LG está a ponderar sair do mercado dos smartphones

Já há algum tempo que é um rumor muito falado e que tem vindo a ser desmentido oficialmente pela fabricante sul-coreana, isto porque há mais de cinco anos que a LG tem somado prejuízos avultados neste mercado, o que, independentemente disso não deixaria de ser muito mau para o mercado perder uma fabricante como a LG.

No entanto, parece que de uma certa forma, também oficial, a própria LG acaba por confirmar que esta possibilidade não está totalmente descartada, como foi referido. Vários meios de comunicação sul-coreanos estão a divulgar uma mensagem enviada pelo CEO da empresa aos funcionários, onde afirma que tem de haver um “julgamento frio” (cold judgment) sobre a presença da empresa no mercado mobile.

Segundo o Korea Herald diz que o CEO Kwon Bong-seok, numa mensagem aos funcionários, disse que era “hora de a LG fazer um julgamento frio” sobre a divisão mobile, referindo que a forte competição no mercado de smartphone, o CEO descarta a “venda, retirada e/ou redução do negócio de smartphones”.

Kwon, que assumiu o cargo principal da LG no início de 2020, prometeu que a divisão móvel seria “lucrativa em 2021”. Ele não explicou como estava a planear reverter o sentido, além de lançar novos telefones com “fatores surpreendentes para conquistar os consumidores”. No ano passado, porém, a empresa lançou o Velvet (com um excelente design) e o Wing, com seu display flip-up diferente do que já vimos até agora.

Naturalmente, a LG também tem apostado em “smartphones normais”, que deveria estrear durante este ano. Isso, no entanto, provavelmente ficará no nível ultra-premium e pode não ser suficiente para reverter a participação de mercado cada vez menor da LG, que a StatCounter afirma ter caído para 1,7 por cento em dezembro de 2020. Naquele mesmo mês, a LG anunciou que iria terceirizar o projeto e a construção de seus telefones de baixo custo para fabricantes de terceiros.

Numa mensagem aos funcionários, Kwon disse que 60 por cento dos funcionários seriam transferidos para outras áreas dos negócios da LG. Não está claro se os outros 40 por cento permanecerão no área mobile muito menor ou, embora seja provável que a LG precise reter parte desse conhecimento. Por exemplo, uma das razões pelas quais a Sony manteve a sua divisão móvel a funcionar por tanto tempo, mesmo também não estando a gerir muito dinheiro, é a garantia de continuar a inovar nessa área para que o mesmo conhecimento também possa ser usado em outros gadgets, além de uma clara demonstração para os seus sensores fotográficos para os smartphones, que é uma das áreas mais lucrativas, além de a Sony ter dos melhores sensores fotográficos e equipar grande parte dos smartphones do mercado.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here