de Facebook e Twitter dos seus funcionários.

São assim aprovadas novas regras de protecção de dados na União Europeia que visam proteger os direitos dos trabalhadores e impedem as empresas de fazer um uso errado dos dados pessoais dos funcionários. Com o uso das redes sociais, as empresas por vezes questionam-se sobre como a vida pessoal poderá afectar a vida profissional dos trabalhadores. Já houve despedimentos por causa de mensagens colocadas no mural, e já várias candidaturas foram rejeitadas depois da equipa de recrutamento visitar a página das redes sociais dos candidatos.

No ano passado, o tribunal Europeu dos direitos Humanos permitiu que a chefia tivesse acesso permanente aos emails dos funcionários.

No entanto a partir de agora, todas estas pesquisas devem apenas ser feitas se houver justificações plausíveis.

Fonte: The Telegraph

Veja também...

Deixe o seu comentário