Novos óculos inteligentes Ray-Ban Stories levantam dúvidas sobre privacidade

O principal regulador de privacidade do Facebook na Europa revelou preocupação com o par de óculos de sol Ray-Ban ‘inteligentes’ que a gigante tecnológica passou a vender. Os óculos incluem uma câmara frontal que pode ser usada para tirar fotos e fazer vídeos curtos.

A Comissão de Proteção de Dados da Irlanda (DPC) disse na sexta-feira que exigiu ao Facebook que exibisse a luz indicadora de LED também montada nas especificações – que acende quando o utilizador está a gravar um vídeo – visto ser uma forma eficaz de alertar outras pessoas de que estão a ser gravadas ou fotografadas. A Garante, entidade responsável pela proteção de dados em Itália, também revelou preocupações relacionadas com a privacidade dos utilizadores.

Os óculos inteligentes do Facebook, que foram criados em parceria com a fabricante dos Ray-Ban, permitem que os utilizadores oiçam música, façam chamadas ou tirem fotos e vídeos curtos bem como partilhá-los nos serviços do Facebook. A nível de design, os óculos vão estar disponíveis em 20 combinações diferentes, sendo que os óculos estarão à venda na loja online da Ray-ban, e nas lojas de retalho em seis países: EUA, Austrália, Canadá, Irlanda, Itália e Reino Unido. Não foi indicado quando pretende ser feito a expansão para outros países, mas sabemos que o preço é de ou 329 euros na Europa.

blank

“No caso dos óculos, há uma pequena luz indicadora que se acende quando se inicia uma gravação. Não foi comprovado à DPC nem à Garante que o Facebook realizou testes para garantir que a luz LED indicadora é um método eficaz de alertar outras pessoas”, refere a DPC.

Por agora, ainda não foi divulgado se o Facebook entrou em contacto com algum regulador europeu no sentido de esclarecer estas questões relacionadas com a privacidade dos utilizadores, quando utilizam os Ray-Ban Stories. Mas Alex Himel, vice-presidente do departamento de realidade aumentada do Facebook Reality Labs, indicou que o Facebook consultou “vários grupos de defesa da privacidade”, aquando do seu desenvolvimento.

Fonte: Tech Crunch

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here