Microsoft lança extensão do Windows defender para Chrome e Firefox

20A Microsoft está desesperadamente tentando deixar seu Internet Explorer de lado e promover exclusivamente o Microsoft Edge para seus usuários. Mas para isso suas estratégias estão cada vez mais… Apelativas.

A empresa já falhou algumas vezes, e agora está retrabalhando o Edge para usar o mecanismo do Chrome. Em mais uma admissão de derrota, ela estará disponibilizando sua extensão de navegador do Windows Defender Application Guard, anteriormente exclusiva do Edge, para o Google Chrome e o Mozilla Firefox.

Bem, podemos dizer que com essa cessão, ela admitiu sua derrota, mas isso nao é tudo que temos a deduzir. E para os mais espertos que perceberam que tem alguma jogada por trás, aqui está o detalhe vital.

Você ainda terá que suportar o uso do Edge quando determinar que está visitando um site não confiável.

Vamos explicar melhor essa parte. O Application Guard, em poucas palavras, cria uma instância isolada do Microsoft Edge para proteger o restante do sistema Windows 10 de sites potencialmente perigosos.

Naturalmente, ele faz uso de recursos disponíveis exclusivamente para o Microsoft Edge. Alguns usuários, mesmo os empresariais, preferem usar o Chrome ou o Firefox, o que os deixa vulneráveis ​​a explorações da Internet. Em vez de forçá-los a trocar de navegador, a Microsoft criou um compromisso.

Em seu último Windows 10 Insider Preview Build, a Microsoft anunciou o desenvolvimento de extensões do Application Guard para esses dois navegadores. Depois de instalados, os usuários podem continuar usando seu navegador favorito normalmente.

A diferença é quando eles clicam em um link que foi considerado não confiável pelos superiores.

Firefox Chrome

A jogada

Ao fazer isso, em vez de bloquear completamente o acesso a esse site, eles serão redirecionados para o Application Guard for Edge. Em outras palavras, o Edge abrirá em uma sessão isolada para que você possa continuar visualizando o site como quiser.

Aqui é onde as coisas podem ficar interessantes e provavelmente um pouco irritantes. Você pode visitar qualquer site não confiável da sessão em quarentena normalmente, mas se visitar um site confiável, você será redirecionado para o Chrome ou Firefox.

Será uma experiência de pingue-pongue, mas talvez seja a única maneira pela qual a Microsoft pode garantir a integridade de seus sistemas corporativos. Este recurso, para melhor ou para pior, estará disponível apenas nas versões Enterprise e Pro do Windows 10, deixando os usuários da Home edition com o básico.

Mas mesmo assim ainda pode deixar algumas pessoas bem curiosas sobre quais os próximos passos da Microsoft. Principalmente se essa extensão for um sucesso. Será que ela irá fazer atualizações cada vez mais exigentes, ou será que ela vai tentar reivindicar totalmente os usuários para o seu navegador próprio?

Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here