O que precisa de saber sobre os processadores Intel de 10ª geração

Os processadores de 10ª geração da Intel já se encontram disponíveis para consumo, a fim de concorrerem com os atuais processadores AMD, série Ryzen 3000. Esta nova geração permite melhorias significativas na renderização de vídeo em 4K, em particular, através da aceleração de gráficos do processador.

Os Intel de 10ª geração Comet Lake para PC foram anunciados no passado dia 30 de abril, onde o principal destaque físico será a existência de um maior número de núcleos. O Intel i9-10900K conta com 10 cores e 20 threads. Quanto maior o número de núcleos, maior a capacidade de processamento do processador. Contudo, nem só de núcleos se faz o processador, a sua velocidade e estabilidade é fundamental para que não começe a sofrer do efeito temperatura. O i9-10900K conta com 5.30 GHz de frequência máxima, garantindo uma estabilidade bastante superior abaixo desta frequência.

Estes processadores de 10ª geração para computadores fixos começaram a entrar no mercado este maio, no entanto, fonte da Intel garante que os CPUs para dispositivos móveis como portáteis, já estão disponíveis em mais de cem equipamentos, sendo lançados durante este ano.

Quantidade de núcleos e threads

À semelhança do mencionado anteriormente, a quantidade de núcleos físicos e threads constituí uma vantagem para jogadores, editores de vídeo e imagem que podem usufruir realmente deste aumento. A grande maioria dos outros programas não consegue tirar partido de todos os cores do CPU.

O hyper-threading é o nome dado à divisão de um core físico em dois virtuais, garantindo a receção de mais informação através do mesmo core, evitando as limitações físicas do circuito. Agora, a Intel levou esta funcionalidade a mais processadores do que Core i7 e i9. A 10ª geração trouxe consigo i3 com 4 núcleos e 8 threads ou, por exemplo, i5 com 6 núcleos e 12 threads.

Socket 1200, novas motherboards

Sabemos que as limitações físicas de cada socket ou motherboard são um dos principais motivos que levam ao desenvolvimento de novas placas-mãe. Por exemplo, se observarmos a 8ª e a 9ª geração de processadores que partilhavam a plataforma Coffe Lake, verificamos que usavam o socket LGA 1151.

Agora, a forte exigência da nova geração obrigou a Intel a migrar para o socket LGA 1200 que permite processadores com maior performance e novas dimensões. O Comet Lake-S, como é conhecido, faz uso das novas motherboards Z490, B460, H470, e H410 — indentificável pelo algarismo das centenas número quatro.

A temperatura e as transferências de calor

Algo de que a fabricante de Santa Clara se pode orgulhar é da sua eficiente gestão de transferências de calor. O TDP dos processadores, i9-10900K, o i7-10700K, e o i5-10600K consegue chegar aos 120 watts de energia calorífica.

Ao que tudo indica, a 10ª geração garante uma transferência de calor bastante maior pois consegue, entre cada unidade de computação, um maior espaçamento a fim de garantir uma facilidade de dissipação. Fica, portanto, mais fácil a dissipação pelo cooler do calor exteriorizado pelo processador.

Inativação do hyper-threading

Outra vantagem da nova geração é a possibilidade de desligar o hyper-threading da Intel que permite pôr fim à duplicação virtual de núcleos a fim de diminuir o stress do processador e, assim, diminuir o calor gerado.

Isto traz vantagens quando o uso do computador não necessita de muitos núcleos como, por exemplo, em computadores workstation (computadores de trabalho que são usados por longos períodos de tempo por programas de produtividade). De acordo com algumas informações, para inativar o hyper-threading necessita de aceder à BIOS da placa-mãe, em vez de uma funcionalidade simplificada de software (como acontece com o software de overclocking).

O clock ou frequência do processador ultrapassa os 5.0 GHz

Os novos processadores Intel de 10ª geração Comet Lake permitem agora um máximo de 5.30 GHz num único núcleo, desde que este tenha uma temperatura abaixo dos 70 graus celsius. A título de exemplo, um Coffe-Lake de 8ª geração de um Core i7 de clock máximo de 4.70 GHz já conseguidos através de overclocking, permitia uma frequência combinada que superava os 5.0 GHz.

É através do aumento da frequência e do número de núcleos que ficam garantidos os elementos básicos para mais performance, característica que todo o jogador ou editor almejam para um computador fixo. Por fim, o Turbo Boost 3.0 irá melhorar substancialmente o desempenho de toda a gama Intel Core, em particular, do i9 Comet Lake, especialmente para videojogos e renderização de vídeos em 4K.

Os novos CPUs contam com PCIe em overclock mas, não com PCIe 4.0

Ao contrário do que acontece com a série Ryzen 3000 da AMD, a nova geração Intel não suporta a porta PCIe 4.0, contando apenas com um overclocking do padrão de comunicação PCIe 3.0.

Este novo padrão de comunicação, PCIe 4.0, permite o dobro da velocidade na transmissão de dados entre equipamentos como placas-gráficas e armazenamento interno. Contudo, a decisão da Intel não foi ingénua ao abdicar deste novo padrão de comunicação pois, as portas PCIe 4.0 exigem um sistema de refrigeração mais sofisticado (ou seja, de maiores dimensões).

Estamos perante o progresso, um progresso que tem acontecido ao longo dos anos, em especial, neste tipo de equipamentos. Além disto, a nova geração permite velocidades de internet, de memória e Wi-fi 6.0 bastante mais avançados do que a atual geração.

Fonte HowtoGeek

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here