Nada corre bem a Zuckerberg: Meta tem planos para colocar empregados em layoff

A Meta é uma uma enorme empresa na indústria das redes sociais, mas ao que parece a empresa de Mark Zuckerberg está a planear colocar empregados em layoff.

Maher Saba, vice-presidente para presença remota, deu instruções aos vários gestores do seu departamento para identificarem até segunda-feira, dia 18, funcionários que “precisem de apoio”. Os mesmos gestores também receberam instruções para retirarem os funcionários que estejam a demonstrar baixo desempenho e aqueles que “não consigam voltar a entrar na linha”.

Segundo uma fonte do jornal The Washington Post, os funcionários da Meta mostram-se bastante preocupados com esta situação, visto que poderá vir a criar “planos para melhoria de desempenho” que acabarão por levar a layoffs em massa. Ao que parece, Maher Saba também terá anotado nas notas para os seus gestores: “Se um relatório direto mostrar alguém com baixo desempenho, eles não são quem precisamos; eles estão a falhar a esta empresa. Como um gestor, não poderá deixar que alguém seja neutro ou negativo para a Meta.”

No início do mês de julho o CEO da Meta, Mark Zuckerberg, aproveitou uma reunião geral com funcionários para deixar claro que a empresa está a passar “por um dos maiores contratempos já vistos”.

Anteriormente, a empresa de redes sociais já tinha afirmado que estava a abrandar o processo de contratação este ano, mas foi apenas durante esta reunião que foi revelado que o número alvo de novos contratos de engenheiros foi reduzido cerca de 30 porcento. Zuckerberg também afirmou que a empresa irá subir as expectativas relativamente aos seus empregados, sendo que estes também receberão objetivos mais agressivos.

O famoso CEO também aproveitou para deixar o seguinte comentário: “Creio que alguns de vocês acabarão por decidir que este não é o vosso lugar, e não tenho problema com essa autosseleção. Realisticamente, provavelmente existem muitas pessoas nesta empresa que não deveriam de aqui estar.”

O Facebook perdeu um número significativo de utilizadores diários no último quarto de 2021, sendo que esta foi uma das principais razões para que a empresa norte-americana tenha começado a preparar cortes de orçamento à alguns meses. Além disso também já prevê uma nova redução de lucros devido ao atual conflito entre a Rússia e Ucrânia. Por fim, a Meta também prevê uma perda de 10 mil milhões de dólares em ganhos devido às novas políticas de privacidade da Apple, que acaba por limitar o acesso de anúncios a determinados blocos de código que permite mostrar anúncios a determinados utilizadores.

Fonte: The Washington Post

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui