Microsoft processada por discriminação de género

A gigante da tecnologia Microsoft recebeu, entre 2010 e 2016, cerca de 238 queixas de discriminação de género e assédio sexual. As acusações foram feitas por funcionárias da área técnica da companhia e envolvem igualmente casos de recusas sistemáticas de aumento de salário e promoções de cargo para mulheres.

A companhia de Redmond negou, segundo a Bloomberg, boa parte dos pedidos de indemnização, reconhecendo apenas um único caso como legítimo. Além disso, a Microsoft alega que investe mais de 55 milhões de dólares por ano para promover campanhas que favoreçam a diversidade e a inclusão nos seus escritórios.

Apesar de a Microsoft ter mostrado interesse em tornar público os casos e processos judiciais envolvendo discriminação de género, muitas das denúncias não foram divulgadas com a devida transparência, algo que a companhia justificou alegando que o número de casos deve ser mantido em segredo para que a informação não venha a dissuadir outras pessoas a relatarem problemas futuros em relação à empresa.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here