Mega: novo site de Kim Dotcom já está disponível

Mega1O sucessor de Megaupload, encerrado há cerca de um ano pelo FBI sob pretexto de pirataria, já está online. Apresentado este sábado, 19, o “Mega“, assim se chama, contava poucas horas depois do lançamento com 250 mil utilizadores registados, segundo informou o seu criador na sua conta do Twitter.

O Mega  50 GB de espaço de armazenamento gratuito, tamanho muito superior ao que é oferecido por concorrentes como o Google Drive e o Dropbox (que oferecem 5 e 2 GB, respectivamente). Aqueles que precisarem de mais espaço podem sempre optar por um dos serviços pagos, que custam entre 10 e 30 euros mensais. Os preços competitivos cumprem o propósito de recuperar em pouco tempo a liderança no mercado de serviços de armazenamento.

Mas a grande diferença em relação ao seu antecessor está na criptografia que torna impossível o acesso de outras pessoas aos dados guardados peloKimDotcom utilizador no serviço. Só o próprio possui a chave que lhe permite aceder-lhes. Este novo sistema criptográfico pode salvaguardar Kim Dotcom de qualquer nova tentativa de acusação de cópia ilegal de ficheiros (como a de que foi alvo no passado), uma vez que o criador do Mega pode sempre alegar desconhecer o conteúdo guardado na “nuvem” pelos seus utilizadores.

Durante o lançamento do portal, Dotcom alertou que qualquer tentativa para encerrar o site seria em vão.O portal está de acordo com a lei e “é tão legítimo como o Dropbox, o Boxnet e outros concorrentes”, disse o seu fundador. Recorde-se que no passado os juízes americanos usaram arquivos hospedados no Megaupload para sustentar as acusações de pirataria que levaram ao fim do serviço.

O lançamento do Mega foi feito na mansão de Dotcom na Nova Zelândia, onde o empresário de 39 anos está em liberdade condicional. O patrão do extinto Megaupload enfrenta a possibilidade de extradição para os Estados Unidos, onde é acusado de pirataria informática e outros delitos. Em março o Kim Dotcom deverá saber o seu destino já que está previsto o início do julgamento para essa altura. Numa entrevista ao The Wall Street Journal, que vale a pena ler, Dotcom declarou, mais uma vez, a sua inocência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here