Model 2 pode vir a ter um chassi concebido numa só peça

Ao que tudo indica, a Tesla, que já demonstrou interesse em desenvolver um modelo elétrico mais acessível para o público tendo estado a desenvolver aquele pode vir a ser apelidado de “Model 2” ou adotar uma nova letra para dar seguimento ao caminho de desenvolvimento de soluções de mobilidade elétrica. O destaque, neste caso, é a possibilidade do chassi deste novo modelo poder vir a ser produzido através de de uma única peça.

Para alcançar este objetivo, a Tesla tem recorrido a prensas de alta pressão para criar partes de um automóvel, excluindo a necessidade de moldes por aquecimento, mas adotando moldes por pressão. Exemplos de modelos que usam esta tecnologia de molde são os Model 3 e Y que já contam com inúmeras partes desenvolvidas em prensas IDRA de 3 e 4 mil toneladas — que conseguem de forma relativamente rápida, moldar a peça que se pretende.

Este método de produção visa, sobretudo, reduzir custos de produção associados ao fabrico das peças que recorrem a moldes por aquecimento ou de soldadura. A generalidade da indústria automóvel — de produção massificada — depende de economias de escala como o ser humano depende de água para sobreviver para assim conseguir oferecer preços competitivos. Embora o investimento neste tipo de prensa seja elevado, acaba por ser rentabilizado sobe a forma de eliminação de custos desnecessários e encurtamento dos tempos de produção.

blank
Carro-conceito “Model 2” a pensar numa solução hatchback

Expecta-se que o novo modelo irá ser apresentado já neste mês de novembro durante o Salão Automóvel de Guangzhou, na China. Este que vai ser o primeiro veículo da Tesla desenvolvido pelo China Design Center da Tesla e a produção ficará a cargo da Gigafactory de Xangai. As informações partilhadas pela imprensa chinesa apontavam para que o modelo seja uma “edição hatchback do Model 3” a ser comercializada por 160 mil yuans (algo como 28.114,91€ atualizado aos preços nacionais) e com uma autonomia que deve rondar os 350 a 450 quilómetros.

Por agora, a Tesla conta com os seus moldes por pressão, estando a aguardar as novas prensas de 8 mil toneladas que já oferecem uma incomparável força na criação e desenvolvimento de peças únicas — acabando com a necessidade de soldar várias peças (em alguns casos mais de 70 peças) — no entanto, surgiram informações (ainda não oficiais) que confirmam que a Tesla está a trabalhar em conjunto com a fabricante do sistema IDRA para o desenvolvimento de uma prensa de 12 mil toneladas.

O Model Y, por exemplo, já tem uma cadência de fabrico de 45 segundos em grande parte motivado pelo uso das prensas de 4.500 toneladas. O uso de 8 mil toneladas está pensado para o fabrico das peças do Cybertruck (cujas dimensões são maiores). As potencialidades evidenciadas pela Tesla já se repercutem pela indústria automóvel, com a Volkswagen a garantir que pretende seguir as pisadas da construtora norte-americana, ao apostar em sistemas de moldagem por pressão como os utilizados pela Tesla.

Fonte TheDriven

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here