Obama faz frente à Rússia e despoleta “ciberguerra”

blank

As relações entre os Estados Unidos e a Rússia não eram as melhores e o recente episódio de tentativa de sabotagem do sistema eleitoral americano veio deteriorar ainda mais estes laços. Tudo indica que uma nova “guerra fria” no ciberespaço esteja prestes a arrancar. Barack Obama anunciou que irá aplicar à Rússia várias sanções depois de ter sido provado que Vladimir Putin incentivou piratas informáticos a realizar ataques para dar vantagem a Donald Trump como o próximo presidente dos EUA.

As medidas decididas por Obama incluem a expulsão de 35 diplomatas russos do país e sanções a cinco organizações e seis indivíduos. As unidades secretas dos Estados Unidos terão já preparado as suas armas para contra atacar.

O ataque eleitoral à América trouxe ao de cima várias informações menos claras sobre a campanha de Hillary Clinton, o que deu na opinião pública vantagem inegável a Trump, candidato que se alinha com a política de Putin. Além de Hillary Clinton, o Partido Republicano pode também ter sido atacado, mas os dados foram protegidos para manter a candidatura de Trump na frente da corrida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here