Koenigsegg Jesko Absolut, capaz de atingir os 500 km/h graças aos 1600 cv

Red Magic 5G

Os rumores eram muitos acerca dos próximos anuncios e lançamentos por parte da Koenigsegg. O modelo Jesko Absolut representa o marco de velocidade máxima alguma vez conseguida por um carro de estrada. Além deste, o Koenigsegg Gemera atraiu grande parte do público face à sua característica performante e utilitária.

Este anúncio acontece no seguimento do evento do Salão de Genebra 2020 que fora cancelado como medida preventiva face ao Covid-19, o mais recente surto de Coronavírus que tem afetado e motivado o cancelamento de inúmeros eventos a nível mundial.

Segundo o CEO e fundador, Von Koenigsegg, “[…] a empresa não se irá esforçar no desenvolvimento de um carro fabricado em série que supere esta velocidade [500 km/h] […]”, pelo que se deduz, facilmente, a intensão de chegar ao nível de um Bugatti Chiron. Os mais de 25 anos de experiência na produção de hipercarros permitem ao Jesko Absolut ser o Koenigsegg mais rápido da história e que, ultrapassa o seu concorrente direto, Bugatti Chiron.

O foco da equipa foi sem dúvida a aerodinâmica, pois é na resistência criada pelo ar que permanece as limitações dos automóveis hyper-desportivos. A marca garante um coeficiente de arrasto de cerca de 0,278 em 1,0 (ponto de referência) para a resistência do ar num veículo.

A motorização que equipa o novo Koenigsegg Jesko Absolut permanece inalterada face ao modelo anterior, o Jesko, continuando a recorrer ao V8 twin-turbo, e com rotação ótima máxima de 8.500 rpm que permitem um binário de 1500 newton-metro, associados a uma caixa de nove velocidades Koenigsegg Direct Drive, permitindo trocas de marcha praticamente instantâneas. Os 1.600 cv são saciados através de gasolina E85, ao contrário da convencional, E95 ou E98, em Portugal.

Apesar das limitações de resistência do ar, que levaram à substituição das maciças asas traseiras, por duas barbatanas inspiradas nos caças F-15, também “[…] os pneus, a localização e a sanidade [do piloto]” constituem-se como pontos limitativos de ultrapassar esta barreira, como refere o fundador da Koenigsegg.

A realçar que, ainda se introduzem agora no mercado os primeiros pneus a aguentar velocidades que superem os 480 km/h, como foi o caso da Michelin que apresentou o ano passado, em conjunto com a Bugatti, um protótipo de pneu de estrada que atingisse perto de 500 km/h.

Fonte Autoblog

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here